quarta-feira, 1 de junho de 2011

Dos farro-acampados II

Hoje, por volta das 9:30, eram 5 os farro-acampados do Rossio e, pasme-se, à excepção de 1, estavam todos acordados.

Em boa verdade, pareceu-me serem 4 por que me pareceu já terem sido infiltrados por um tenebroso e desenfreado bushista ultra-neo-liberal (o captalismo não perdoa): um vendedor de chapéus de chuva, esse que sim, malandro, ainda dormia. Ao que parece, já há comércio à boleia do movimento dos anti-semitas e salvadores da galáxia.

É interessante porque o lancinante apelo ao fornecimento de papel higiénico indica que os anti-semitas se incompatibilizaram com o comércio local, não sendo claro se por gastarem demasiado papel se por espantarem os clientes com a sua carapaça de 'bronze'.

Sem comentários: