sexta-feira, 25 de abril de 2014

Passatempo revolucionário

Para além da instituição de liberdades individuais, sistematicamente tentadas pôr em causa pela eterna esquerdalha, que viragem se produziu de 74 para cá?

As sufocantes corporações do velho regime desapareceram? O que não faltam são sufocantes e fascistas ASAEs (incluindo aquela coisa chamada "komissão de komissários europeus") para que toda e qualquer iniciativa de cidadãos (os do bicho estatal tresandam a anti-cidadão) seja arrasada.

Para que "Abril se cumpra" falta que Portugal se liberte do paquidérmico e anquilosante monstro chamado estado, seja ele o nacional ou o soviete dos komissários.

------

Comentário que deixei no FaceBook de Ramiro Marques:

Contas públicas equilibradas é apenas o primeiro passo. Manter as coisas ao nível actual de despesa, mesmo que a défice zero, apenas perpetua um equilíbrio instável.

Há que libertar Portugal do peso do estado e respectivas instituições anquilosantes da iniciativa de cada um.

... e há ainda aquela coisa chamada "europa", com a sua kamarilha de komissários ...!!!

Portugal não é o estado, o estado é apenas uma importante embora perigosa instituição de Portugal.

Portugal será aquilo que Portugal quiser, o estado será aquilo que Portugal quiser. O estado que Portugal tem tido até aqui, é um estado-garrote, este por estar cheio de "especialistas" em vontade alheia, o velho por ter um particular especialista em vontade alheia.

Sem comentários: