terça-feira, 8 de novembro de 2011

O Que Acontece Se Portugal Sair Do Euro?

8 comentários:

O Raio disse...

O problema é que actualmente, só com o perigo de se sair do Euro, quem tem dinheiro já o deve ter tirado do país!
Quando se anunciasse a saída do Euro quem correria a tirar os seus Euros do país seriam os pobretanas pois os outros já se tinham posto a salvo.
E, o pior, é que quanto mais tempo levar esta discussão, mais dinheiro saí do país.

RioD'oiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
RioD'oiro disse...

"O problema é que actualmente, só com o perigo de se sair do Euro, quem tem dinheiro já o deve ter tirado do país!"

Isso é uma boa notícia. Voltando, duplicaria o valor. Ficando, ficaria por metade.

A diferença, seria de 4x para melhor.

Paulo Porto disse...

RD,

Quando soube que o João Ferreira do Amaral ia ao p&contras decidi ver o programa, coisa que não fazia, sem exagero, desde há uns dois anos. Felizmente a Fátima enganou-se e tomou o kainever antes de ir dormir, coisa que lhe bloqueou as ideias e evitou as observações alarves e outras demonstrações de menoridade mental.

Sobre a corrida aos Bancos por causa da desvalorização que segue a reintrodução de moedas nacionais, repare que o argumento é inválido.

Basta que seja permitido que as pessoas possam manter as suas contas bancárias nominadas em euros, o que não é nada de estranho nem invulgar, muito menos impossível. A partir desse ponto, os levantamentos são efetuados nos escudos novos com base na taxa de cãmbio do dia. Portanto, quanto mais tarde se levantam parcelas do depósito, mais escudos se trazem no bolso pelo mesmo valor em euros. Repare que isto não só evita a corrida aos bancos, como tem o efeito contrário, atendendo ao facto de ser previsível uma desvalorização da moeda que pode chegar a 50%. O João Ferreira do Amaral usou este argumento sem detalhar.

Por outro lado, é importante ter presente que a corrida aos bancos já está aí. Na Grécia, onde todos esperam o estoiro final, as pessoas já só usam as contas bancárias para receber o ordenado. Praticamente não há contas com mais de 10 mil euros e as fortunas estão a salvo FORA DA ZONA EURO. Isto leva à questão contrária: o adiar do inadiável, isso sim, leva à corrida aos Bancos.

-

Seria interessante que pudesse colocar aqui os últimos 5 minutos do programa. Se reparou, o JFA fez mudar a opinião do euro-otimista Santa Clara sobre a necessidade de existir um plano B para o caso de sermos empurrados para fora do euro.

RioD'oiro disse...

Caro Paulo Porto,

A minha resposta ao Raio ia exactamente nesse sentido mas eu não estava consciente que se poderia manter as economias nominadas em Euros.

Conheço um par de pessoas com economias modestas que, pelo sim pelo não, já as transferiram para Francos Suíços exactamente por causa disso.

A Fátima estaca, de facto, em transe. O João Ferreira do começou o programa declarando que o projecto político Euro estava morto e ela ficou tão embasbacada que só no fim da primeira parte reagiu. Pareceu que, de repente, toda a construção ideológica de castelo de cartas sobre alicerces de teias de aranha se desmanchou deixando-a perdida entre a órbita de Neptuno e Plutão.

Ainda não pude ver o programa na totalidade mas vou tentar ver hoje e colocar aqui o que sugere.

Paulo Porto disse...

RD

Eu não ouvi o principio do programa. Uma frase dessas para aqela crente deve ter tido o efeito de sabar qe o Maomé andava a comer o toucinho qe proibia e abichava aos fiéis.

Tiagofa disse...

Não é necessário retirar o dinheiro do País, basta junto do seu banco fazer investimento, vulgo aplicações, em moeda estrangeira, esse valor esta sempre garantido na moeda em que for subscrito.
por exemplo aplicação em dolares, ou obrigações em francos Suiços

Tiagofa disse...

Não é necessário retirar o dinheiro do País, basta junto do seu banco fazer investimento, vulgo aplicações, em moeda estrangeira, esse valor esta sempre garantido na moeda em que for subscrito.
por exemplo aplicação em dolares, ou obrigações em francos Suiços