segunda-feira, 25 de abril de 2011

Marinho e Carlinhos...



Do Porto um amigo de infância enviou-me mais uma vez um vídeo do inefável Marinho Pinto. Não tem muito a ver com o assunto, tanto melhor, mas vejam lá que ambos (eu e o meu amigo) ainda chegamos a ver ao vivo o Carlinhos da Sé (que Deus tem) a pavonear-se na Invicta entre a rua Escura e a rua da Banharia. O leitor que conheça bem o Porto, pergunta-se imediatamente - o que andariam a fazer dois jovens de Gaia com 13 anos de idade nestas vielas do pecado? Bem, não têm nada a ver com isso…

Para os que não conhecem o Porto (é triste mas acontece a muito boa gente) aqui vai uma curta descrição do Carlinhos, a referência por mim utilizada para situar a amizade no tempo: É preciso compreender que o personagem nos anos 60 era de longe mais famoso que o Pinto da Costa, tendo sido talvez a primeira grande bichona assumida da cidade do Porto, contribuindo à sua maneira para uma maior aceitação dos homossexuais na região do Porto.

Era vendedor ambulante de sutiãs e roupa interior e vestia normalmente um avental por cima de calças de terylene pretas muito justas à sua enorme peida de hermafrodita. Gabava-se publicamente de responder torto à autoridade quando a situação assim o exigia. (Hoje em dia o trivialzinho, mas em plena noite fascista um acto corajoso de resistência comparável às actuais descomposturas do advogado Marinho Pinto). Aos agentes da PSP que se atrevessem a cumprimentá-lo de forma demasiadamente informal, com um “Olá Dona Carlota”, imediatamente da sua garganta destemida mas cansada de tanto apregoar na praça e gasta pela passagem de muitos litros de bagaço, se ouvia uma voz rouca e inconfundível exclamar: “Boa tarde seu Caralho”. Em terra de mouros esta resposta pode parecer indecorosa, mas fiquem sabendo que nas imediações da Sé do Porto isto é perfeitamente aceitável…


Voltemos aos vivos, ao Marinho Pinto. Depois de ter visto este ultimo vídeo do advogado Marinho Pinto, enviei através de mail o seguinte comentário ao meu amigo: "O Marinho é um poeta ou um crente, que julga que corpo e alma são duas coisas inseparáveis, mas não são - dito por outras palavras, a classe política é o perfeito reflexo de nós todos".

A resposta do meu amigo Rui Rufino é contundente e mais precisa:

Estou absolutamente de acordo contigo. A classe política é de facto e apenas o reflexo de todos nós. No entanto, gajos como este, podem dar um abanão nas consciências, por muito pequeno que seja. Neste caso particular do Marinho Pinto, julgo que há uma situação original, ou seja: tens um tipo, detentor de um cargo não político de enorme visibilidade (bastonário da Ordem do Advogados, 2º mandato), que trata os bois pelos nomes, berra que o rei vai nu, casca nos juízes, "you name it".

Está na hora (já há muito tempo) dos intelectuais saírem do "Olimpo" do saber de onde só sabem criticar a ignorância das massas que de facto os justificam (a eles intelectuais), masturbando-se (é o termo) uns com os outros em mesas redondas televisivas, não fazendo uma piça para agitar e elucidar as massas de forma contundente, de forma clara e directa como a situação assim o exige. A generalidade dos detentores do saber faz lembrar os grandes escritores do século dezanove: o povo com as suas misérias dava-lhes a inspiração; no entanto escreviam uns para os outros; escreviam para as elites intelectuais. Se calhar é uma grande asneira o que disse atrás mas, é por estas e por outras que aprecio o Marinho Pinto.

29 comentários:

O-Lidador disse...

Viva CdR

O problema com os Marinhos Pintos, é o mesmo de sempre. São genuínos produtos da burguesia mas que se acham investidos da suprema missão de guiar o "proletariado".
Não se trata de um intelectual orgânico, pelo que a impetuosidade que tanto aprecias, eu vejo-a apenas como o mais vulgar populismo.
É um método, como qualquer outro, para ser eleito e obter o seu cargozito mediático, e um púlpito para debitar mais frases da "luta", fazendo-se ao aplauso de todos aqueles que, falhos da confiança de si mesmos, necessitam de um irmão mais velho que "diga as verdades".

P.S. O homem é uma besta e,oh iniquidade, um dos airbags do Sócras.

O-Lidador disse...

Ah, mas o texto está excelente!
A história do Carlinhos é saborosa e eu, que vivi no Porto, embora não nesses tempos, quase vejo as cenas narradas.

Paulo Porto disse...

Caro,
Este MP tem uma fona muito cunta.
Tem feito o que pode para desvalorizar o julgamento de pedófilos, tem feito muito para desvalorizar juízes que tem casos de J.Socrates.
Agora, faz o que pode para abafar o voto dos descontentes e desiludidos, já se imagina com que partido.

Streetwarrior disse...

Carmo, já tivemos uma troca de palavras neste sentido, quando eu disse que o não ir votar, era o melhor cartão vermelho que se podia dar a esta Elite, pois votar, de nada serve, desde a Esq á Drt, isto está tudo viciado, ambos os os lados, estão perfeitamente controlados pela mesma força.

...e ao contrario daquilo que muitos dizem que não votando ou votando em branco estão a dar força a esta gente e não podem reclamar de nada pois nem votar vão, é mentira, isso é a psicologia invertida que estas elites passam como verdade.
Quem vota é responsável por alimentar esta corja, pois sem o seu voto, eles já teriam sido postos a mexer.

Até a data do 25 Abril é uma data escolhida a dedo!...o pais está nas mãos de uma seita Mafiosaaaaaa até mais não e o Marinho Sabe-o...e faz o jogo.
http://espirra-verdades.blogspot.com/2011/04/25-abril.html

Carmo da Rosa disse...

Lidador disse: ”São genuínos produtos da burguesia mas que se acham investidos da suprema missão de guiar o "proletariado".”

Seja. Mas então já existe neste caso o que se pretende: uma considerável evolução. Porque este genuíno produto da burguesia já não é dos que incita o proletariado a enforcar os padres com as tripas dos patrões. Nem sequer, que eu saiba, encoraja a ditadura do proletariado, e ee ainda por cima descasca no Sócrates, acho que pedir mais seria já um abuso de confiança…

Lidador disse: ”…vejo-a apenas como o mais vulgar populismo.".”

Imagine-se eu e o Marinho Pinto julgados por populismo. A certa altura o Juiz pergunta – “então de que são acusados?”, e eu respondo – “Sr. doutor Juiz nós cá semos populistas”, imediatamente corrigido pelo Juiz, - “SOMOS…”. “Ai o Sr. Doutor Juiz também é?” pergunto eu agradavelmente perplexo…

Com tudo isto quero eu dizer que não estou disposto a exigir o absoluto (tão típico da esquerda) a toda a gente e contento-me com o possível. Não se pode exigir ao Papa que participe em desfiles de Gay Pride! Devemos dar-nos por muito satisfeitos se ele se lembrar de dizer que os homossexuais são também filhos de Deus e se respeitarem os devidos sacramentos da Madre Igreja vão direitinhos para o céu como qualquer outro cristão…

Carmo da Rosa disse...

Paulo Porto disse: ”Agora, faz o que pode para abafar o voto dos descontentes e desiludidos, já se imagina com que partido.”

….já se imagina com que intuito, penso eu de que?

O intuito pode muito bem ser que a malta não vote no Sócrates nas próximas eleições, já que o Marinho agora não o poupa…

Paulo Porto disse...

Caro CDR

Agradeço a correção do pretoguês.

Mas não concordo com a conclusão. O intuito é simplesmente o de desmotivar o voto dos descontes. Se tal acontecer, o voto dos "contentes" tem mais peso. Este "cara" tem mais buracos que um passador.

Carmo da Rosa disse...

Streetwarrior disse: ”... não ir votar, era o melhor cartão vermelho que se podia dar a esta Elite,.”

Mas o problema é que não se trata de Elite contra o povo ou vice-versa. Há realmente uma elite que merece um cartão vermelho, mas igualmente há um povo que merece um cartão vermelho. Mas também há uma elite que critica os governantes – que nem sempre correspondem à elite - desde longa data: Miguel Sousa Tavares, António Barreto, Medina Carreira, Filomena Mónica, etc, etc… assim como há gente do povo que critica os nossos governantes.

