quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Militância centitante

Revolução de massas …
Revolução popular …
Levantai-vos, oprimidos de todo o mundo …

… ladainhas antigas.

Bem, a história é hoje substancialmente diferente. Naquela altura, em pleno vigor da cortina de ferro e malgrado aquilo que afirmava quem de “lá” conseguia escapar, o socialismo era uma conquista do homem novo.

No ocidente os eternos idiotas úteis papagueavam o que os seus dirigentes iam beber à terra do leite e do mel para regurgitarem no Hotel Vitória. Cunhal era, em Portugal, o único dirigente dessa esquerda com importância no terreno. Havia excrescências esquerdalhas(1), mas eram trocos de folclore. O PC reinava.

O tempo passou e a cortina de ferro caiu sob o peso da sua própria ferrugem debilitante da zenital estrutura.

Em quase todo o mundo desenvolvido os partidos comunistas desapareceram ou ficaram relegados a curiosidade observável à lupa. Em Portugal não. O PC local minguou, mas aguentou-se pelas bandas dos 10%.

O anquilosamento do PC era notório e as anedotas às “cassetes de Cunhal” eram coisa trivial. Até nesse campo tudo era velho.

Surgiu entretanto o Bloco de Esquerda. Prometia-se uma nova esquerda, pressupondo-se que sem parafusos calcinados. Sol de pouca dura (evidentemente).

O PC podia ser, e é, um partido anquilosado, mas está no terreno, trabalha no terreno. Trabalha. Não é trabalho político meritório porque defende uma ideologia totalitária, defende a negação da democracia. Mas o que tem e representa é tecnicamente conquistado e mantido no terreno. O BE vive da ocasião.

Os BEtinhos nada fazem. Como abutres apenas esvoaçam esperando uma oportunidade para, de para-quedas, se apresentarem como kapitães da malta. Da malta, como quem diz, da malta do PC.

O PC não gosta, evidentemente, e há escaramuças. A cena da provocação do 1º de Maio (há 2 anos?), a cena do ejecção dos indignácaros que aproveitando a manifestação anti-NATO da Intersindical tentaram misturar-se e armar pancadaria e foram isolados pela Intersindical em colaboração com a Polícia de Choque. Em jeito de desafio, a visita de Carvalho da Silva a uma concentração de indignácaros no Parque Eduardo VII. Como no basquet, uns e outros trocam cotovelada a cada salto para posse da rubra bola.

Os BEtinhos nada valem. São uma fumarada de esturricada e charral teoria tentada aplicar ao trabalho alheio.

Este cenário é conveniente porque enquanto marrarem uns com os outros manter-se-ão em acções “simbólicas”.

A Intersindical continua a conseguir juntar uns milhares, cada vez menos, mas os indignácaros apenas umas dezenas, por vezes centenas (enquanto for novidade e as TVs por lá andarem).

É patente que esta malta (uns e outros) se infiltrou em dois importantes miradouros para controlo político: o ensino e a comunicação social. No caso do ensino, conseguiram infiltrar-se no PS (barata tonta) projectando nele as suas bandeiras. Afirmam serem rosinhas de gema mas o que debitam é parvoeira indignácara. No caso da comunicação social infiltraram a generalidade dos órgãos com particular notoriedade para O Público(2).

Nesta altura, os movimentos de “massas” estão reduzidos a bandos de 4, de 10, de 25. Um quarteirão e já é uma épica jornada de luta.

100 idiotas distribuídos por 10 ministérios e temos uma vitoriosa jornada revolucionária, anti-capitalista, anti-neo-tudo-quanto-é-coisa. Vociferar disparates contra os “neo-liberais” fá-los salivar. Nos intervalos, condenam Israel.

O PC aprendeu e também já alinha nessa. Os “jornalistas” de causas seguem-nos ávidos de “informar” no sentido da “cidadania”.

Os próximos tempos vai haver muito disto. Quanto mais apalermadas mais “espectaculares” serão as acções.

********************************

(1) Diziam os anarcas que Arnaldo Matos ia tão à frente, tão à frente da classe operária, que esta não o conseguia apanhar.

(2) Numa sociedade liberal é fundamental a existência de sindicatos mas, com gente desta jaez, o movimento sindical será apenas estratégia política de komité. Suponho que seja uma forma que a Sonae encontrou para ir passando entre as gotas da chuva enquanto implementa umas quantas ignomínias. Os esquerdalhos compram a coisa vendendo a pele alheia.

1 comentário:

O Raio disse...

O Bloco de Esquerda cumpre uma função muito importante, dá um aval de extrema esquerda à União Europeia.
Não nos esqueçamos que os cretinos do BE são todos euro-fanáticos. Se acham que qualquer coisa vai mal na UE é porque ela está pouco integrada.
Nunca colocam em causa a própria UE e a sua falta de democracia.

Quanto ao PCP...

http://cabalas.blogspot.com/2011/09/saudades-da-uniao-sovietica.html