segunda-feira, 6 de abril de 2015

Fascismo para todos os gostos

António Costa que que seja a ANA a cobrar a todos os seus clientes a taxa necessária para continuar a pagar os desmandos da CML.

Não foi engano, não foi descuido, é a afirmação de "ética republicana" passando a entidades privadas a cobrança de impostos.

Já com a economia de rastos, já com um insuportável nível de impostos, sendo já difícil continuar com a política de desorçamentação de despesa por via de swaps, insiste-se na cobrança de impostos por via de empresas privadas. A ANA cobra aos seus clientes, entrega à câmara, os portugueses arrotam, o socialismo fascista continua o seu rumo.

Espero que todas a câmaras venham a reclamar igualdade de tratamento para ver se os imensos e imensamente tontos percebem que é 'apenas' mais um esquema em pirâmide.

Mas há no PSD um outro tipo de luminárias que não anda muito longe, pretendendo que entidades privadas recebam de outras entidades privadas impostos recolhidos pelas segundas sobre ... suportes de memória. Neste caso, como no caso das eólicas, é o estado a trespassar parte da sua razão se ser (existir) criando entidades para-estatais trespassando a actividade cobrança de impostos para o estrito domínio do privado.

Para chulice não bastou já o socialismo multiplicativo e redistribuidor keynesiano?

1 comentário:

I. B. disse...

POR FALAR EM ANTÓNIO COSTA:

http://peticaopublica.com/psign.aspx?pi=PT76702

CONTRA A CONSTRUÇÃO DE UMA NOVA MESQUITA EM LISBOA!