quarta-feira, 6 de julho de 2011

Esse esqueleto não é meu XV

O fim da ligação Porto-Vigo e a incompetência extrema da CP
Porto e Vigo distam cerca de 120 km. A CP «consegue» ter um serviço de automotoras que liga as duas cidades em 3 horas, uma média de 40 km por hora. No final do século XIX, com locomotivas a vapor a viagem conseguia-se fazer por metade do tempo.

13 comentários:

José Damião disse...

Ah bem. É bom que se privatize, para não serem os contribuintes a suportar o prejuizo. Depois quero ver como a AIP vai rentabilizar a linha, com um prejuízo de 232 mil euros por ano na ligação Porto-Vigo, e que levam a CP a "suspender" o serviço entre Valença e a cidade galega. Entre Valença e Vigo viajam anualmente 15.500 passageiros - uma média de 11 passageiros pagantes por comboio diz a cp não chega a um autocarro. Noa anos 70 havia varias linhas exploradas com sucesso eu viajava numa delas, fechou nos anos 80 devido a falta de passageiros porque os expressos tiraram a clientela a cp e os automoveis particulares ajudaram na mesma medida, as linhas fecharam as populaçoes protestaram mas não as utilizavam queriam é que estivessem abertas mesmo que não tranportassem ninguém. A moda passou a a gente habituou-se. É bom que os privados peguem nesses negocio e invistam nele e o rentabilizem sem precisar do estado para os ajudar e verem se conseguem por as pessoas a ocupar os comboios como no passado.

Msa não é so esta linha dizem:

“Os 232 mil euros de prejuízo na ligação Porto-Vigo são, porém, uma gota de água comparados com os dois milhões de prejuízos anuais da ligação Lisboa-Madrid e dos quase sete milhões de euros de prejuízos do Sud Expresso (Lisboa-Hendaya). José Benoliel, presidente da CP, disse ao PÚBLICO que a empresa não aguenta estes encargos financeiros e que está, com a Renfe, a encontrar uma solução conjunta que permita minimizar estes custos "sem pôr em causa a manutenção destas ligações".

analisedasemana disse...

Mas é melhor fechar a linha, ou re-animar a linha? O importante aqui acho que é saber, se tem ou não mercado? E estudo de mercado? Se fosse a 80km/h tinha mercado? E se fosse 240? Tinha mercado?

RioD'oiro disse...

É prerrogativa do estado dar prejuízo.

"porque os expressos tiraram a clientela a cp e os automoveis particulares ajudaram na mesma medida"

Porque o serviço da CP era tão mau e caro que os expressos tomaram conta do negócio.

Assim é, relativamente ao pendular que apenas subsiste graças à limitação de velocidade nas auto-estradas. O pendular custa sensivelmente o dobro do transporte rodoviário.

As contas têm que passar a ser o que são. Os custos reais têm que ter o peso que devem ter. O contribuinte não pode estar sistematicamente a ser chamado a pagar as brincadeiras dos peritos em social ... sob pena de serem os mais pobres os primeiros a passarem fome. Isto tem que ser assim para os futebois, para os transportes, para o BPN-BCP-BPP-CGD, RTP, etc.

A primeira vergonha deste governo foi ter recuado quanto à RTP. Ninguém a compra? Fechem-na.

RioD'oiro disse...

"E se fosse 240? Tinha mercado?"

Que quem decide arrisque o seu dinheiro.

RioD'oiro disse...

"E se fosse 240? Tinha mercado?"

E os autocarros têm mercado?

José Damião disse...

“Mas é melhor fechar a linha, ou re-animar a linha?”

