terça-feira, 1 de maio de 2012

Ao cartão

Comentário que deixei no FaceBook de Ramiro Marques:

Já agora, há uma coisa de que ninguém fala e que restringe brutalmente a vida dos mais desfavorecidos: o desaparecimento de terminadas actividades por via da regulação.

Para que se perceba, um exemplo: era comum que pessoas recolhessem cartão para vender. Essa actividade foi regulamentada ao ponto de tornar praticamente inviável essa actividade, nomeadamente por via dos caixotes 'papelão'. O cartão é agora recolhido de forma institucionalizada com o mesmo e exacto fim que anteriormente, mas aqueles que andavam 'ao papel' perderam o ganha-pão.

A regulamentação em causa aturou para a dependência do estado muitas pessoas cujos filhos deixam de ver no trabalho dos pais um motivo para estudar e evitar a vida que têm (tinham) e têm agora como exemplo a nova actividade basicamente composta por estratagemas para não trabalhar.

Sem comentários: