quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Nos EUA como em Portugal, a grande mídia que se dedica a notícias falsas



À excepção da Fox, quase todos os "grande media" têm andado a assobiar para o lado face às actividades do criminoso sindicato do crime denominado Clinton/Obama.

sábado, 1 de julho de 2017

terça-feira, 27 de junho de 2017

Um dos mais sinistros gangs do globalismo político "progressista" está em estertor - IV


Um dos mais sinistros gangs do globalismo político "progressista" está em estertor - III


Um dos mais sinistros gangs do globalismo político "progressista" está em estertor - I


Um dos mais sinistros gangs do globalismo político "progressista" está em estertor - II


Fake news proibidas na CNN

Os donos da CNN, aparvalhados com a derrocada nas audiências, proibiram os marxistas jornaleiros internos de publicar mais notícias falsas sobre Trump e os russos.

Os "progressistas" descobriram agora que quem estava metido com os russos eram eles próprios



segunda-feira, 19 de junho de 2017

Trogloditas

E os trogloditas do BE, PCP e do escarro "os verdes" ainda não apareceram a vociferar por uma comissão de inquérito à morte de mais de 60 portugueses?

domingo, 18 de junho de 2017

A Jihad vs os Cruzados


A vacina contra os incêndios ... ou o A4 tudo aguenta

Estamos em tempo de tragédia.

Em 3 de Outubro de 2005, escrevi aqui o seguinte:





Em relação às origens dos incêndios, já verti anteriormente uns caracteres. Vou agora debruçar-me sobre as formas de minorar as consequências.

Nunca em Portugal houve tanta floresta quanto hoje.

É sabido que, desde os descobrimentos, se operou uma razia tal à nossa floresta que só recentemente (últimas décadas) foi compensada.

A floresta de hoje não é igual à floresta anterior aos descobrimentos: é muito mais densa porque é maioritariamente composta por pinheiro e eucalipto.

A pinheiro e o eucalipto são excelentes combustíveis. Quando começam a arder, ninguém lhes pode fazer frente.

Há ainda áreas (ou havia, no Algarve) onde o sobreiro é dominante. Mas aí, a praga ecologista tratou de criar as condições que garantissem que o fogo se viesse a propagar de forma incontrolável: conseguiu obter legislação que proibisse não só a limpeza dos terrenos, como a limpeza dos matagais que sempre se formam nas margens dos cursos de água (por pequenos que sejam).

Os cursos de água progridem, naturalmente, nas zonas mais baixas do terreno. Conhecendo-se a facilidade com que um incêndio de propaga encosta acima, a presença de chamas nos matagais dos cursos de água garante a proliferação das chamas pelos vales, como um rastilho de pólvora, e a respectiva propagação às encostas, exactamente a forma pela qual mais eficientemente tudo arde.

Há-de sempre haver incêndios. É disparatado pensar que se pode, em absoluto, evitar o seu aparecimento. A única coisa que há a fazer é criar mecanismos para evitar que eles se tornem incontroláveis.

Não vale a pena gritar por helicópteros e por outros equipamentos, se, de cada vez que se acrescentem meios, se descurar, ainda mais, a organização da floresta. Os meios aumentam na proporção do caos florestal, e ficamos na mesma.

Parece óbvio a toda a gente, que algumas coisas relativamente simples baixariam drasticamente não o perigo de incêndio, como muitos erradamente afirmam, mas a perigosidade do incêndio.

O perigo de incêndio diz respeito à possibilidade, ou não, da sua eclosão. A perigosidade diz respeito às consequências caso o incêndio se instale.

O segundo pode fazer diminuir o primeiro: a redução substancial das consequências de um incêndio é um factor desmobilizante da mão criminosa.

Voltando à prevenção, e deixando de lado os meios, porque, suponho, já teremos, média geral, mais que suficiente (alugados ou não), há duas coisas que parecem óbvias: é preciso manter a floresta limpa, e é preciso dividir a floresta de forma que vastas áreas sem arvoredo permitam que um incêndio numa das zonas se extinga quase por si próprio, ou possa ser eficientemente combatido.

A limpeza da floresta é essencial para que seja possível atravessá-la, mas não chega. Ela arde na mesma.

A limpeza é necessária, por um lado porque há espécies que crescem espontaneamente, por outro porque as operações de abate deixam no terreno altíssimas quantidades de matéria combustível.

O problema é que a limpeza tem enormes custos que ninguém parece querer suportar.

Em tempos que já lá vão, os rebanhos tinham um papel preponderante nesta matéria. Já vi, perante meus olhos, zonas perfeitamente transitáveis sem qualquer manutenção aparente, tornarem-se impenetráveis matagais simplesmente porque o pastor lá da zona se reformou.

Surge então o papel do estado que, entre nós, legisla quase sempre para dar a impressão que o “preto no branco”, si por só, resolve alguma coisa. Os governos e a Assembleia da República ainda não legislaram no sentido da obrigatoriedade de chover nas datas adequadas, mas já faltou mais.

Como diz um homem que conheço, o A4 aguenta tudo, mas a realidade está-se nas tintas para o que lá coloquemos.

Só será possível conter os incêndios (evitar é outra coisa) se forem encontrados métodos baratos de manter as florestas limpas e se se encontrarem formas de compensar os agricultores que se vejam inibidos de plantar floresta nas suas propriedade em virtude da criação de zonas tampão desflorestadas. E esse esforço não pode ser só dos governos ou das autarquias: tem que ser de toda a população, ao nível das juntas de freguesia. De outra forma continuaremos a ver arder e a culpar os governos.

Repare-se que a generalidade da população rural nem sabe o que fazer em caso de incêndio. Não tem pás, máscaras, botas, coisas simples que lhes permitissem sequer fazer face a um peque o incêndio.

Na perspectiva em que as coisas se encontram, não é mau de todo que o território vá ardendo. Caso contrário, o volume e o caos florestal tomariam tais proporções que o primeiro incêndio reduziria a cinzas a totalidade do território nacional.

Enquanto não formos capazes de organizar a floresta (organizar-nos a nós próprios), resta-nos que as vastas áreas que vão ardendo sirvam de vacina para os próximos anos e permitam que as áreas já ardidas funcionem como tampão para os próximos fogos.

Quando não respeitamos a natureza, ela encontra os seus próprios caminhos, com ou sem a nossa colaboração – a nosso contento ou não.







terça-feira, 6 de junho de 2017

Notícias falsas

Há muito tempo que os media "progressistas" fazem isto, lá fora quanto em Portugal.


O problema do ódio "progressista" às suas próprias gentes.


Sobre a palermice europeia de afirmar que "temos que integrar os imigrantes" sem pretender que essa tarefa cabe exclusivamente aos imigrantes. E não o pretendem intencionalmente, jogando no limbo da semântica, porque pretendem que sejam os europeus a adaptar-se a quem chega.

É o problema do ódio "progressista" às suas próprias gentes.

Entretanto, o fascismo da "europa" faz-se sentir criminalizando as opiniões quem não vai ao encontro da conversa fascista de Bruxelas e dos seus apaniguados.

O multiculturalismo e os corta-unhas





Clinton/Obama - esquerdalhos e crime, uma e a mesma coisa

A poeira sobre as ligações de Trump aos russos começa a assentar e começa a aparecer o iceberg da corrupção de Obama/Clinton. De assassinatos a pedofilia a comissões em negócios estatais, dá para tudo. Parece o Lula.



sábado, 3 de junho de 2017

Lula na cadeia. Falta Obama, Hillary e ...

... os imbecis do komissariado socialista de Bruxelas e apaniguados locais. Há que não esquecer as toupeiras socialistas que empestam o PSD e o CDS.




Entretanto, os "progressistas" marxistas continuam em missão de lavagem ao cérebro:


sábado, 27 de maio de 2017

Bolas de sabão pela paz ...

Um grupo de imbecis progressistas (desculpem o pleonasmo) resolveu, nos EUA, entrar em greve de fome simbólica. Estavam em greve de fome, mas apenas simbolicamente, quer dizer, comiam sempre que lhes apetecia estando, simbolicamente, em greve de fome.

No Brasil ...



Em Portugal já assisti, no Cabo da Roca, a uma vigília pela paz onde a sacerdotal coisa consistia em murmurar .... AAAAAAUUUUUUUUMMMMMMMM.

domingo, 30 de abril de 2017

Cut pede a prisão de Lula? Olhe que não!

Bia Kicis esclarece:


Eduardo Bolsonaro expõe chiliques de Maria do Rosário


Olavo de Carvalho tem 70 anos de razão


FAKE NEWS: A salazarologia

Faxe News:
Expresso: “Salazar, em 1967, era chefe do Governo quando, pela primeira vez, um Papa visitou o país. O ditador decretou um dia de feriado nacional a 13 de maio e permitiu uma amnistia geral. Mas recusou encontrar-se com Paulo VI, depois de o Papa ter recebido, em Roma, representantes dos movimentos de libertação das ex-colónias portuguesas de África.”

Não só Salazar e Paulo VI se encontraram como a audiência de Paulo VI aos líderes do movimentos independentistas (de libertadores não tinham rigorosamente nada, antes pelo contrário) só aconteceu três anos depois de Paulo VI vir a Fátima.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Lord Monckton's Presentation at the Heartland’s 12th International Conference on Climate Change



Um nome a reter: Ion Mihai Pacepa, romeno que trabalhou na KGB, divisão de desinformação.

Columnist's appearance on 'Tucker' sparks firestorm


Malkin: Koppel interview exposed the liberal media elitists


Hannity: Koppel interview is example of 'edited fake news'


Public school turns computer lab into mosque, bars non-Muslim students


O polvo de Lula

Cinco (em 7) conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro foram arrecadados:

Hannity: Uranium One and the Clinton connection


domingo, 19 de março de 2017

RT - Why Marine Le Pen is The Only Way to Save Europe #Frexit #EndEU


Sobre fugas de informação e outras coisas

No Insurgente, por Carlos Guimarães Pinto:

Imagine o leitor que era um juiz ou um procurador a investigar alguém muito poderoso. Possivelmente, uma das pessoas que mais poder e influência acumulou em 40 anos de democracia. Essa pessoa tem uma rede de contactos que se estende do mundo empresarial à imprensa, passando, claro está, pelo poder político. O leitor sabia que, mais tarde ou mais cedo, essa rede de contactos iria começar a funcionar no sentido de impedir a sua investigação. Sabia também que quando os amigos do investigado voltassem ao poder, haveria muitas pressões no sentido de acabar com a investigação. O que fariam nessa situação se quisessem blindar o caso? Simples: patrocinariam fugas de informação para que a opinião pública entendesse a gravidade da situação, tornando assim muito mais difícil que o caso viesse a ser arquivado por pressões externas. Tendo que optar entre a justiça e o segredo de justiça, qual deve ser a escolha?

sábado, 18 de março de 2017

Carne Fraca: regulação e corrupção


BREAKING : Google Cracks Down On Anti-Islam Speech


Judge Napolitano - Trump is the Enemy of the Deep State, 1549


Col. Tony Shaffer Explains How Donald Trump Is Moving Against The Pedophile Networks


Inaptocracia

 
"...Um sistema de governo onde os menos capazes de governar são eleitos pelos menos capazes de produzir  e onde os outros membros da sociedade são recompensados por bens e serviços pagos pelo confisco de riqueza e do trabalho de um número de produtores em diminuição contínua..."
 
A definição nasceu em França, et pour cause... E em Portugal?  

Islamists who want to behead gays are fine, Polish citizens are deported!


sábado, 4 de março de 2017

Stefan Molyneux: Did President Obama Spy On Donald Trump?


O gang de Obama


Watergate em esteróides


Veteran fights charges for placing flags on VA property


Obama merece ir fazer companhia aos barbudos de Guantanamo

President Trump tweets that Obama had Trump Tower wiretapped prior to election


'Hannity' : A Conversation with George W. Bush - Fox Nation


Castrem o adúltero!

No Blasfémias ...

...
Porém, as gajas da UMAR (União de Mulheres Alternativa e Resposta — expressão que deve ter significado apesar de críptico), associação que discrimina 50% da população, e que também vêem com afinco os programas de Tarot (ou Reiki, ou Feng Shui ou o Prós e Contras) ficaram indignadas ao ponto de terem soltado uma gotinha de xixi em forma de queixa ao Público.
...

Os "progressistas" regressivos da imbecil "europa" estão apostados em que Marine Le Pen seja eleita


quinta-feira, 2 de março de 2017

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

BREAKING NEWS! President Donald Trump Signs Executive Order H.J. Res. 41

Mais um prego no caixão da putrefacta "europa":

56.000 regulamentos em 20 anos. O socialismo no seu melhor. Regulamentar até que tudo pare.

2017 PIZZAGATE INSANE NEW EVIDENCE! CELEBRITIES EXPOSE PIZZA GATE HOLLYWOOD PEDOPHILIA!


Ensinar para a mediocridade com o pretexto da inclusão e igualdade

No Profbloque, a voz do dono ou o caminho para a solidificação de uma casta de escravos eternamente dependentes do estado que se anuncia como seu amo protector: 
Ensinar para a mediocridade com o pretexto da inclusão e igualdade
Já se percebeu que o Governo socialista entregou a pasta da educação ao BE e ao PCP. Toda a estratégia seguida vai no sentido da reversão das políticas anteriores, políticas essas ancoradas na ideia do reforço da exigência, da competição e do esforço. Essa mensagem foi entendida por todos os stakeholders: professores, pais e alunos. Uma mensagem poderosa com poder para, por si só, elevar os padrões e o nível de exigência e de compromisso de todos. Os resultados do PISA estão aí para mostrar as evidências de uma política educativa bem sucedida.

Caminha-se, há mais de um ano, para o lado oposto: colocar os recursos ao serviço dos que não querem estudar e impedir a criação de vias de ensino que respondam às necessidades dos que não se encaixam no ensino geral. A declaração de morte do vocacional foi um momento alto das políticas de reversão. A retórica contra os exames foi outro momento. Os alunos que não gostam de estudar e que não se encaixam no ensino geral ficaram sem respostas concretas.

As respostas concretas foram substituídas pela propaganda sobre a inclusão e a igualdade. Entretanto vai-se enchendo as escolas de professores sem turma, com o pretexto de que, quanto mais professores houver numa escola, maior a disponibilidade para alocar recursos aos alunos que não querem estudar ou que não se encaixam no ensino geral. Na maior parte dos casos, esses professores que não dão aulas só atrapalham. Em breve se verá que mais recursos correspondem a menos resultados.

Aguardemos os resultados.

Nigel Farage: Only 20% of Europeans want immigration from Muslim countries to continue


O extraordinário mundo da pedofilia progressista

474 Arrested, 28 Underage Sex Slaves Rescued in Calif. Sting 


Em Portugal, os imbecis que reinam no ministério da "educação" são da mesma estirpe.

Oroville Dam Spillway Repair

Malta da pesada, pensa:



sábado, 11 de fevereiro de 2017