segunda-feira, 19 de março de 2012

Do Buraco-mor

Obama foi um dos muitos que militaram no intervencionismo estatal no negócio do imobiliário que estoirou também no nariz dele.

 No poder, assegura ser capaz de "resolver" o problema que ajudou a criar aplicando receitas similares às que tinham acabado de dar raia. A esquerdalha mundial rejubilava de contentamento: finalmente alguém capaz de fazer vergar a espinha ao capitalismo desenfreado, neo e de casino.

Obama anunciou que tinha um plano, intervencionista (evidentemente) que pretendia fazer face ao período de recuperação que, quanto a ele, corresponderia à linha a azul claro. O seu plano, que permitiria re-encontrar o equilíbrio com menos dor, corresponderia ao caminho da risca azul escura.

A realidade, essa coisa que insiste em estar em permanente desacordo com as bússolas de futuros, foi a linha vermelha ...

Sem comentários: