sábado, 14 de abril de 2012

As bruxas da EDP

[Via Ramiro Marques]

Troika: Governo deve considerar envergonhar responsáveis da energia e das PPP.

... titula o Jornal de Negócios. Trata-se de algo que não me surpreende.

A recentemente adquirida percepção generalizada (com anos de atraso) que os projectos de energias renováveis eram um embuste gigantesco, levou a EDP a subir a parada e entrar no que parece ser o pináculo da sua inqualificável propaganda espalhando cartazes em que (entre outros casos) uma criança declara "a minha mãe é mágica".


Paralelamente, a EDP adquiriu quantidades colossais de espaço publicitário de rádio e TV numa óbvia cartada de amaciamento e abafamento da adversidade entretanto instalada na comunicação social que tinha, entretanto, começado a fazer o que lhe competia.

Este lance, por todo o espaço público, trouxa a EDP a um outro patamar que a deixa exposta a ataques políticos directos. A inegável falta de vergonha que a EDP tem demonstrado ao presentear-nos com a mais pura trampa publicitária torna claro que a EDP está convencida que vai no caminho certo. Sendo assim, muito bem, pois que a EDP seja envergonhada em público no que respeita à sua política sanguessuga de exploração da população em geral por via da aplicação de absurdos preços de energia eléctrica decorrentes da instalação de equipamentos de custo exorbitante e inúteis.

A EDP não quer negociar? Pois, novamente, muito bem. Fica-se a saber que as mesmas bruxas que na EDP não têm a decência de não expor, em cartazes, os filhos dos seus trabalhadores a quem chama "colaboradores" declarando (por boca alheia), entre outras gracinhas, que a mamã é mágica por trabalhar na pilha gigante do SOL, deverão, num equivalente golpe de magia, desaparecer juntamente com as suas energias e preços exorbitantes.

Sem comentários: