segunda-feira, 9 de abril de 2012

DUEL AT NOON…


Lidador disse aqui: ” Se bem percebi, o CdR é cobras e lagartos com o Santorum porque ele falou da eutanásia na Holanda, de um modo que o CdR acha errada. E é contra a Fox News porque "distorce", ao passo que parece acreditar na imaculada virgindade dos media que estão do outro lado do espectro ideológico.”

First things first.

Não tenho ódio a Rick Santorum. Tenho sim uma aversão geral, é verdade, contra pessoas do tipo Santorum, do género que julgam com quem eu devo ir para a cama, quando e como. E no caso de haver uma alternativa política, não me sinto muito motivado a dizer coisas simpáticas acerca destes iluminados pelo Espírito Santo, sobretudo quando ainda por cima debitam aberrações!

‘ele falou da eutanásia na Holanda’! Isto é o eufemismo do século! Na realidade ele disse que na Holanda os velhinhos têm medo de visitar hospitais para não serem eutanasiados! Não se pode dizer uma coisa destas e depois ‘boa tarde que tenho mais que fazer…’

Um paralelo

Imaginemos um candidato a primeiro-ministro na Holanda: um de esquerda, desses que dizem que o Islão é uma religião de paz, o Wilders um racista e o capitalismo é que tem a culpa de tudo. E imaginemos que o dito candidato, num momento de fraqueza durante a campanha, se lembrasse de dizer publicamente que os chefes da polícia nos EUA não são escolhidos da mesma forma que na Europa (democrática): não senhora, assentam um duelo ao meio-dia na avenida principal com colts 45 à ilharga. O que fica vivo é nomeado Sheriff….

A reacção de Wilders, a minha, e de toda a malta da nossa corda, seria unânime: Que pena isto não ser realidade! Que pena não haver por cá uns Santoruns de esquerda para a gente se rir e nos facilitar o combate ideológico…

A Fox News

Em relação à Fox News idem, o pouco que vi chegou-me. Estou muito contente que tenham pouco impacto na média holandesa. Isso evita que os esquerdistas, quando a Fox amiúde se lembra de falar sobre a Holanda, nos gozem de fininho estabelecendo uma relação abusiva entre a Fox e cá a gente. Quem tem cara tem vergonha!

Não acredito na imaculada virgindade dos média, sei que isso não é possível, mas acredito sim num mínimo de qualidade. Porque razão hei-de assistir a um desafio entre o Candal e o Vilanovense, se pelo mesmo dinheiro posso ver o Barcelona contra o Milão?


A seguir um exemplo de qualidade recentemente criado na TV francesa: dois apresentadores. Ambos se chamam Eric. Zemmour (jornalista) é de direita, Naulleau (crítico literário) é de esquerda. A introdução ao programa feita por Eric Naulleau é sintomática: “Boa noite a todos, Zemmour continua a ser ele, eu continuo a ser o Naulleau. Não estamos de acordo sobre nada, mas dispostos a debater sobre tudo e é isso que vamos fazer hoje também” (Os convidados desta vez – um judeu e um árabe - vêm mesmo a calhar porque se trata de um tema que toda a gente conhece: o assassinato de Toulouse)

A Fox News está a léguas disto.


 

4 comentários:

O-Lidador disse...

Portanto está a falar na excelência da TV francesa, a mesma que "criou" o famoso incidente Al Durra, alegando que os soldados israelitas tinham morto um puto palestiniano.
Como se veio a saber depois, em tribunal, a TV francesa fez uma edição das imagens, escamoteou factos e o que se concluiu em tribunal é que afinal não foram os israelitas a matar o puto, mas sim os seus compatriotas.

É esta a TV que dá como exemplo? Bem, que dizer?

Debates na Fox? Chiça, primo, aquilo até ferve quando lá levam liberais famosos. O Obama, nem lá quis ir, porque sabia que ia ser grelhado.

Os tipos até vão para a rua entrevistar o Michael Moore e das organizações como a dos Ocupas. É vê-los a fugir à frente das câmaras...

Quer mais pluralismo que isso?
Claro que lhe colocam questões do carago, metem-lhe, por assim dizer, o colhão na virilha, e eles não gostam, claro.

Carmo da Rosa disse...

Lidador disse: ”Portanto está a falar na excelência da TV francesa…”

Não, não e não! (Primo, responda sinceramente, será que o meu português ultimamente se degradou?)

A TV francesa é, mais coisa menos coisa, tão excelente como a nossa. Eu estou apenas a falar NUM programa que apareceu recentemente na TV Francesa: ZEMMOUR ET NAULLEAU.

Viu o vídeo do programa que eu enfiei?

E porque razão estes dois amigos criaram há pouco tempo um programa de entrevistas só deles?

Porque foram banidos de outro programa de entrevistas da TF1 de um tal Laurent Ruquier. Neste caso os dois faziam parte de um elenco de 5-6 entrevistadores, mas a eles cabia interrogar convidados que tinham acabado de publicar um livro. Mas como não tinham papas na língua, não são politicamente correctos e terrivelmente inteligentes, os literatos multicultis queixavam-se frequentemente ao Ruquier que gostariam muito de ir ao programa mas têm medo de enfrentar os dois Eri(ques), porque são muito críticos. O Laurent Ruquier, a TF1, ou ambos, despediram os dois Eri(ques) em Junho de 2011, se não me engano.

Aqui tem um dos muitos exemplos do período ainda com o Ruquier:

http://www.youtube.com/watch?v=fonx0VMD4UI&feature=related

Sobre a Fox News eu tenho uma opinião baseada sobre dois ou três programas que vi. Um deles, sobre a Holanda, até o publiquei aqui: dei-me ao trabalho de traduzir o que eles disseram e comentei o que vi. E o que vi é lamentavelmente fraco. Mas tudo bem, pode ser que me tenha enganado redondamente. Talvez tivesse traduzido mal. Mas então gostaria de ouvir a opinião de quem não está de acordo, sobre precisamente o que eles disseram num estilo, “eles, O’Reilly & co, têm razão no que estão a dizer por isto e por aquilo.”

De outra forma está cada um a falar para o seu lado e ninguém se entende.

Lidador disse: ” O Obama, nem lá quis ir, porque sabia que ia ser grelhado.”

Acredito. Mas isso não diz muito, nem do Obama nem da Fox. O Wilders (um personagem completamente diferente) também se recusa ir a um programa diário de entrevistas que há cá. Porque já sabe que os dois jornalistas são canhotos e aproveitariam o momento para convidar também os amigos (canhotos) para a mesa. O Wilders não é parvo e não quer ser grelhado gratuitamente por cinco canhotos. Assim como o Sarkozy até ao momento tem recusado convites para ir ao programa do Zemmour et Naulleau – qual o interesse de se fazer grelhar antes das eleições? Só tem a perder. Ao contrário, a Marine Le Pen, o pai Le Pen, o Tarik Ramadan e muitos outros já lá passaram. Neste último programa, o argelino Malek Chebel, foi grelhado pelo Zemmour e não creio que lá volte – só tem a perder, mas seria uma pena, porque ver o Malek Chebel a grelhar até abre o apetite…

O-Lidador disse...

O programa é interessante e vivo. Mas repare como o CdR, separa o programa da estação televisiva.
Não faz o mesmo com a Fox News, o que revela o preconceito.
Não que não tenha o direito de ter esse preconceito. Mas o que eu lhe tentei fazer ver é que, talvez, talvez, ele derive de o CdR beber essa opinião do caldo mediático em que navega.
A Fox News, como todas as estações, tem bons e maus programas. Mas tem uma agenda anti-esquerda. A MSNBC, idem aspas, mas tem uma agenda anti-direita. Aposto que o CdR nem sequer sabe o que é a MSNBC.
Ora aí tem. É que ela não é um alvo da jihad politicamente correcta ( ou cultural marxista, como alguns dizem) levada a cabo pela grande maioria dos media europeus, cujos jornalistas simpatizam com ideias de esquerda.

E depois tem as estações ditas "neutras", como a BBC, mas que são enviesadas até à medula. A BBC, por exemplo, sujeita a uma auditoria, foi acusada de claro enviesamento anti israelita.

Quanto ao Obama, não só lá não foi, como verbalizou o ódio à Fox. Pudera, é basicamente a única que não lhe acende velas.
E os seus acólitos e fiéis, obviamente, seguem a deixa e demonizam a Fox.
E o CdR, claro, absorveu essa hostilidade, de tantas vezes a ver manifestada.
É dos livros. Goebbels dixit.

Carmo da Rosa disse...

Lidador disse: ”O programa é interessante e vivo. Mas repare como o CdR, separa o programa da estação televisiva. Não faz o mesmo com a Fox News, o que revela o preconceito.”

Eu apenas separei o programa Z & N da totalidade da Televisão francesa, porque na realidade o programa é independente e está apenas sob o comando dos dois Eric(s). Mas você tem razão, eu fiz confusão, porque a Fox News não é um programa, mas sim UMA estação de tv….. com vários programas. Mas não o fiz por preconceito, apenas por ignorância.

Mas acho que se pode comparar o Zemmour et Naulleau com o programa de entrevistas do O’Reilly, ou com o programa da Judite de Sousa, ou com os prós e contras…. (Mas creio que o Zemmour e o Naulleau ficariam ofendidos se soubessem que alguém os estava a comparar com o O’Reilly!)

Lidador disse: ”Aposto que o CdR nem sequer sabe o que é a MSNBC..”

E porque razão não havia de saber? É segredo maçónico?

Lidador disse: ”A Fox News tem uma agenda anti-esquerda. A MSNBC, idem aspas, mas tem uma agenda anti-direita."

O facto das estações de tv terem uma agenda ideológica é do meu conhecimento e não me chateia nada, compreendo isso perfeitamente e faz parte do jogo democrático e ainda bem que isso existe. Até acho bastante prático, já se sabe o que vamos comer hoje, amanhã e no fim-de-semana…

Mas há estações, assim como há jornais ou blogs, em que a agenda ideológica é tão pesada, tão sempre presente, tão sempre a mesma coisa, tão pre-vi-sí-vel, tão mo-nó-tona, que uma pessoa como eu, sem preconceitos (ao contrário do que se diz), no final pensa que o mais saudável é mesmo ver a bola, ou apanhar uma bebedeira, ou eutanásia (como sabe, as três opções são muito fáceis de conseguir na Holanda).

A neutralidade total não existe, estamos de acordo. Até mesmo a língua que se fala não é neutral. Mas é possível fornecer um mínimo de qualidade de informação vista de vários ângulos. Isso existe. Por exemplo, o blog que leio diariamente na Holanda (DDS), tem uma dezena de redactores. Há lá redactores pró Obama, há outros que não podem com o Obama nem com molho de tomate, e há ainda outros que são indiferentes. E isto também em relação à Europa, ao Euro, e ao Wilders.

Voltando aos franceses, o Naulleau é claramente de esquerda e o Zemmour é o herói da direita inteligente em França. O que faz a força do programa, o que o torna interessante, é precisamente a heterogeneidade ideológica – aliada à qualidade intelectual dos bichos, claro.

E agora vou fazer o tacho…