domingo, 20 de novembro de 2011

Vivamos da conspiração

Já não bastava a nossa Presidente da Assembleia da República advogar a alienação da soberania nacional, advoga btambém agora que se “conspire” contra os mercados.

Supunha eu que Fernando Nobre tinha sido preterido por alguém que ao contrário dele vivesse no mundo real. O tempo veio a revelar que a presidente vive politicamente no mundo dos gambozinos.

A “europa”, ensimesmada que se se convencesse que era uma potência seria uma potência, montou um bicho em que uma fatia considerável de si própria (vamos ver onde acaba) planeou viver à custa da restante.

A cada sinal de alarme, a “europa” foi-se habituando a responder com mais “europa” reforçando os mecanismos de “integração” que não eram mais do mesmo: viver à custa dos restantes.

Sem pés para manter as aparências foi conspirando contra os “especuladores” endividando-se sem tencionar pagar. A “fraternidade” pagaria a conta.

Perante a derrocada de mais uma histórica utopia, a “europa” descobre estar ainda no mundo em que os “especuladores” mandam mais que o previsto e para resolver a estrondosa derrota da inicial conspiração contra os “especuladores”, defende-se agora … o mesmo: conspirar contra os 'especuladores'.

1 comentário:

Reformado disse...

Oh sim, sempre vale mais trabalhar 10 anos na vida em novinho que toda a vida.

Ganho mais reformado que a trabalhar, seus Invejosos. E apesar disso trabalho.

Assunção Esteves não tem ordenado pois optou por reforma de 7 mil euros

http://sol.sapo.pt/inicio/
Politica/Interior.aspx?
content_id=34253

A presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, recebe 7.255 euros de pensão por dez anos de trabalho como juíza do Tribunal Constitucional.Assunção Esteves abdicou de receber pelo exercício do actual cargo, cujo salário é de 5.219,15 euros. Mantém, no entanto, o direito a ajudas de custo no valor de 2.133 euros.