sábado, 25 de junho de 2011

Cem anos de feriado de S. João

No Estado Sentido
[...] 

Não deixa de ser irónico que, em plena República laicista e com assomos jacobinos, tenha sido o Santo que baptizou Cristo a nomear um feriado criado por iniciativa de um organismo republicano, mesmo que as festividades fossem sobretudo pagãs. Em todo o caso, é graças a esse referendo municipal de há cem anos que hoje em dia podemos festejar o Baptista e a chegada do Verão, sabendo que no dia seguinte se pode sempre recuperar das mazelas.

11 comentários:

José Damião disse...

"mesmo que as festividades fossem sobretudo pagãs."

Ah, eu bem sabia que nunca explicam como as coisas são, quem se aproveitou foi a igreja tornando festividades pagãs em religiosas com nomes de santos depois de ser considerada religião oficial do imperio romano por constantino. Desse modo procurou não hostilizar as festividades pagas e atrair os pagãos dando-lhe um cunho religioso e não o contrario.

RioD'oiro disse...

JD:


"quem se aproveitou foi a igreja tornando festividades pagãs em religiosas com nomes de santos"

Segundo explicado no original, não foi como o caro JD refere na dada em causa.

O JD mistura alhos com bugalhos e trás à liça uma cena do passado mais distante esquecendo outras, ainda mais distantes, em que festividades eram abocanhadas, consoante as épocas, pelos poderes, habitualmente religiosos, nas respectivas épocas.

O artigo em causa, em meu entender, explica e bem, que as festividades não tiveram origem à data em causa mas algures no passado longínquo e que, àquela data, apenas um dos abocanhamentos teve lugar.

José Damião disse...

E da-lhe. O "s. joão" era uma festividade que sempre existiu e era pagã, (factos). Não me interessa os abocanhamentos como lhe interessam a si, não sou cão de fila. Interesssa-me por que se passou a chamar s. joão com cunho religioso caindo sobre uma festividade paga e se mantem assim. Não é exemplo unico de festividades pagas passadas a cunho religoso.

RioD'oiro disse...

Caro JD,

Você pode interessar-se por aquilo que quiser mas não pode fugir com o traseiro à seringa.

O que lhe interessa neste momento não é mais que uma fuga para a frente depois de ter percebido que mais valeria ter ficado calado.

No Estado Sentido afirma-se que a festa em causa não tem 100 anos porque tem origem na bruma dos tempos esclarecendo os pormenores sobre a última metamorfose que a abocanhou em festejos municipais.

Como que querendo fazer de conta que o único real abocanhamento foi o da religião católica, o JD aparece em campo. Já com a seringa onde entender, afirma agora que os restantes abocanhamentos não lhe interessam porque são factos.

Pois claro que são factos. E só o descobriu depois de ter afirmado que "quem se aproveitou foi a igreja"?

José Damião disse...

E da-lhe.
O "s. joão" era uma festividade que sempre existiu e era pagã,

Ainda não percebeu isto fosga-se.


Quem transformou o s. joão em feriado foi a população do porto por referendo, iniciativa do JN irra, alias havia duas propostas e foi escolhido o s. joão.

Mas voce pensa que tenho pachorra para aturar cães de fila. au au au

RioD'oiro disse...

"Quem transformou o s. joão em feriado foi a população do porto por referendo,"

E você, celebra o S. João por causa do papel de embrulho ou por causa da festa?

Leia o texto original e veja a figura de idiota que tem estado a fazer.

José Damião disse...

A festa não me diz nada o idiota .

A festa era pagã irra, a determinada altura, a igreja quis apagar os resquícios deste paganismo como o nome de joão, não existia feriado, et voila festejava-se e não se mandriava, há locais onde se festeja o s. joão e não é feriado.

Foi escolhido esse feriado associado a essa festa em vez de outra associada a outro evento para mim é indiferente que o povo do porto tenha decido assim e não assado.

Au au au

RioD'oiro disse...

A festa era pagã e já foi pagã de muitas formas. E daí?

A igreja católica abocanhou a festa. E daí? Alguém disse que não?

No original diz-se:
"Nos cartazes relativos às festas de S. João deste ano colocados pelo município surge uma novidade: os cem anos da festividade oficial. Em bom rigor, as festas joaninas comemoram-se há séculos, com a justaposição da homenagem cristã ao Baptista às festividades pagãs do solstício de Verão."

A única razão para você vir para aqui largar bostas parece ser o facto de se sentir apertado.

Não tem nada para dizer, dá liberdade ao olho do cu na esperança de acertar. Foi uma boa decisão porque duvido que com o seu cérebro conseguisse melhor.

José Damião disse...

É pá voce quantos neuronios usa para pereber o que os outros lhe dizem? e vem meter-se em conversas que não entende.

Ora veja la, alguém disse

"mesmo que as festividades fossem sobretudo pagãs."

Ou seja eu falo da natureza das festividades que tinha uma natureza pagã, as festas juninas a celebração do solsticio etc etc etc. Uma instituição a igreja, aproveitou para mudar essa natureza, tranformando-a em religiosa associada ao nome de um santo.

O que sera que não percebeu?

Ah deve ser isto, com a queda da monarquia, a republica decide que todos os municipios tem direito a um dia por ano de feriado municipal, o qual podem escolher, o porto decide escolher o S. João. Alguem escreve um post e diz: ah um feriado, ah um nome religioso, aproveitado pelos jacobinos Ah! Ah! Ah!. Como então antes também tinha sido a igreja a aproveitar-se também mudando a natureza das festividades e dai, E eu não sendo religioso não posso celebrar o S. João como as festas juninas ou a celebração do solisticio de verão no hemisferio norte, na sua natureza inicial sem abocanhamentos. Era o que faltava ter que aturar estes mentecaptos que vinculam as coisas a religião ou a sua ideologia, comentario apos comentario so mostram que não conseguem entender nada do que lhe dizem. É que estes festejos não são só de portugal e de catolicos mas festejam-se no norte da europa dinamarca, estónia, finlândia, letônia, lituânia, noruega e suécia , irlanda, reino unido , frança, itália, malta, portugal, espanha, ucrânia,.

Pequeninas mentes, se no porto é feriado não foi a população do porto a mudar a natureza dessa festividade, so adicionou um feriado a seguir a essa festividade, noutros sitios por exemplo não existe tal.

Au au au.

RioD'oiro disse...

JD.

Leia o original e deixe-se de fazer figura de parvo.

José Damião disse...

Au au au