segunda-feira, 4 de abril de 2011

Modernidade-escravidão

Zita Seabra:
Legaliza-se, desdramatiza-se, banaliza-se o que nunca pode ser banalizado, relativiza-se a vida humana. Qual é o problema? Diziam que o importante é impedir a culpa e viver feliz cada momento sem memória e sem futuro. Neste caminho moderno e descomprometido, tudo se torna descartável e efémero, até os afectos à vida humana. Duas noções desaparecem da vida e da sociedade portuguesa: a noção de responsabilidade pessoal de cada um perante si próprio e perante os outros; e a noção da felicidade da gravidez, a responsabilidade única de dar vida.

1 comentário:

j disse...

Zita Seabra = a voz dos donos, só que foi mudando de donos.

Mas diz hoje uma coisa como anos antes disse o contrário, com a mesma convicção. E depois fala em responsabilidade pessoal