sábado, 14 de junho de 2014

Todos contra tudo menos contra nós


O passo seguinte só pode ser a instauração da ditadura do proletariado (em marcha). Uma polícia política, esquadrões de execução e desaparecimento, enfim, habilidades dos defensores da pureza da revolução. Nunca foi de outra forma noutros locais.

Se não for possível abortar hoje o processo, segui-se-há uma noite de repressão que pode manter-se indefinidamente ou ser placada por um golpe militar ou uma intervenção estrangeira.

Claro está que sabemos que os "defensores do povo" irão apontar culpas da resultante encrenca aos que correrem com eles.

Já hoje, por cá, é assim e por muito menos. Anda por aí um zote a bramar das benfeitorias de um tal abortado PEC-IV.

Sem comentários: