quarta-feira, 13 de julho de 2011

Não estranhe, sr Primeiro Ministro

Títudo da TSF:


Não estranhe, sr Primeiro Ministro. Não estranhe porque a razão é simples. Em notável coisa de notação criada na "europa" para servir os desígnios da "europa", nem os europeus acreditam e muito menos os capitalistas indígenas.

A "europa" especializou-se em comprar as suas próprias dívidas para "dinamizar as dívidas da a economia" e só e apenas os pacóvios euro-burocratas dizem que acreditam porque o tacho lhes vai esticando.

As tais agências, a serem criadas, ficariam como a linha de TGV espanhola que foi encerrada por falta de passageiros. Por isso todos lamentam e ninguém mexe uma palha.

O oligopólio de que V. Exa se lamenta é constituído por quem tem dinheiro e decide em quem confiar em matéria de aplicação desse dinheiro, e essa confiança não passa por nada, mas nada, em que haja, sequer, aroma euro-burocrata.

Na "europa" ninguém vai mexer uma palha até que a força de gravidade se encarregue de nivelar o castelo de cartas cujo "presidente" é a triste personagem com carisma de esfregona, "eleita" por um bando de idiotas, e com quem V. Exa se encontrou.

3 comentários:

Joaquim Simões disse...

Chapelada.
Com vénia.

José Damião disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
RioD'oiro disse...

JD,

Se quer publicar artigos de opinião abra um blog e publique de lá. No mínimo, anuncie que se trada de um assunto fora de contexto.