quinta-feira, 26 de abril de 2012

Contra-comemorar o 25A com um poema libertário

A 26 de Abril, “o dia seguinte”, era um dado adquirido que íamos ter palhaçada, que os “ideais puros e tal” só eram “puros e tal” se fossem "comunistas e tal", e quem tivesse dúvidas podia acabar preso sem saber porquê, nem por quanto tempo, e ainda ser seviciado.

Foi preciso esperar mais de um ano pela democracia. O que não esperou foi a roubalheira, que continua instalada, nessa mesma democracia.

Para contra-comemorar o 25 de Abril do Triunfo dos Porcos reformatado que molda o Portugal de hoje, para contrariar o espírito de carneiros obedientes mas exigentes que molda os portugueses de hoje, nada como escarrapachar aqui um poema libertário português:




Link para o texto do Cantico Negro, de José Régio.

Sem comentários: