quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

A França está “totalmente falida”

Pois está.

Como aqui, no FI, de há muuuuuito tempo se afirmou, a "europa" é uma baleia moribunda e a França, evidentemente, é um dos seus "motores" e não escapa.

A regulamentação socialista central, asfixiante e triturante, transformou um conjunto de países cada qual tendo a sua própria dinâmica, numa turba de falidos.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

A próxima Festa do Avante vai realizar-se em Pyongyang

Ementa de pequeno almoço: criancinhas.


Alberto Gonçalves em grande forma





(imagem obtida aqui)


Duas crónicas suas, no DN (respectivamente aqui aqui):





Quem se esquece do PS?

À semelhança de boa parte dos portugueses, as trapalhadas internas do PS interessam-me tanto quanto um concurso filatélico. Aliás, reconheço nem saber ao certo de que trapalhadas falamos. Parece que a impopularidade do Governo e uns pulinhos difusos nas intenções de voto convenceram o dr. Seguro de que chegara a sua hora. Parece que os herdeiros do eng. Sócrates, entusiasmados pelos mesmos peculiares motivos, querem remover o dr. Seguro e colocar alguém "confiável" no seu lugar. Parece que António Costa, cuja enorme relevância começou anteontem a ser inventada, é a escolha "natural" dos socialistas que se afirmam alternativa à austeridade. Conforme avisei, a coisa é de facto aborrecida. Excepto para um psiquiatra.


Fora do manicómio em que os políticos indígenas cirandam, os estragos causados nos últimos anos bastariam para erradicar o PS do mapa político. Dentro do manicómio, o PS não apenas se acha no direito de reclamar o retorno antecipado ao poder como julga mais provável consegui-lo na exacta versão que, de desastre em desastre, o levou a perder esse poder. O dr. Seguro, faça-se-lhe a honra, quis mostrar-se envergonhado das proezas do partido e, sem grandes resultados, tentou disfarçá-lo sob o verniz da responsabilidade. O dr. Costa não tem vergonha nenhuma e, se o pernicioso regresso aos mercados não lhe trocar as sondagens, pondera apresentar-se às massas enquanto o orgulhoso representante dos desvarios que condenaram as massas a apertos sem fim à vista. Se nada garante que tamanha extravagância vá longe, a sua mera plausibilidade é suficiente para recear a falta de memória e de juízo do bom povo.


Mesmo no futebol, que não será um universo particularmente lúcido ou vital, é difícil imaginar os sócios do Benfica ansiosos por devolver à presidência aquele fulano que costuma gravitar entre os luxos de Londres e a cadeia. Na política, porém, é teoricamente possível reabilitar com leveza o sicrano que, após reduzir uma população à penúria, experimenta, alegadamente a expensas da família e da banca, as delícias de Paris (mas não, salvo seja, a cadeia). Os apóstolos do sicrano andam desejosos de terminar o lindo serviço que iniciaram, e o próprio já é um nome "óbvio" para Belém. Um país assim dá sempre vontade de rir. Mas raramente dá vontade de habitar.


American idol

Foi exemplar a hesitação de Barack Obama quando, na tomada de posse, tropeçou ao pronunciar o nome do próprio país. É difícil falar em Estados Unidos se, além de cientificamente duvidoso (a referência dogmática ao "aquecimento global" caiu ali a que propósito?), o discurso que o Presidente terminara minutos antes constituiu uma tentativa de inventariar motivos de divisão e conflito internos.



Escrevo "tentativa" porque aludir à discriminação sofrida pelas mulheres, pelos homossexuais e pelos imigrantes soa um bocadinho a anacronismo ou a erro geográfico. Poucas nações exibem os índices de igualdade de género dos EUA. Raríssimas nações são tão progressistas no tratamento legal (e informal) dos homossexuais quanto os EUA. E, em última instância, decerto nenhuma nação acolhe "naturalmente" os estrangeiros como os EUA, aliás definidos em larga medida por esse milagre de integração.