Streetwarrior disse: ”…votar, de nada serve, desde a Esq á Drt, isto está tudo viciado, ambos os os lados, estão perfeitamente controlados pela mesma força.”

Que tudo está viciado parece-me um tanto ou quanto fatalista, cheira-me a fado menor! Ou então? Quem será a tal força que tudo controla? Quero eu dizer, fora the usual suspects of course: Maçonaria, a Nova Ordem Mundial, a Bloomberg, o Clube de Roma e a Conspiração Judaica Internacional…

O-Lidador disse...

Bem, CdR, o populismo é isso mesmo: dizer umas larachas que a malta gosta de ouvir, para ir mantendo o seu púlpito.
Mas, como eu conheço outras facetas do biltre, não compro o bacalhau que apregoa.
Não gosto de pregadores e para profetas do óbvio, já cá temos o Professor Bambo.

Quanto à espatafúrdia teoria do SW, está de acordo com a prodigiosa sageza que o caracteriza. O cromo ainda não percebeu que só contam os votos expressos, pelo que quem vota em branco está pura e simplesmente a eleger aqueles contra quem protesta.
É este tipo de "inteligentes" que fazem a nossa paisagem. Merecemos a merda em que estamos metidos...

Streetwarrior disse...

"" pelo que quem vota em branco está pura e simplesmente a eleger aqueles contra quem protesta.
É este tipo de "inteligentes" que fazem a nossa paisagem. Merecemos a merda em que estamos metidos... ""

Sim pode ter uma certa razão no que diz mas a culpa não é minha, é o sistema de contagem que tem que ser revisto, pois por essa lógica, tanto culpado sou eu que voto em Branco, por não não me rever ou concordar com nenhum partido actualmente, eu e milhares de pessoas, como aqueles que votam sempre na mesma merda, sejam eles quem forem mantendo o sistema de eleições inalterável.

É que aqueles que aceitam que um presidente ou 1º Ministro seja eleito com uma percentagem baixíssima de votos, sendo a abstenção e os votos em Branco uma grande percentagem e sempre a aumentar sem piar, sem o mínimo ruído, esses no seu ver não são culpados?...os que votam num fulano que logo no 1º dia após ser eleito lhes troca as voltas fazendo o oposto do que prometeu em campanha, sem piarem, esses não são culpados?

Oh Lidador....tá bem.

O-Lidador disse...

"voto em Branco, por não não me rever ou concordar com nenhum partido "

E isso resolve o quê, precisamente?
Se vota em branco, não elege ninguém.
Que porra de solução é essa?
Quem fica a mandar?

Não seria melhor, já que se acha tão superior a todos os que se apresentam a eleições, formar o seu próprio partido de gajos do caraças e ir a votos?

Streetwarrior disse...

Lidador, não me sinto superior a ninguém, ou agora está a querer passar que quando alguém não se revê em ideais dos outros é por se achar superior....mas que raio de mentalidade é essa?

"" E isso resolve o quê, precisamente? "

Resolver? Mas a minha função não é resolver...para essa função estão aqueles em quem se vota, eu como não vejo competência em nenhum, não voto...tenho esse direito?

Só falta agora o lidador ser apologista que ao invés de em branco devemos votar na melhor das piores pessoas...será isso que me está a tentar dizer que é o dever de todos nós?

Streetwarrior disse...

Além do que, deve saber perfeitamente que formar um partido na actual plutocracia, não é assim tão fácil...é que podemos até conseguir as assinaturas mas depois, a C.Social que está ao serviço dos 2 maiores partidos ou não lhe dá exposição mediática nenhuma ou então ridiculariza-o...ou seria eu o 1º a tentar formar 1 partido e a passar por isso?

O-Lidador disse...

"para essa função estão aqueles em quem se vota, "

Mas se advoga o voto em branco, quem são "aqueles em quem se vota"?

Pondo a coisa simples: no final do seu inteligentíssimo processo,quem fica a mandar?

O "branco"?

RioD'oiro disse...

SW:

"Resolver? Mas a minha função não é resolver...para essa função estão aqueles em quem se vota,"

Streetwarrior delega a resolução sobre em quem deve votar ... naqueles que serão eleitos.

Isto compõe-se.

Streetwarrior disse...

"" quem fica a mandar? ""
Por mim, nenhuma canalha destas...A Bélgica tem governo inteligente criatura?...e o pais parou?
Mas ok...eu sei que em democracia temos que respeitar a maioria...vá, pronto, eu não quero ser o responsavél por rebentar a sua bolha de felicidade democratica...vá lá por a sua cruzinha.

Em relação ao sentimento de superioridade ...adorei o texto do activista morto...que supremacia moral homem, é um espanto! LOL

"" Streetwarrior delega a resolução sobre em quem deve votar ... naqueles que serão eleitos.

Isto compõe-se.""

O Marinho é o próprio a dizer que o nosso voto não serve para nada mas isso passa-lhe ao lado...a si, a triste ilusão que se o deixarem por lá a cruz, é que é o importante!!

Sim sim...compõe-se a mesma merda há trinta e tal anos.

E já agora...diga lá o que posso eu resolver sozinho, a não ser o meu paradigma?

Eu sei que para vocês, escolher da me##a a melhor, deixa-vos suf felizes...e eu é que sou o responsável pela manutenção desta canalha....tá bem tá.

Tivemos um presidente eleito com 17% de votos...e tudo a assobiar para o lado.

Streetwarrior disse...

Então vocês que gostam tanto do Medina Carreira, não o entendem quando ele diz que o voto não serve de nada actualmente...então, para quê andar a fazer figuras parvas?

Quando vocês pararem de votar, talvez esta merda descambe toda e se pense em novas estruturas de eleição.

RioD'oiro disse...

SW:

Como eu afirmei,

"Streetwarrior delega a resolução sobre em quem deve votar ... naqueles que serão eleitos."

Foi você que defendeu a ideia, não foi Marinho.

Anonimo disse...

“o voto não serve de nada actualmente...então, para quê andar a fazer figuras parvas?

Oh seus apoliogistas defensores do não ir votar, para que queremos então a democracia, se a democracia se traduz em escolhas através do voto, a legitimidade dos eleitos deriva dai, e não de outra origem como no passado, nas monarquias era de origem divina, ou na força no caso das ditaduras, porque não então fazer a apologia das ditaduras, dispensam e bem o voto.

O voto só legitima os governantes no poder, não é um certificado de garantia de quem vai governar, não é um certificado de desenvolvimento, mas se não gostarmos ou se escolhemos mal podemos apea-los antes ou no minimo ao fim de quatro anos, nas ditaduras é que se mantem la indefinidamente.

Carmo da Rosa disse...

anónimo disse: "O voto só legitima os governantes no poder, não é um certificado de garantia...."

Precisamente. Nunca estive tão de acordo com um anónimo.

Carmo da Rosa disse...

Streetwarrior disse: ”A Bélgica tem governo inteligente criatura?...e o pais parou?”

É verdade que a Bélgica já não tem governo há uns meses, mas também é verdade que o país (de certo modo) parou. Porque o ex-governo, juntamente com os funcionários dos ministérios, não estão autorizados a decidir sobre medidas importantes, apenas podem gerir assuntos pendentes…

Streetwarrior disse: ”O Marinho é o próprio a dizer que o nosso voto não serve para nada mas isso passa-lhe ao lado...”

O Marinho diz algo muito diferente! Diz que o voto é tão importante que os eleitores deviam servir-se dele para pressionar os governantes, votando em branco… É claro que a coisa só funcionaria se uma parte considerável dos eleitores seguir o conselho do Marinho.

Streetwarrior disse: ” Então vocês que gostam tanto do Medina Carreira, não o entendem quando ele diz que o voto não serve de nada actualmente..”

Nao serve de nada ACTUALMENTE, com estes partidos, quer ele dizer. Convém citar o Prof. como deve ser…

Streetwarrior disse...

Anónimo, também estou de acordo...se reparar nos comentários anteriores, eu menciono que voto...mas em Branco, o que não é o mesmo que não votar.
Também não concordo que apesar de não me rever em nenhum dos políticos actuais, devemos sempre ir votar...nem que seja fazer uns corninhos na cabeça dos gajos e tal e mandar umas piadolas nos boletins para fazer o dia do pessoal das mesas de voto.

Dizer que não serve de nada votar, foi apenas uma expressão de que o voto para mim, ACTUALMENTE não conta para nada

Anonimo disse...

"Precisamente. Nunca estive tão de acordo com um anónimo."

É pá, ja estou em desacordo, fosga-se la para estes racistas. O comentario nem era para ele.

J J R disse...

Apenas uma pequena rectificação: ão é rua da Banharia (não tem nada a ver com banhas nem com banhos) mas da Bainharia porque nessa rua se faziam bainhas para espadas.

Des Contente disse...

Parabéns por ter recordado uma figura da cidade, a D. Carlota conseguia "dominar" Santos Júnior o comandante da PSP do Porto no antes 25 de Abril, por várias vezes o Carlinhos da Sé foi conduzido ao aljube identificado e ameaçado, a primeira vez por ter a ousadia de vestir saia, acto que não voltou a repetir, das outras por andar de avental, coisa que no entender do senhor comandante indiciava mau porte.
Relembro que estamos a falar de um tempo em que um travesti marroquino que actuava no Dancing América foi posto na fronteira pelo senhor comandante da PSP sem ida a tribunal.
Relembro O Carlinhos e o respeito que lhe dedicavam as gentes da Sé, respeito e carinho que geravam autenticos levantamentos populares se alguém tentasse incomodá-lo.
Há dias conversando com um amigo no velho Java disse-lhe em tom de brincadeira, "fala-se tanto do lobby gay e ainda não fizeram uma homenagem e um busto ao Carlinhos da Sé", respondeu-me esse amigo, "é que o Carlinhos não era gay, era paneleiro".
E é verdade, a diferença reside na forma de adjectivar devido ao extrato social, pela mesma razão o pobre é bêbado e o rico está alegre.
Quanto ao Marinho Pinto, muita coisa se diz do causídico, a maioria das vezes sem pensar porque razão ele foi eleito e reeleito,as suas intervenções incomodam muita gente, diz mentiras? Acho que não.

Carmo da Rosa disse...

Interessante o seu comentário. Também é do Porto e provavelmente da minha geração!

Mande sempre e um excelente ano.

Des Contente disse...

Possivelmente Carmo da Rosa, eu nasci em 53, morei dos 5 aos 29 na Rua Augusto Rosa/Porto.
Sobre o Carlinhos da Sé, dei umas voltas pela zone histórica e arranjei a foto dele, estou a tentar angariar mais alguns elementos, abraço.

Carmo da Rosa disse...

Pois eu nasci em 51 e vivi em Gaia (bairro do Cedro) dos 9 aos 19.

Carmo da Rosa disse...

Não sei porque razão, mas este seu último comentário não apareceu na caixa de comentários:


Ahahahah…
Muito possivelmente cruzamo-nos pelo Cedro, eu namorisquei por lá na minha juventude, no tempo em que se faziam uns bailes numas garagens das quatrocentas, ainda mantenho algumas amizades com gente de lá, a Cristina que era familiar de alguém do Mon’Ami, o Fonseca que casou com ela e agora está em Inglaterra, o Miguel que trabalhou no Banco Espírito Santo casado com a Manuela Marques, as Clementes, etc. …
Bons tempos, eu andava com um grupo que incluia o Oscar Branco, que por acaso é mulato, o actor.
Depois de muitas voltas resido agora no Lugar da Rechousa/Canelas.
Vou tentar arranjar mais informação sobre o Carlinhos, depois dou novidades, abraço.


"Muito possivelmente cruzamo-nos pelo Cedro"

Muito possivelmente, apesar de não me lembrar das pessoas que cita, mas já lá vão 40 anos. Mas comi muitas vezes no Mon Ami: as melhores tripas enfarinhadas do Norte do pais e arredores. Vou dar isto a ler a malta que ainda vive no Cedro a ver se eles se lembram!

Mas leia isto que tem muito a ver com locais e com o Cedro da sua época:

http://fiel-inimigo.blogspot.com/2012/01/maconaria-deficiencia-psiquica.html

e depois diga-me algum a coisa.