terça-feira, 13 de agosto de 2013

Galopante centralidade camarária ... e imaginem se houvesse regionalização...

A Câmara de Detroit gastou o que tinha e o que não tinha em "estímulos" aplicados nos cronies do costume (empresários amigos de projectos "estimulantes") e há agora que os pagar. Todos terão que pagar!



Também em Portugal as cidades têm tendido, cada vez mais, a ser projectos cuja principal 'missão' é a da subsistência das respectivas câmaras municipais. As autarquias tem-se transformado, cada vez mais, em organismos parasitários das populações e onde tudo é feito em função da centralidade camarária.

Sem comentários: