quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Mas que coisa revolucionária mais gira: não há papás nem mamãs para ninguém

O governo dos Estados Unidos resolveu acabar com a menção a "pai" e "mãe" nos passaportes. A partir de agora será "parent 1" e "parent 2".

O governo declara ainda que a medida de destina a evitar ferir susceptibilidades de diferentes "tipos" de família.

Parece que os homossexuais (coitados) se sentem ... discriminados. E parece também que o obâmico governo acha que obrigar uma pessoa a não ver reconhecido que tem pai e mãe não é discriminação.

E ninguém lhes dá com um gato morto na cara até o gato miar?

4 comentários:

Freire de Andrade disse...

Mas os homossexuais não tiveram também um pai e uma mãe? E os filhos de homossexuais não têm forçosamente e por razões biológicas um pai e uma mãe? Está tudo maluco ou quê?

R disse...

Se há pessoas com 2 pais ou 2 mães em termos legais, só faz sentido que isso seja tido em conta nos formulário para a requisição de passaportes.

Não se trata de ferir susceptibilidades, trata-se de realismo e de lidar com factos que existem no terreno e que são legitimados pelas leis.

Aliás, esta medida destina-se a beneficiar quem tem 2 pais ou 2 mães, seja de que orientação sexual for. E existem muitos milhares de pessoas nessa situação, especialmente nos EUA.

RioD'oiro disse...

Caro R,

Então temos quer ser todos carecas por um de nós ser careca?

Cada um é como cada qual com as vantagens e inerências. Se tem duas mães que tenha duas mães. Se tem três pais que tenha três pais.

Tem, tem, não tem, não tem. Ou o imaculado de ter dois pais torna-se mancha porque os outros têm pai e mãe?

prof ramiro marques disse...

Espero que os norte-americanos ponham fim, em breve, à pior administração norte-americana das últimas décadas, mandando o Barak Obama de regresso a Chicago.