quinta-feira, 16 de junho de 2011

Mastúrbios VIII - A magistrada por acaso estava lá

Lê-se no site dos indignácaros:
Sónia Maria, 39 anos, magistrada na Pequena Instância Cível, contou que no dia 4 de Junho estava num café do Rossio com uma amiga quando um amigo lhe disse que estava a haver uma carga policial na zona.
A magistrada estava por acaso num café e, por acaso, soube que estava a haver uma carga policial e, por acaso, chegou a tempo de ver o início do que já estava a ocorrer quando ela ainda estava, por acaso, no café.

Isto promete e lembra isto.

7 comentários:

Carlos Alberto disse...

Por acaso quando ouvi a noticia na SIC N achei que havia ali qualquer coisa de errado na questão temporal. Se a senhora estava no café e teve conhecimento do acontecido como é que pode testemunhar o que (não) viu enquanto estava no café? Ou será que é um testemunho indirecto, quem viu foi o amigo dela mas que não é magistrado. Ela COPIOU o que o amigo viu, será isso?

Streetwarrior disse...

Oh Grande e intelectual Amo, senhor da posição inabalável, dono da razão e do saber inquestionáveis....fico espantado com a sodomia do meu Amo, senhor de altas posições morais em se espojar diariamente por aquele site, debitando comentarios atrás de comentários, para que a Plebe se vergue e finalmente lhe faça a devida vénia.

..e não fazem pá !..não há direito.
Já deviam ter reconhecido a sua superior moral e aceitado que aquilo que o Amo diz e escreve, deve ser Lei.

...Porque perde seu tempo meu Amo?
..e em quase todos os Posts?...Será necessidade de afirmação?
Não quero querer meu Amo...O meu Senhor não é Mortal, como pode?

RioD'oiro disse...

http://oinsurgente.org/2011/06/17/da-democracia-verdadeira-a-tirania/

É claro que os “acampados” do Rossio representam apenas uma franja radical do movimento de Março, aliás mais inorgânico do que parece. Mas ontem todos vimos o que aconteceu em Atenas e Barcelona, onde iniciativas semelhantes acabaram na tentativa violenta de impedir o funcionamento da democracia parlamentar. E o que vimos em Atenas e Barcelona não foi “o povo nas ruas”, foi um bando de arruaceiros que, arrogando-se um mandato por ninguém concedido, se autoproclamou porta-voz do povo. O mesmo povo que votou nos deputados que os arruaceiros cobardemente insultaram, atacaram e tentaram impedir de entrar no Parlamento.

Os cínicos (como eu) dirão que estes factos exaltantes mostram o risco de se mitificar abstracções como “o povo nas ruas”, muitas vezes à conta de uma não menos lendária democracia directa. Porque os cínicos já sabem o que vem a seguir. Quando uma minoria de iluminados se arvora em vanguarda do povo e verdadeira intérprete da vontade popular, não recuando perante a violência para convencer os incréus, o resultado é sempre a tirania. Foi assim na Revolução Francesa, foi assim na Alemanha nazi, foi assim em todas as revoluções comunistas. E ia sendo assim no PREC português: o cerco da Constituinte, promovido ou tolerado por um PCP que se recusou a aceitar o veredicto das urnas em nome do “povo”, da “revolução” e do “socialismo”, tem óbvias semelhanças com o que sucedeu ontem em Atenas e Barcelona. A diferença é que estava mais organizado.

RioD'oiro disse...

http://oinsurgente.org/2011/06/17/da-democracia-verdadeira-a-tirania/

"A diferença é que estava mais organizado."

Genta rasca. Indignácaros.

RioD'oiro disse...

Caro Stretwarrior,

Esse 'seu' desabafo, em jeito de comunicado, deu direito a reunião de comité central do conselho revolucionário por quantas horas?

Foi aprovado por maioria, por votação, por aclamação, por unanimidade? E a populaça, teve direito a entrar ou ficou apenas a indignácara nata?

Streetwarrior disse...

Não teve porque ainda não lá pos os fanquespor não ter tido ainda oportunidade e como tal, não posso falar mal daquilo que ainda não vi...já lá foi?
Fala com tanta certeza do radicais que por lá andam.

Por outro lado, será que a magistrada também é radical?...ou fará parte dos "espojados " que por lá andam ? dormirá por lá?...teria sido a voz e os direitos de outra pessoa agarrada no pescoço pelo Policia, levados tão em conta?...é este o estado democrático que tanto advoga para que a sua legitimidade não seja posta em causa por meia duzia de espojados?

Acho engraçado é os seus comentários por lá, invocando a falta de conhecimento histórico e de cultura que os mesmos têm e não se cansa de o frequentar, mesmo sem que lhe deêm qualquer tipo de resposta.
será necessidade de auto-afirmação?

RioD'oiro disse...

SW:

"já lá foi?"

That's the 1.000.000 dollar question. É-me feita repetitivamente.