segunda-feira, 7 de maio de 2012

Muçulmanos interferem no destino da França e no futuro dos franceses

Recebido por e-mail:
A muçulmanada de bois imigrantes na França votou em força no "dhimmi" xuxialista Francois Hollande. Daí a sua vitória e apenas 18% de abstenção nestas eleições. Isto comprova que os mais de 5,5 milhões de islamitas que hoje conspurcam a sociedade francesa também votaram, e o seu peso tombou as tendências inicialmente favoráveis a Sarkozy. 
Nicolas Sarkozy sempre lutou contra a invasão muçulmana da França e sempre condenou os atritos conflituosos e as agressões que estes cometem contra os cidadãos franceses. Sarkozy está bem consciente do perigo que representam os islâmicos para a sociedade e para a identidade nacional. 
Portanto, conclui-se que estes preocupantes 5,5 milhões de muçulmanos, em próspera reprodução multiplicativa, já forçam a embarcação a adornar para um dos lados. Agora imagine-se quando eles forem o dobro, dentro de poucos anos, e o que conseguirão fazer para afundarem o barco da democracia cristã e passarem a vergar a França à sua medida!!!
É para este destino fatal e horrível que vagueia a França, trilhando o caminho da islamização... e com ela, grande parte dessa decadente Europa.

2 comentários:

Carmo da Rosa disse...

Recebido por e-mail: ”Isto comprova que os mais de 5,5 milhões de islamitas que hoje conspurcam a sociedade francesa também votaram,”

Isto comprova que até por e-mail podemos receber disparates sem qualquer tipo de nuance!

E significa que os muçulmanos dissidentes (que arriscam a pele diariamente); e os muçulmanos que votaram Sarkozy ou noutros; e os muçulmanos que votaram e fizeram campanha a favor da Marine Le Pen (eles existem e tenho provas com fotografias a mexer); e os muçulmanos que nunca conspurcaram coisa nenhuma; estão a levar por tabela UM GRANDE CHAPADÃO, que é para a próxima não nascerem num país muçulmano!!!

Recebido por e-mail: ”Nicolas Sarkozy sempre lutou contra a invasão muçulmana da França,”

Nicolas Sarkozy só lutou muito para engatar a Carla Bruni. Ainda Ministro do Interior foi ele que criou o Conselho Francês do Culto Muçulmano.

En avril 2003 Dalil Boubakeur [Argelino, CdR] devient président du Conseil français du culte musulman qui vient d'être créé avec le soutien actif de Nicolas Sarkozy, alors ministre de l'Intérieur. (…) Dalil Boubakeur apporte son soutien à Nicolas Sarkozy et à son parti, l'UMP, dans le débat controversé sur la place de l'islam en France.

Dalil Boubakeur, durante muitos anos o imã da Grande Mesquita de Paris, não é um extremista e nem todos vêm nisto teorias da conspiratórias, mas daí a dizer que o Sarkozy “sempre lutou contra a invasão muçulmana da França” vai uma distância como Cascais-Paris.

Recebido por e-mail: ”Sarkozy está bem consciente do perigo que representam os islâmicos para a sociedade e para a identidade nacional.”

Sim, mas a consciência do perigo só lhe apareceu dois meses antes das eleições porque precisava urgentemente dos votos do Front National. Mas lixou-se, porque a Marine aconselhou a votar em branco. Esta é provavelmente a causa da sua derrota.

Na realidade, o voto por François Hollande, um tipo com o carisma de uma tenda de campismo à chuva, foi mais um voto CONTRA Sarkozy, que se fartou de prometer que fazia e acontecia e nem sequer metade fez do que prometeu.

Carmo da Rosa disse...

Rio, resposta vai no Batalha, isso é coisa antiquada e do tempo da outra senhora, dos que ainda fizeram a quarta classe antiga.