quarta-feira, 16 de maio de 2012

Mudar de povo…



Um português, que pretendia visitar um amigo em Nova Iorque, queixou-se dos pobres e da crise em Portugal.

Do seu amigo recebeu a seguinte resposta:

Como podes tu falar em pobres, quando pagas por um litro de gasolina mais do triplo do que eu pago? Quando te dás ao luxo de pagar tarifas de electricidade e de telemóvel 80% mais caras do que as que eu pago nos EUA? Como podes dizer que és pobre quando pagas em comissões bancárias, por serviços e por cartões de crédito, o triplo que eu pago nos EUA? Ou quando pagas pelo mesmo carro, que a mim me custa 12.000 US Dólares (8.320 Euros), mais de 20.000 Euros, oferecendo 11.640 Dólares mais em impostos ao teu governo do que eu ao meu!

Nós é que somos pobres...

Por exemplo, o Governo Estatal de Nova Iorque, tendo em conta a precária situação financeira dos seus habitantes só cobra 2 % de IVA, mais 4% de imposto Federal, isto é, no total, 6%. Nada que se compare com os 23% que os ricos como tu pagam em Portugal.

Um Banco privado vai à falência e são vocês, que não têm nada a ver com isso, que vão pagar! O vosso Banco Privado abre falência e vocês salvam-no com o dinheiro dos impostos! De notar também que o vosso Governador do Banco de Portugal tem um vencimento anual quase 3 vezes superior ao do Governador do Banco Federal dos EUA!!!

Quem é rico afinal?

Um país que cobra o Imposto sobre Lucros adiantado mediante retenções mensais, tem necessariamente a ideia de que o país nada em dinheiro, porque considera que os negócios dos seus habitantes terão sempre lucro, apesar dos assaltos, do saque fiscal, da corrupção dos seus governantes e dos seus autarcas. Um país que paga salários irreais aos seus funcionários de Estado e aos privados.

Os pobres somos nós, que vivemos nos USA e não pagamos imposto sobre o ordenado e ganhamos 3.000 dólares por mês (menos que os vossos 2.080 Euros). Vocês, com o vosso salário, podem pagar impostos para a recolha de lixo, sobre o consumo da água, do gás e da electricidade. Pagam a segurança privada dos bancos, urbanizações, municípios. Enquanto que nós, como somos pobres, conformamo-nos com a segurança pública. Ainda por cima pagam taxas de TV e de Rádio absurdas, que alimentam os salários de super gestores como não se vê por cá.

Vocês enviam os vossos filhos para colégios privados financiados pelo Estado, enquanto que nos EUA as escolas públicas emprestam os livros aos nossos filhos, prevendo que não os podemos comprar...

Vocês não são pobres, gastam é muito mal o vosso dinheiro. E o vosso desporto preferido é escolher políticos e governantes incompetentes – mas muito espertalhaços...

Um  dos motivos porque o Governo se tornou fiador de 20 mil milhões de euros de transacções intra-bancárias, é que os governantes de hoje vão ser os gestores da Banca de amanhã, pois os de ontem já estão por lá hoje.

É que estas coisas nos EUA sabem-se [CIA]:

Fernando Nogueira 

Antes:   Ministro da  Presidência, Justiça e Defesa
Agora:   Presidente do BCP Angola

 José de Oliveira e Costa 

Antes:   Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais
Agora:   Ex-Presidente do Banco Português de Negócios  (BPN)

Rui  Machete 

Antes:   Ministro dos Assuntos  Sociais 
Agora:   Presidente do Conselho Superior do  BPN
             Presidente do Conselho Executivo da FLAD

Armando Vara 

Antes:   Ministro adjunto do Primeiro Ministro
Agora:   Vice-Presidente do BCP 

Paulo Teixeira Pinto 

Antes:   Secretário  de Estado da Presidência do Conselho de  Ministros
Agora:  Presidente do BCP

António Vitorino 

Antes:   Ministro  da Presidência e da Defesa
Agora:   Vice-Presidente da PT Internacional;
Presidente da Assembleia Geral do  Santander Totta

Celeste Cardona

Antes:   Ministra da Justiça
Agora:   Vogal do CA da  CGD

José Silveira Godinho 

Antes:   Secretário de Estado das Finanças
Agora:  Administrador do BES

João de Deus Pinheiro 

Antes:  Ministro da  Educação e Negócios Estrangeiros
Agora:  Vogal do CA do Banco Privado Português 

Elias da  Costa 

Antes:   Secretário de Estado da Construção e  Habitação
Agora:   Vogal do CA do BES

Ferreira do Amaral 

Antes:   Ministro das  Obras Públicas 
Agora:   Presidente da Lusoponte

Só vejo uma solução para o país, mudar de povo…

4 comentários:

Des Contente disse...

Ainda faltam muitos, o Miguel Cadilhe, por exemplo. Até parece que quer ir para o Banco de Portugal.

Cumprimentos.

Carmo da Rosa disse...

Des Contente,

acredito que faltem muitos e por enquanto o gamanço vai continuar, porque eles (a elite, os doutores da mula ruça) conhecem muito bem a canção do José Afonso:

NÓS COMEMOS DE TUDO,
NÓS COMEMOS DE TUDO
E NUNCA NOS QUEIXAMOS DE NADA...


Não. Isso era antigamente. Agora, valho-nos isso! até nos queixamos, passamos a vida nisso, mas isso é claro que não chega.

Poderíamos começar por acampar à porta da casa (ou do escritório) destes gajos com enormes cartazes indicando os enormes salários, benesses e reformas que estes gajos usufruem... Só para ver se eles têm vergonha na puta da tromba!

Isto para começar. Quando a fome apertar e eles continuarem sem vergonha, podia-se ir um pouco mais longe. Por exemplo, obrigá-los a repartir o almoço com doze ou treze indignados, e o jantar com doze ou treze FAMíLIAS de indignados...

Que tal?

Des Contente disse...

Eles têm portas blindadas, mas parece-me que vão haver promoções de 100% nas grandes superfícies, espero estar enganado.

Abraço.

Carmo da Rosa disse...

As grandes superfícies estão feitas para ser roubadas, e é isso que se deve fazer até elas desaparecerem completamente e voltar o antigo merceeiro do bairro...

abr