domingo, 4 de setembro de 2011

Da batalha que não arranca


Nuno Crato:
Sobre o ensino por competências:

Há um documento orientador de todo o ensino básico que tem de ser revogado rapidamente, é o chamado Currículo Nacional de Competências Essenciais, porque tem orientado de forma negativa a maneira como os programas estão a ser construídos e interpretados (Única, p. 40).
Continuo a ver pouca discussão, entre professores, relativamente a esta matéria. Fala-se muito de mordomias e afins, mas muito pouco do que se passa dentro da sala de aula. Em resultado de clamorosos erros cometido no passado, a classe tem a reputação pelas ruas da amargura e a coisa não melhorará enquanto se continuar primordialmente às voltas com os interstícios da avaliação, das carreiras, dos salários, etc, etc. Há que abordar a disciplina, os programas e a infame interpretação do mundo real que é impingida na sala de aula.

1 comentário:

Eduardo F. disse...

«Há que abordar a ... infame interpretação do mundo real que é impingida na sala de aula».

Precisamente. Mas tal só se conseguirá permitindo, ainda que parcialmente, que o mercado da educação exista e possa vingar (e não apenas ser tolerado). Caso contrário, persistirá no sistema de ensino a transmissão da visão do mundo própria daquela que o alimenta e defende.

Esta é aliás uma das razões por que me oponho frontalmente à fortíssima redução (não é só de agora) e em alguns casos, eliminação, das deduções fiscais em despesas de educação e saúde pelo definhamento do mercado que irão promover quando necessitaríamos antes da sua promoção.