quinta-feira, 2 de julho de 2015

O Mito do Socialismo Nórdico

Para os idiotas suspiradores pelo socialismo sueco:

"No início da década de 90, o modo tornou-se insustentável: a taxa de desemprego subiu para 14%, o défice situava-se nos 11% e a despesa pública situava-se nos 70% do PIB. A única forma de contornar a situação era ou tomar medidas reformistas ou endividar-se mais.

O primeiro ministro da época, Carl Bildt iniciou uma reforma liberal no país. Baixou impostos, reduziu as pensões e começou um programa de privatizações. Deixou que os privados tomassem conta da educação e da saúde e introduziu o cheque escolar e o cheque saúde. Reduziu também o IRS para 27%, dos mais baixos da União Europeia.

Sendo um país líder em serviços médicos, gasta mais ou menos o mesmo que Portugal 9,7% do PIB, e gerido por gente que cujo fim é fazer lucro.

Uma das perguntas de quem é contra o liberalismo é “E quem faz as estradas?”. Na Suécia dois terços das estradas são privadas. Graças à privatização de inúmeros sectores o desemprego baixou e situa-se abaixo dos 6%."

1 comentário:

Anonimo disse...

"Na Suécia dois terços das estradas são privadas."

Mais ou menos como na idade media, ai julgo que ate mais. Bons tempos.