terça-feira, 24 de maio de 2011

De mais um profeta

A Europa fina e socialista não é capaz deixar de encarar como seres superiores, profetas, todos os seus dirigentes quer na qualidade de efectivos quer na de promitentes.

E lá voltaram umas quantas caras pálidas a acusar os americanos, bushistas, certamente, de terem engavetado Dominique Klaus-Kahn como um reles proleta. Não se trata de discriminação, mas de respeito pela decência. Sim, a decência, porque a estatuetas voadoras apenas Berlusconi tem direito.

Entretanto parece que o profeta tinha uma milhõezitos de dólares para comprar a espera de julgamento fora das grades. Provavelmente irá também, como qualquer dirigente socialista que se preze, negociar o preço final da queca, mesmo que na forma tentada. E tudo será pelo socialismo "dos valores", em particular "dos valores e dos direitos do género" encarado como "direito".

Sem comentários: