sábado, 2 de abril de 2011

Fukushima

Apesar do alarmismo exercitado pela RTP e, particularmente, pela SIC, o monstro vai sendo morto.
All units are currently being cooled by injection of fresh water, using temporary pumps, with backup power supplies in place in case of further electrical power issues. TEPCO reports that water temperatures in the units are below 100 C in the pressure suppression chambers, and that no reactor coolant is being leaked to containment.

Ontem RTP e SIC embrulharam "Fukushima" e "radiação" na contagem de vítimas que resultaram directamente do tsunami.

Actualização (Quarta República): A RTP rumo à modernidade. Pouca radiação haverá mais destrutiva.

----

Informação complementar sobre Fukushima: WNN, MIT NSE Nuclear Information Hub, BNC

.

5 comentários:

MHGonçalves disse...

“ Após três semanas de crise nuclear no Japão, o primeiro-ministro do país, Naoto Kan, decidiu que a usina nuclear de Fukushima será desativada”

Só agora depois de semanas, os japs perceberam o enevitável, e sacaram que não é viável manter a funcionar fukushima. O Japão ja parece os carros velhos em Cuba, apesar da tecnologia teimam, vamos ver onde despejam as piscinas radioactivas que la criaram.

Mas para quem não sabe estas coisas pesquisem sobre Chernobyl e o desastre que perdura depois e após 25 anos. Repetindo várias vezes, 250.000, 250.000, 250.000 mil anos para decair apenas 50% do plutônio encapsulado de estourar e cair no ar, lençóis freáticos, cadeia alimentar, desestabiliza todos os sistemas, inclusive o do homem, as células, o nervoso, o linfático, circulatório, locomotor, digestivo, o reprodutivo. Mas deixem la, fica-se com varios elefantes brancos encapsulados e áreas inabitáveis como em Chernobyl e adjacências para visitar, passam a fazer parte de vestigios arquelogicos. Em fukushima a area de segurança ja vai em 20 km Os resíduos de plutônio levam só 500.000 anos para desaparecer. Se isso justificar a instalação destas insanas forma de gerar energia, vamos a elas. Para quem não é catastrofista, pode-se dizer que a terra fica destruída, na zona e a volta, 50% do plutônio isolado em Chernobil ficará ativo por cerca de 250.000 mil anos. O resto mais 250.000 anos, boa herança para as geraçoes à rasca futuras. As centrais nucleares não é apenas desativar, e nós não desligamos simplesmente um reator nuclear, e passou o perigo, dos socorristas de chernobyl já estão todos mortos das mais variadas doenças, a maior parte oncologicas, os de fukushima ja sabem isso e escrevem na internet o seu sacrificio pelo país, a maioria da restante população será afectada pelas consequencias dai advindas, isto não são acidentes de viação nem radioactividade natural como a que matou a madame curie ao manusear elementos naturais sem protecção, a radioatividade naquela altura era ainda um fenómeno pouco conhecido ao contrario de hoje. Por isso é muito mais do que isso. Deixa-los teimar.

RioD'oiro disse...

"Após três semanas de crise nuclear no Japão, o primeiro-ministro do país, Naoto Kan, decidiu que a usina nuclear de Fukushima será desativada"

Que tem isso de relevante? O maremoto "desactivou" muita outra indústria. E com ela as pessoas que lá trabalhavam.

"250.000 mil anos para decair apenas 50%"

Isso seriam boas notícias. Significaria que a actividade radioactiva do plutónio seria de baixa intensidade. Como o caro MHG apenas despeja umas quantas frases que julga bombásticas, não percebe que quanto mais curto é o tempo de decaimento mais intensa é a radiação. Os átomos de plutónio mais problemáticos não os de 250.000. São outros.

Acresce a toda essa lenga-lenga, que a concentração de plutónio em Fukushima é vestigial, como o é, relativamente a muitas outras substâncias tão ou mais perigosas que o plutónio, em muitos outros locais da terra. Mais, nem sequer se sabe (ainda) se esse plutónio é proveniente da central.

O MHG continua a rezar para que Fukushima se transforme em Chernobyl, mas tem azar. Não se transformou nem se vai transformar.

O MGH fala dos socorristas como poderia falar dos banhistas, Em Prypiat houve quem morresse em poucas horas por estar apenas a apanhar banhos de sol "apimentados". O silêncio foi mantido exactamente no período em que a central vomitava mais lixo. E assim foi porque o regime dos amanhãs que cantam se "preocupava" com as pessoas. Começou por parir centrais praticamente ao ar livre, colocou um maníaco do partido a chefiar as operações e ficou silencioso quando o bébé vomitou 30% das entranhas sobre a vizinhança. Tudo isto sem que a terra sussurrasse ou aa humidade se instalasse.

Fukushima vai ser um marco a favor do nuclear e vai permitir, para seu desgosto, que se tirem lições e conclusões relativamente a problemas nunca antes testados.

Vá-se habituando.

MHGonçalves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MHGonçalves disse...

"Que tem isso de relevante? O maremoto "desactivou" muita outra indústria. E com ela as pessoas que lá trabalhavam"

Fugiram esses trabalhadores ? não podem voltar as suas casas? o local de viver e trabalho tem um perimetro se segurança de 20 30 km? estão essas industrias a despejar aguas altamente radioactivas no pacifico? a resposta é Não, nada disso. Então as industrias reactivam-se ou constroiem-se de novo os trabalhadores não contraiem doenças por ai permanecerem e trabalharem ao contrario de fukushima. Encerrar, evitar viver nas proximidades. Ainda não viu o essencial da questão anda as voltas do perimetro, mais tarde ou mais cedo chega a conclusão evidente desde o inicio, alguns demora a perceber.

"Mais, nem sequer se sabe (ainda) se esse plutónio é proveniente da central."

Mau, mau, querem ver que o foram la despejar as escondidas como lixo nuclear ou então existe em estado natural na natureza o plutonio, barbaridades.



Deixa-los teimar.

RioD'oiro disse...

"Fugiram esses trabalhadores ?"

A maioria para o outro mundo. Alguns, andam ainda a monte e estão a ser procurados no mar. Se calhar atiraram-se ao mar com medo do plutónio.