Não digo que, hoje e sobretudo ao longo da História, o milagre estivesse isento de obstáculos. Digo que exagerar as diferenças num momento destinado à coesão demonstra o tipo de estadista que Obama é: um delegado de cliques e parcelas, para quem as políticas de "identidade" têm precedência face ao mundo real. O mundo de Obama não é habitado por indivíduos, mas por grupos que o elegem ou abominam e aos quais ele se preocupa em servir ou alienar. Não custa prever que o segundo mandato reforce a tendência insinuada no primeiro: os estados já estiveram de facto mais unidos. Vale que a partir de agora falta cada vez menos para a reforma de um objecto de veneração e um sujeito que não a justifica.

Tempo de Antena (01) . As causas da crise

André Abrantes Amaral e Paulo Laureano a conversar sobre as causas da crise que Portugal atravessa.

Estado de servos

No Ablogando

Está instituída mais uma estirpe de parcerias publico-privadas que consista na simbiose permitida, não inocentemente, pela lei, "assistentes sociais", estabelecimentos de "protecção" de menores e tribunais.

Por exemplo, se um adolescente pedir para ir dar uma volta com amigos aparecer em casa com uma cardina ou uma pedrada monumental e os pais lhe aviarem uma lostra, essa "criança" vai à GNR, apresenta queixa dos pais por agressão, a GNR intima os pais, avisa os assistentes sociais e há uma alta prbababilidade da "criança" ser retirada aos pais para ser "promovida" num centro estatal qualquer.

Na prática, o que começou por ser um processo para recolha de jovens que andavam aos caídos, fugiam de casa, e que, pela gravidade do seu comportamento tornava praticamente inviável a correcção da situação pelos próprios pais, passou, paulatinamente, a ser um processo pelo qual os pai passaram a ser, até prova em contrário, o perigo, a ameaça, a mais provável fonte de problemas.

Já não bastava a permanente desvalorização instigada pelo estado, nas escolas públicas e estatais, do papel dos pais trazendo-os ao nível dos filhos, temos agora a inquisição dos assistentes sociais que vêem nos pais e na família em geral um atentado à educação em moldes politicamente correctos e cuja sapiência é absorvida da ideologia maoista. A ida dos militantes da assistência social aos tribunais pretende apenas aplicar ao processo uma carimbadela de sacudidela de água do capote porque as famílias em causa dificilmente terão discernimento ou posses para recorrerem a um advogado. Ao fim e ao cabo, a generalidade delas está tão dependente do estado e tão amestrada por ele que apenas se sente assassinada na parte do seu 'eu' que corresponde aos filhos. Quanto aos filhos, são sistematicamente enviados para algures, a centenas de quilómetros do local de origem, sem saberem exactamente porquê ou sem saberem o que os distingue dos que têm pais capazes de fazer frente à triturante máquina assistencialista.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

O delicadinho do 5º

A referência como "escurinho", de Arménio Carlos ao gajo do FMI, não teria qualquer importância não fosse a esquerdalha altamente sensível à acusação, aos outros, de "racismo".

Mas que é uma observação apaneleirada, é.


Leitura complementar:
Saramago - "Pois que a língua que falo é de outra raça."

Ary dos Santos - "Dïsse que pertencíamos a uma raça de homens livres e indomáveis, que livre e indomavelmente havia caminhado pelo Mundo, rasgando os sulcos de outras pátrias."


Nota:
A Constituição de Portugal é racista pelo simples facto de estabelecer não poder haver discriminação em função da raça, dando implicitamente de barato que a espécie humana é composta por raças.

Comunistas:

Afinal sempre comem criancinhas ao pequeno almoço.

Jon Stewart/Paul Krugman

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Francisco Ferreira: o mortal anedota

Wenn ist das Nunstück git und Slotermeyer? Ja! Beiherhund das Oder die Flipperwaldt gersput!



Francisco Ferreira da Quercus afirmou hoje de manhã na RTP que morrem, todos os anos em Portugal e em resultado de ataques cardíacos provocados pelo ruído, 50.000 pessoas...!!!

Estou a imaginar o médico legista na autópsia: "ainda se ouvem no coração ecos do ruído"...

Muitos devem ter esticado o pernil ao ouvir Francisco Ferreira. Pois. Malefícios do ruído.

... e ninguém lhe dá com um pano encharcado nas trombas?

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Durante os próximos 18 anos 100 000 000 de pessoas morrerão por causa do "aquecimento global" ...?????

Dos desapressados

Comentário que deixei no FaceBook de Ramiro Marques:

A estratégia do PS era simples: deixar que o governo fizesse o que tem que ser feito e que ele sabe ter que ser feito, de forma a chegar-se às próximas eleições com o trabalho feito mas na cava do processo. O governo sabe que tem que acelerar para lá chegar já depois da cava. Evidentemente que o primeiro caso arrasta o período de sofrimento e o segundo abrevia-o. Para o PS, o sofrimento dos portugueses, aliás criado por ele próprio, é irrelevante, pois apenas lhe interessa estar instalado no poder alimentando de ego e não só, as suas tropas.

Para o PS, como para qualquer socialista, a realidade pouco interessa desde que a onda seja por eles cavalgada. A orgástica recente excitação resultou da sua subida nas sondagens. Este tique da "pressa?" resulta da presente descida.

É gente que vive não da realidade mas do que parece, do marqueting, dos 'sinais', da moda, da crença, do auto-convencimento, do umbigo. Em boa medida militam numa forma desviante de religião, substancialmente solipsista.

domingo, 20 de janeiro de 2013

Vieira do Minho e o socialismo de como o mundo deve ser

O socialista da câmara de Vieira do Minho, sentindo aparentemente a obrigação de compensar o esforço de uma sua militante aquando da sua campanha eleitoral, tratou de lhe adjudicar o projecto do parque de recreio da vila.

No parque, claramente instalado em leito de cheia da ribeira que atravessa a vila, a intangível tratou de obrigar o curso de água a uma gincana de umas centenas de metros. Não bastando o disparatado ziguezague, a ribeira foi emparedada com uma parede de pedra encavalitada uma na outra para lhe dar um ar rústico. Tudo muito giro, tudo como de faz nos desenhos animados e nos cartoons.

Escusado será dizer que no primeiro inverno, o rio galgou as margens, atascou o parque em lama, demoliu uma parte das margens e, se a chuva continuar, tratará de recolocar o seu próprio leito no local original de onde, evidentemente nunca deveria ter sido desviado.

Quem pagou (ou irá ainda pagar?) a aventura? O pagode. E espero que tenha aprendido.

Capitalismo, tecnologia, criatividade

Helicópteros AugustaWestland

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Obama e a dialéctica marxista

John Stossel - Whatever Happened To Transparency?


Eu Show Nico 1981 - a flor

O realizador Nuno Teixeira recusou inicialmente a flor como peça central do décor destes programas. Houve que convencê-lo que o trabalho do arquitecto Conde Reis, autor da ideia, resultaria plenamente, como veio a resultar. Nuno Teixeira acabou por conceder ter sido uma boa ideia.



Por que não há paz no Médio Oriente?


A EURSS e o espelho ... "quem é mais bela que eu"?

A "europa" quer ser bem vista e, não o estando a conseguir, regulamenta no sentido se ter que ser bem vista.

As agências de rating servem para informar os investidores sobre os riscos que cada entidade representa face ao investimento. A "europa" pretende regulamentar que tudo, neste celestial continente, seja radioso, irrepreensível e insusceptível de insucesso. Quanto mais o tentarem mais demonstrarão insegurança e espalharão a desconfiança.

EU aiming to control credit rating agencies - Godfrey Bloom


EU removing any analytical roadblocks that stand in its way - Marta Andreasen


EU wants its very own credit rating agency


EU grinding Europe to long-term decline - Roger Helmer


segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Charlton Heston: Resisting Cultural Persecution



Charlton Heston spoke about individual rights and freedoms, urging students to express their opinions on those rights even if their opinions were unpopular.

http://www.LibertyPen.com

Monckton


Climate change skeptic Lord Christopher Monckton explains why despite the cries of environmentalists, it isn't capitalists destroying the natural earth. Originally broadcasted December 12, 2012.


Pugresso: eutanásia

Aqui há tempos, neste mesmo blog, estalaram raios e coriscos por causa do assassinato da 'eutanásia não permitida'.

Hoje com bébés, amanhã com crianças ... hoje suicídio 'a pedido', amanhã ...

Primaveras de sentido único



(imagem recolhida aqui)


(imagem recolhida aqui)

Cuba: mais "revolução"

Cuba:
"todos os cubanos podem viajar para fora do país se tiverem um passaporte válido"
Vamos ver se há passaportes para quem desejar ...
"A exceção recai sobre os dissidentes, como a líder das Damas de Branco, Berta Soler, e a blogueira Yoani Sánchez"
Queriam o quê?
"A nova lei migratória é uma das mais revolucionárias reformas introduzidas pelo presidente Raúl Castro"
Sempre revolucionário. Fazem hoje o contrário do que era ontem revolucionário e continua a ser revolucionário. É a eterna dialéctica revolucionária. Não importa o quê, é sempre vitória.

sábado, 12 de janeiro de 2013

The Doors

HD:

E se fossem lamber cagalhões?

Esta petição é das coisas mais nojentas que me recordo ter lido.

Porque não vão lamber os cagalhões do "Zico" como prova de apreço e respeito pela natureza representada no organismo que matou a criança, ser humano cujo nome se vão esquecendo de referir?

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

EURSS prepara-se para substitir embaixadas de países membros

A resposta, convenientemente retorcia desta senhora (alguém sabe quem é, por que vias ali aparece e/ou porque carga de água fala do assunto?), leva a crer que a "europa" se está a preparar para substituir as embaixadas dos países membros por embaixadas que não são embaixadas porque a "europa" não é um país membro ...


Sobre "jornalismo"

Convém que este artigo seja lido (escrito em 2005) antes de ler este outro. Estará, talvez, na altura de se actualizar o primeiro.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Um defunto governa a Venezuela



"A imprensa brasileira ficou calada diante do ato imperialista do PT de impor Hugo Chávez como governante, prescindindo a posse formal. Ninguém escreveu que foi um violência institucional apoiada desde fora, do Brasil. Possivelmente temos agora um defunto governante, ou será um governante defunto? A comédia e a tragédia andam de mãos dadas aqui. O ato imperialista do Brasil foi feito em nome do Foro de São Paulo, repetindo gestos como o de Zelaya em Honduras e o do Uruguai recentemente. Um perigo para a tradição diplomática brasileira"

Da dialéctica

Olavo de Carvalho, que tinha suspendido as palestras semanais, voltou com palestras mensais.

Obama prepara-se para um terceiro mandato

Democrat plan lets Obama run for 3rd term

No Insurgente:
 President Obama could get 3 terms if H.J.Res 15 abolishes term limitsE há quem ache isso positivo. Enfim…

.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

domingo, 6 de janeiro de 2013

Lord Christopher Monckton Agenda 21 and Environmental Marxism


Medina Carreira - Estado Social, reforma ou implosão (12 de Nov. de 2012)



Nos últimos 30 anos, pelo menos, demos uma grande prioridade política ao Estado Social, e os aumentos, as verbas que foram sendo, todos os anos, dedicadas aos Estado Social acabaram por provocar um aumento da despesa que, com uma economia frágil como aquela que vamos tendo, acabou por criar os problemas que nós hoje realmente temos.

A economia cresceu entre 80 e 2010, a 2%, as despesas sociais 4.3%, mais do dobro.

Em 1970 tínhamos 250.000 reformados. Hoje temos aprox. 3.700.000.

O Estado Social não é de origem marxista. Era social democrata, democrata cristão e socialista. Para os discípulos de Marx, o Estado Social era um instrumento ao serviço da burguesia. O Estado Social tinha sido criado pela burguesia para tirar vantagens de uma sociedade satisfeita e trabalhadora.

Se não conseguirmos resolver o problema da industrialização, a Europa não terá salvação do ponto de vista económico.

... nós temos sempre, assim, uns aventureiros mentais.

80% do crescimento da despesa primária foi despesa social.

... antes donas de casa que doutores.

Os 4.000 milhões [de corte] têm que ser em alguma coisa do Estado Social. Não há noutro sítio 4.000 milhões.

[No PS] simplesmente esquecem-se que se não se resolver alguma coisa nisto, o próximo governo vai apanhar outra grande pancada, possivelmente não vai governar, também. Sem se mexer no Estado Social não há nenhum governo que se vá conseguir aguentar.

A Suécia reformou-se há 20 anos. Nós, aqui, enquanto não se bate na parede não se reforma nada.

Vai ser preciso mexer-se muito mais nas prestações sociais.








sábado, 5 de janeiro de 2013

Medina Carreira - Fernando José da Costa (5 Nov. 2012)

Olhos nos Olhos, com Medina Carreira e Fernando José da Costa, Presidente da C. M. de Caldas da Rainha.

Por Artur Baptista da Silva!


(foto obtida aqui)

Pc reparado, volto hoje para sugerir a constituição de um movimento cívico, com vista a levar Artur Baptista da Silva mais alto do que até hoje conseguiu ir politicamente: a lista distrital do PS que foi derrotada pela de António Costa. Os socialistas não o merecem.


O lugar legitimamente reclamável por Artur Baptista da Silva  dentro do actual panorama político e social português, nunca poderá, pelo sucedido, ser inferior ao da chefia de um grande órgão de comunicação social. Mas o posto que verdadeira e honrosamente lhe compete é: ou o de futuro chefe do Governo que substitua o actual; ou o de próximo Presidente da República.


Porque jamais qualquer responsável deste país pôde ou poderá, tão dignamente como Artur Baptista da Silva, escolher a seguinte frase como lema de campanha: "Não engano ninguém!"

(foto obtida aqui)

Produtividade na CML

Aposto que toda esta gente tem uma excepcional produtividade a gastar dinheiro e recursos.

O Tribunal de Contas não poderá dar ali uma voltinha?

Luso-intangíveis

Repare-se nesta coisa maravilhosa:
"Em comunicado, o Palácio das Necessidades acrescenta que a TAP é uma sociedade privada, distinta do Estado, pelo que não responde pelas dívidas estatais."
A TAP é uma sociedade privada ... É privada e o estado vai privatiza-la. E está, o estado, à espera que todo o mundo aceite, sem pestanejar, que a TAP é uma sociedade privada?

Já agora, convirá que os adeptos do NÃO PAGAMOS saboreiem a amostra do que aconteceria se ...

2012 foi “um ano de luta”


No blog recomendado Ricardo Campelo de Magalhães


sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

É só fumaça

Uma das figuras mais emblemáticas cá do burgo, caracterizada por ser recorrentemente acometida do virtuosismo de dar uma no cravo e outra na ferradura na suposição que, tudo misturado, resultará em pólvora que o nunca chamuscará, foi alvo de mais uma auto-perplexidade.

Tentei deixar um comentário aqui, mas, para não variar, o comentário não entrou à primeira e nas tentativas subsequentes depois faz surgir a mensagem que "parece que já disse isso". Aqui fica ele:



Não é errado apontar-se os dois pesos e duas medidas de quem mais perora contra algo que anuncia pretender fazer. É errado porque desvia a atenção para o que é fundamental. Não é, portanto, fundamental, apontar o erro crasso de quem mais perora contra algo que está certo?

Por exemplo. O capanga-mor da CGTPCP foi a Cuba festejar o aniversário e os sucessos da revolução cubana no exacto momento em que o estado cubano despede quase 1 milhão de trabalhadores. O gajo que em Cuba vê a coisa como uma conquista civilizacional vê a mesma hipótese, em Portugal, como a mais atentatória medida contra as conquistas civilizacionais.

E o caro pretende fazer crer que "Nem sequer sou suspeito de admiração pelo funcionamento interno do PCP".

Pela sua bitola, o assassinato de milhões de pessoas pela referência culturais do zote da CGTPCP, José Estaline, foi também ocasional por se ter passado há que tempos?

Pat Condell: Patronising the Palestinians




Because we're racists.

"As Muslims, our blood vengeance against the Jews will only subside with their annihilation." This is the kind of insanity Israelis are up against, but the free world shoves fingers in ears and pretends not to hear.
http://www.youtube.com/watch?v=GqHPHYzVKXU

Hamas spells it out again. No negotiation ever.
http://www.youtube.com/watch?v=_0DiQRO_49M

Hezbollah: "It is an open war until the elimination of Israel and until the death of the last Jew on earth."
http://online.wsj.com/article/SB10001424127887324439804578105691046734674.html

Arab human rights group accuses Palestinian authority of widespread abuse of its own people.
http://www.jpost.com/MiddleEast/Article.aspx?ID=297746&R=R1

Gaza militants violated the laws of war
http://ansamed.ansa.it/ansamed/en/news/sections/generalnews/2012/12/24/Mideas...

Palestinians refuse to ban "honour killings". No outrage in the West. No boycott. No ambassadors called in. Nothing.
http://maannews.net/eng/ViewDetails.aspx?ID=550792

Hamas leader's family treated in Israeli hospital
http://www.jewishpress.com/news/israel/hamas-leaders-family-treated-in-israel...

Hamas: 25 facts for 25 years
http://honestreporting.com/hamas-25-facts-for-25-years/

An officer and a Muslim Zionist
http://www.israelhayom.com/site/newsletter_article.php?id=5727&r=1

Why I no longer hate Israel
http://www.ynetnews.com/articles/0,7340,L-4213529,00.html

Preaching the gospel of liberalism to the Jordanian street
http://www.timesofisrael.com/preaching-the-gospel-of-liberalism-to-the-jordan...

You can download an audio version of this video at
http://patcondell.libsyn.com/

Subscribe via iTunes at
http://itunes.apple.com/WebObjects/MZStore.woa/wa/viewPodcast?id=262679978

NEW BOOK OF TRANSCRIPTS with 32 page intro
http://www.lulu.com/shop/pat-condell/freedom-is-my-religion/paperback/product...

ALSO ON KINDLE
http://www.amazon.com/dp/B00AQL4OHS

AND IN iBOOKS
http://itunes.apple.com/gb/book/freedom-is-my-religion/id588963669?mt=11

ORIGINAL BOOK OF TRANSCRIPTS
http://www.lulu.com/content/paperback/godless-and-free/7864233

ALSO ON KINDLE
http://www.amazon.co.uk/Godless-And-Free/dp/B0048EL6M0

AND IN iBOOKS
http://itunes.apple.com/gb/book/godless-and-free/id443978643

DVDs available at
http://store.richarddawkins.net/products/pat-condell-anthology-i-ii-set

Follow me on Twitter
http://twitter.com/patcondell

Ask me a question on PushPage
http://www.pushpage.me/PatCondell

Website
http://www.patcondell.net

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Despedimentos no PCP

Diz Alexandre Araújo do PCP:
Para atingir o equilíbrio financeiro, podemos não dispensar - e não dispensaremos certamente - uma efectiva contenção de despesa, nomeadamente de funcionamento e, nalguns casos, de estrutura.

