terça-feira, 16 de agosto de 2011

Do mundo dos bodes

Voltou a febre das 150000 cabras que se espera deverem via a ser espalhadas pelo Norte do país. Voltou a febre e voltou a desculpa esfarrapada de que a coisa não avança porque faltam os incentivos (leia-se dinheiro dos contribuintes) já garantidos do lado espanhol.

Mas para que servem os incentivos? As cabras andam com falta de apetite?

Um dos pastores refere que lhe apertam o pipo diariamente com mais e mais obstáculos até que ele desista. E são precisos incentivos para lhe aliviar o garrote?

Porque não abrem as matas públicas, aquelas que ardem incontroladamente e nem os bombeiros acham valer a pena tentar combater porque é justamente o estado o campeão do desleixo, aos pastores para nelas, livremente e sem terem que informar o estado das coordenadas geográficas de cada cagada de bode, alimentarem as cabras?
Vai ser preciso comprar os "ecologistas", "conservacionistas" e "engenheiros do ambiente" para ficarem quietos? É este o "incentivo" que falta? E será estabelecido via "financiamento de projectos" pela Caixa Geral de Depósitos, entre outras, à Quercus?


Sem comentários: