sexta-feira, 1 de abril de 2011

Portugal, democracia de sucesso..... em 1991



Recebi de amigos e através de mail este discurso de um tal dr. Marinho Pinto com esta introdução "Há sempre alguém que resiste", mas sem outra referência sobre a pessoa! É que a nossa gente, não há nada a fazer, continua convencida de que somos o centro do Mundo e que de Lisboa a Vladivostok toda a gente sabe quem é o dr. Marinho Pinto...

De qualquer forma, não foi muito difícil saber quem é a pessoa através da coisa que há muito substituiu o cão como melhor amigo do homem - Google. Creio que tão cedo não vou esquecer a pessoa. O que reconheci imediatamente foi a frase retirada de um poema de Manuel Alegre:

Mas há sempre uma candeia
dentro da própria desgraça
há sempre alguém que semeia
canções no vento que passa.

Mesmo na noite mais triste
em tempo de servidão
há sempre alguém que resiste
há sempre alguém que diz não.

À grande Marinho Pinto! Que tomatões!

11 comentários:

RioD'oiro disse...

http://www.youtube.com/results?search_query=trova+do+vento+que+passa&aq=f

Joaquim Simões disse...

Carmo da Rosa:

Nem tudo o que luz é ouro...

http://aperoladanet.blogspot.com/2009/06/bastonadas-1.html

http://aperoladanet.blogspot.com/2009/06/bastonadas-2.html

Abraço.

Carmo da Rosa disse...

Peço imensa desculpa mas não respondo a http(ês), só a argumentos pessoais. É a mesma coisa que falar com um respondedor automático, não consigo...

Joaquim Simões disse...

Carmo da Rosa:

Se deixei aqui os links foi porque apontam para dois posts, com algum volume de texto, que publiquei há quase dois anos sobre essa, a meu ver, estranha personagem que é o sr. Marinho Pinto. Não me pareceu que fizesse sentido reproduzir tudo aquilo numa caixa de comentários.

Carmo da Rosa disse...

JS disse: "...reproduzir tudo aquilo numa caixa de comentários."

É evidente que não espero um artigo, mas uma pequena introdução, que é para eu depois decidir se sim ou não vale a pena ler um longo artigo!

Exemplo: 'o gajo cheira mal da boca e tira macacas do nariz para as colar debaixo da mesa - mais detalhes ver este link.'

Não custa nada e a coisa é bem mais agradável...

Joaquim Simões disse...

Carmo da Rosa:

Ok! Então lá vai: "O Marinho Pinto cheira mal dos pés, tem o cu cagado!", como no estribilho infantil.
Agora, se ele me processar por injúrias, eu digo que o verdadeiro culpado vive na Holanda.
Mai'nada!

Joaquim Simões disse...

Carmo da Rosa:

A sério, o homem é, pelo que pretendo fazer notar, um oportunista do pior, dá uma no cravo e outra na ferradura, conforme o que convier ao poder, no caso o sr. engº que chegou a primeiro-ministro.
Cheira mal e não é dos pés nem do cu. É por todòlado.
Agora, se quiser ler, leia.

Carmo da Rosa disse...

Caro Joaquim Simões, quando eu dei como exemplo que o bacano cheirava mal da boca, era apenas isso mesmo, um exemplo!

Na realidade esperava na resposta que você em duas frases conseguisse dizer algo de mais concreto do que: "um oportunista do pior, dá uma no cravo e outra na ferradura".

Eu, a 2200 km do local do delito, só posso julgar aquilo que vejo! E o que vi, defronte do Presidente da Republica, não vejo (através da Internet) diariamente em Portugal.

A vida privada ou o passado do bacano, tem para mim, tão distante, a mesma importância que as eleições no Sporting Clube de Portugal.

Joaquim Simões disse...

Carmo da Rosa:

Naturalmente, estava a brincar. Mas o seu sentido de humor, que muito aprecio, parece tê-lo abandonado temporariamente.
Quando lhe disse que o sr. Marinho Pinto denota um comportamento que, quanto a mim, tem muito de oportunismo, não estava referir-me ao passado, mas ao que ele revela NO PRESENTE, independentemente do que o tenha ouvido dizer frente ao sr. Presidente da República. Para saber das razões por que o afirmo, baseado em declarações que ele fez DESDE QUE ASSUMIU AS FUNÇÕES DE BASTONÁRIO, ISTO É, DESDE HÁ TRÊS OU QUATRO ANOS, MAIS OU MENOS COINCIDENTE COM O PERÍODO GOVERNATIVO "SOCRÁTICO", terá que ler os textos que lhe indiquei. Não há outra forma, caramba!, a não ser que transcreva aqui o que escrevi lá.

Joaquim Simões disse...

Carmo da Rosa:

Quanto às eleições no SCP, isso é... bem, isso é a costumada maledicência invejosa do início da 2ª circular!
:)

Carmo da Rosa disse...

Joaquim Simões disse: “.....independentemente do que o tenha ouvido dizer frente ao sr. Presidente da República.”

Eu não ouvi dizer, eu vi imagens a mexer na presença do Presidente da República. De qualquer maneira, o que eu quero dizer, é que ficaria bastante contente se todos os OPORTUNISTAS de Portugal continental tivessem pelo menos uma vez na vida a ousadia de fazer um discurso deste tipo.

Do meu ponto de vista este acto equiparasse ao sacramento da confissão, ou seja, através dele o bastonário ficou imediatamente ilibado dos anteriores pecados – que você lhe imputa mas que eu desconheço...

O bastonário, por muito que lhe custe a si, faz agora parte de

aqueles que por obras valorosas
Se vão da lei da Morte libertando,