Soluções não imperialistas, não "especulativas" e não neo-liberais para que o PCP contorne a crise:

1 - Imediata entrada em greve, por tempo indefinido, de todos os trabalhadores do PCP e sem a correspondente redução salarial.

2 - Subida generalizada dos salários dos trabalhadores do PCP. Só assim, e pela via do consumo interno, a economia em geral e a situação financeira do PCP poderá, por arrasto, melhorar.

3 - Redução do horário de trabalho dos trabalhadores do PCP por forma a permitir que o PCP contrate ainda mais trabalhadores, combata o desemprego e ajude à dinamização do consumo interno. O gesto patriótico não deixará de bafejar, a curto prazo, as finanças do PCP.

4 - Requerer das FARC financiamentos regulares ao PCP, a fundo perdido e indefinidamente.

5 - Aproveitando a cimeira, em Cuba dos coma-andantes da Venezuela e Cuba, requerer a oferta de bens de 1ª necessidade para Portugal por forma a compensar algum inconveniente que a aplicação das propostas anteriores possam ter nas finanças dos trabalhadores do PCP e respectivos agregados familiares.

6 - Isentar os trabalhadores do PCP de impostos. As necessárias contribuições serão entregues ao estado directamente pelo partido e oriundas da sua tesouraria.

Caso o conjunto das preconizadas medidas não resulte, despedir os trabalhadores em causa com indemnização de, pelo menos 6 meses por cada ano de trabalho, balizados pelo mínimo de 36 meses de indemnização.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Miguel Relvas segue as pisadas ...




Ventos contrários para a utopia renovável alemã

Este artigo do Luz Ligada é extraordinariamente interessante.  [Actualizado]

De acrescentar, suponho eu, que, de acordo com este link também lá disponibilizado, a Alemanha tem tentado colmatar a sua falta de linhas de alta-tensão Norte-Sul recorrendo às linhas dos seus vizinhos países de Leste (em particular a República Checa e Polónia) fazendo passar por esses territórios a energia de que necessita a sul.

Já agora, a intermitência das eólicas resulta das variações de vento e tem, salvo erro, pelo menos dois substanciais inconvenientes:
   1 - Obriga a constantes manobras nas redes de distribuição (ligar/desligar circuitos);
   2 - Obriga a fazer variar a potência, com substanciais prejuízos, nas centrais geradoras convencionais. Essas frequentes variações (que ocorrem necessariamente à batuta das variações de vento), não permitem a optimização do consumo dos combustíveis usados nessas centrais.

A utilização dos phase shifters (desviadores de fase) não permitirá que a energia alemã possa usar, como percurso, as redes dos países vizinhos e obrigará ao desligar dos moinhos de vento quando  não houver consumo suficiente a Norte da Alemanha (não há linhas de alta-tensão suficientes para fazer chegar essa energia ao Sul da Alemanha ser através dos vizinhos a Leste da Alemanha). Esta dificuldade poderá ser colmatada se a Alemanha instalar linhas de alta-tensão entre o Norte e o Sul, mas as forças políticas que seringam para que as eólicas sejam instaladas são as mesmas que não querem ver linhas de alta-tensão. As eólicas só têm alguma utilidade prática se instaladas no Mar do Norte porque só aí há vento suficiente (em Portugal não há vento suficiente em lado algum). Mesmo assim não é claro que os sustos de instalação no mar, as tornem rentáveis. [Ver nota.]

Enfim, mais um tijolo no rumo para a total insipiência da "europa" como bloco económico porque mata a produção industrial. Os ambientalistas "garantem" quem, a prazo, a energia eólica será suficientemente baratas enquanto simulam não saber que também as outras fontes de energia evoluem e se vão tornando mais baratas.

----

Nota:
Em comentário, BC deixou uma nota importante:
"As renováveis intermitentes só terão paridade com as outras fontes quando custarem zero, ou seja, nunca."

.