domingo, 13 de novembro de 2011

Comentadores

A falta de distanciamento, excesso de engajamento, militância na fracturante causa, incapacidade cognitiva em reconhecer o absoluto disparate relativamente à papa lamacenta chamada suprema "europa" tem deixado a generalidade dos comentadores de serviço falando sem pés nem cabeça.

Nesta generalizada inadaptação ao mundo real destaca-se a incapacidade em perceber que os mercados apenas reagem à crescente performance em insolvência das economias da "europa". É confrangedora a incapacidade em perceber-se que o crise financeira resulta da percepção pela parte dos credores da "europa" de que o bicho está imóvel, ferido, moribundo, ... mas os reguladores de Bruxelas continuam a parir autênticas Kama Sutras em bruxedo regulamentar.

De há uns meses a esta parte o nosso Presidente da República parece ter passado a fazer parte do referido grupo tentando encontrar sentido no euro-mundo do disparate.

Sem comentários: