quarta-feira, 23 de maio de 2018

No governo dos EUA, Obama e Clinton testas de ferro de Putin - II

aqui tinha afirmado que Putin dominava o governo Obama/Clinton e conseguiria domínio total se Hillary tivesse ganho as eleições. Nessa perspectiva, a necessidade em comprometer Trump era total e absoluta, e tudo Obama fez para armadilhar o terreno a Trump, pretendendo comprometê-lo dentro de um cadinho de colaboradores armadilhados para funcionalmente parecerem comprometidos face aos russos, projectando esse cenário, com o conluio da comunicação social marxista (quase toda), no próprio Trump.

Fico com a impressão que tiveram azar e que até os russos já se pretendem desenvencilhar da vergonha de se perceber que Trump se aguentou. Este rumo parece claro por dois vectores: Muller atirou a escada a Putin acusando várias empresas russas e Putin respondeu ordenando a uma delas que respondesse à acusação para a qual Muller nada tem de factual. Generaliza-se assim o patinanço da "investigação" ficando criado espaço para que Muller se retire mais paulatinamente da ribalta.

Entretanto, Obama vai sentindo os calos mais apertados.

Sem comentários: