sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

É só fumaça

Uma das figuras mais emblemáticas cá do burgo, caracterizada por ser recorrentemente acometida do virtuosismo de dar uma no cravo e outra na ferradura na suposição que, tudo misturado, resultará em pólvora que o nunca chamuscará, foi alvo de mais uma auto-perplexidade.

Tentei deixar um comentário aqui, mas, para não variar, o comentário não entrou à primeira e nas tentativas subsequentes depois faz surgir a mensagem que "parece que já disse isso". Aqui fica ele:



Não é errado apontar-se os dois pesos e duas medidas de quem mais perora contra algo que anuncia pretender fazer. É errado porque desvia a atenção para o que é fundamental. Não é, portanto, fundamental, apontar o erro crasso de quem mais perora contra algo que está certo?

Por exemplo. O capanga-mor da CGTPCP foi a Cuba festejar o aniversário e os sucessos da revolução cubana no exacto momento em que o estado cubano despede quase 1 milhão de trabalhadores. O gajo que em Cuba vê a coisa como uma conquista civilizacional vê a mesma hipótese, em Portugal, como a mais atentatória medida contra as conquistas civilizacionais.

E o caro pretende fazer crer que "Nem sequer sou suspeito de admiração pelo funcionamento interno do PCP".

Pela sua bitola, o assassinato de milhões de pessoas pela referência culturais do zote da CGTPCP, José Estaline, foi também ocasional por se ter passado há que tempos?

Sem comentários: