quinta-feira, 14 de julho de 2011

"Regular", já, e em força.

Ora bem. Tendo em atenção que a "europa" se prepara para "regular" a opinião que as agências de rating têm relativamente aos países europeus acusando-as de defenderem os interesses dos Estados Unidos, conviria que, face à "ameaça", proveniente das mesmas agências, de se poder a vir a estar perante um abaixamento do rating dos kamones, que a regulamentação incluísse a proibição de atentar contra o excelente rating do reino de Obama sob pena de poder deixar de se perceber qual a entorse que se pretende endireitar.

Sem comentários: