sábado, 13 de julho de 2019

Bandalheira total na política de contratação de professores

 No Profblogue:
É a bandalheira total! Estima-se que um em cada três professores não têm serviço letivo atribuído. Não dão aulas. São colocados perto de casa, sem horário letivo, ao abrigo de uma coisa chamada de colocação por condições específicas.

Se somarmos a isto o número de professores com baixas prolongadas, ficamos com um retrato aproximado da bandalheira que sucessivos governos e sindicatos foram criando nas últimas décadas.

E depois, temos uns bacanos que vêm para a praça pública vaticinar uma putativa falta de professores nos anos mais próximos.
Para a esquerda social comunista, a bandalheira faz todo o sentido: quanto mais professores no sistema, ainda que sem turma atribuída, mais votos conseguem obter. No limite, esta esquerda mentirosa e corrupta gostaria de ter um país onde todos fossem empregados do Estado.

O que custa mais é ver a pseudo direita do PSD e do CDS a darem o seu consentimento à bandalheira.

segunda-feira, 1 de julho de 2019

O caos chega às escolas estatais

No Profblogue

" À pala da autonomia e flexibilização curricular, vai-se instalando o caos nas escolas. No seio dos professores abundam os extremistas de extrema esquerda e os idiotas que andam sempre à procura da última novidade, engolindo-a sem avaliarem a sua toxicidade. Deixados à solta, são um perigo para as crianças e jovens deste país.

Abundam notícias sobre escolas que deixam de dar classificações aos alunos com o pretexto de que classificar promove a desigualdade. Outras reduzem os tempos curriculares, tirando da matemática, história e português para darem às transversalidades e outras tretas.

Entretanto, a burocracia cresce por todo o lado. Relatórios e planos de melhoria ocupam grande parte dos tempos não letivos dos professores. As escolas dedicam cada vez mais recursos a tarefas que estão para além das aprendizagens. A avaliação do desempenho de professores e funcionários ocupa uma centralidade que deixou de ser dada ao ensino. "

terça-feira, 19 de março de 2019

A capoeira que é hoje Portugal

Portugal está maduro ao ponto de não se perceber se os mais imbecis são os escroques da “Europa” se os de Portugal.

No caso do território de Portugal, o governo é hoje uma enorme colecção de escroques e, no estado, começa a haver dificuldade em, no mínimo, perceber-se onde a influência deles não é determinante.

O “poder local”, braço do sistema estatal que pugna por parecer que o não é, está cheio de imbecis dirigentes cheios de planos para o quinhão que lhes coube do país que é hoje uma capoeira ao serviço da máquina governo-estatal.

Mais ou menos impossível será certamente fazer com que eles percebam que o papel deles é apenas o de atenderem à forma como as pessoas pretendem viver e seguir-lhes as pisadas. Quanto aos “modelos” que eles insistem em vociferar … que os metam no traseiro.

Os portugueses querem ter carros e andar neles e cabe à corja de idiotas perceber que assim é e actuar em conformidade, por exemplo, não aumentando a densidade edificada tornando as ruas intransitáveis. Mas, e os modelos de “mobilidade urbana”? Que os metam no traseiro. Quem tem o direito de decidir, exclusivamente, como organizar a vida e vivê-la são os próprios portugueses e não os donos do pretenso galinheiro.