segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Espetadores do dirêto, levantai-vos e andai!


Ruben de Carvalho sabe de Jazz. Devia ficar-se por aí. O "arrogante", paralítico, nem sequer se levantou.

3 comentários:

Paulo Porto disse...

Não sei como estas três almas ilustradas conseguiram até hoje suportar e conviver com torre/torre, pela/pela, almoço/almoço, jogo/jogo, erro/erro, seco/seca, pregar/pregar, cor/cor e muitas outras, inclusive aquela palavra começada por f.

De resto, não me admira que haja jornalistas que digam "dirêto" em lugar de "direto"; afinal, também há jornalistas que, a torto e a direito dizem "Tâijo" em vez de Tejo e "vâlho" em vez de velho. Também será o AO?

José Gonsalo disse...

No programa "Moeda de Troika", com a Rita Ferro e a Ana Mesquita, transmitido ontem, em directo, e repetido hoje, à hora do almoço (assisti a uns 20'), o Herman fez uma observação muito interessante sobre este tema. E a Rita Ferro faz muitas outras, a propósito do mesmo e ainda de outros. Vale a pena ver.

José Gonsalo disse...

Na RTPInformação, canal 8, esqueci-me de dizer.