Boa pergunta, mas como ja disse nas actuais circunstancias não é possivel fazer isso, porque a questão subjacente não tem a ver só com má gestão da cp, mas com factores externos, que tem a ver com questoes demograficas. Despovoamento do interior deslocação dessas populaçoes que não voltam, a não ser em ferias, aquisição de novos habitos e qualidade de vida como automovel próprio para se deslocar e boas condiçoes de rodovia que permitem facil acessos automoveis, isto a nivel particular, depois a nivel de empresas de camionagem, nos anos 70 faziam ligação a cp e a cp completava o resto do percurso as estradas eram más, a partir do anos 70 passaram a fazer concorrencia a cp ou seja empresas de camionagem locais concelhias que faziam a ligação a ferrovia, passaram fazer expressos para qualquer local do pais e estrangeiro que fosse rentavel, eu tenho um vizinho que faz todas as semanaas viagens para paris com expressos lotados e dentro do pais igualmente, todos estes factores liquidaram parte da clientela da ferrovia. Por isso deve ser privatizada e os privados reanima-la se forem capazes sem pedinchar subsidios ao estado nem os contribuintes suportarem esses prejuizos, os privados é logico que se não der lucro fecham logo, mas, não devem ser os contribuites a manter ligações só porque no passado existiram e foram rentaveis mas agora já não são rentaveis, embora nós as queiramos abertas porque sim. De resto a ligação porto-vigo, esteve quase a ser interrompida em 2005, foram protestos em espanha que obrigaram, então, a cp a recuar.

RioD'oiro disse...

Caro José Damião,

Haverá todas as explicações possíveis e imaginárias que justifiquem que não haja clientela.

Pode haver as explicações possíveis e imaginárias para que a velocidade média seja de 40Km/h, como por exemplo - não matar mosquitos.

Uma coisa é certa. Nos dias de hoje e no percurso em causa (nos Himalaias seria diferente), uma marcha à velocidade média de 40Km/h é suficiente para matar a coisa.

Repare, aliás, que métodos alternativos de transporte florescem e parece difícil acreditar que as condicionantes sejam substancialmente diferentes entre os casos.

RioD'oiro disse...

Caro José Damião,

... no fulcral concordo consigo, com o acessório não valerá a pena perder muito tempo.

José Damião disse...

“... no fulcral concordo consigo, com o acessório não valerá a pena perder muito tempo. “

Concorda comigo quando faz um post partindo de permissas totalmente diferentes e opostas das minhas. Oh oh oh.
Dedique-se a faxina

RioD'oiro disse...

JD,

Experimente ler o post e ler o que lá está escrito por oposição ao que vai na sua cabeça.

Já agora, uma das razões porque se não privatiza a tempo e horas prende-se com a necessidade de matar completamente o projecto não vá dar-se o caso do privado conseguir rentabilizar e ficar assim aberto um "grave" precedente.

Concorda com esta ou também há "permissas"?

José Damião disse...

Dedique-se a faxina de vez.



Ja agora convem esclarecer quem não sabe que o que foi encerrado foi troço valença vigo,( embora os turistas acidentais os tais onze ou doze que iam até vigo so possam ir ate valença e ficassem privados do resto da viagem) o troço do lado espanhol é que foi encerradoe não qualquer troço portugues da linha do minho que não foi encerrado mas que se mantem em funcionamento, se era tão apetecivel o troço espanhol, a renfe nunca pensou em tal nem em satisfazer as pretensões dos galegos e assegurar a sua manutenção ate valença ou ate ao porto porque nao. Mas a meu ver pelo andar da carruagem também no futuro pode vir a ser equacionada a manutenção do restante troço acima da cidade de viana e ate valença, como aconteceu primeiro com o troço de monção e agora o valença vigo. O privado de facto vai animar genero linha do douro com as marias fumaças do seculo passado, é engraçado e eu estou disposto a fazer uma viagem dessas.

Dedique-se a faxina e ao apagar comentarios

RioD'oiro disse...

Como se percebe o JD não tinha nada a contrapor. Apenas queria deixar uma fumaça de alternativa, uma espécie de comentário de quem não comenta nem deixa de comentar, apenas marca presença.

Streetwarrior disse...

Caramba Rio...só por questões de ordem psiquica é que não percebe o que o JD está a dizer.
deixe lá o privado pegar naquilo e lhe dar outro conceito totalmente diferente que vai ver aquilo a bombar.
Tal como agora o fazem no Douro com os barquinhos.