segunda-feira, 9 de maio de 2011

Propaganda

A gramática utilizada pela generalidade da comunicação social relativamente ao empréstimo que o FMI aprovou para Portugal vai no sentido dessa verba estar quase a cair, inteirinha, nas mãos do estado.

Tirem o cavalo da chuva. Esse dinheiro virá a conta-gotas à medida que for sendo feito aquilo que o FMI determinou exactamente como determinou. Quanto mais espernearem mais tempo demorará.

Entretanto um dos megafores de serviço do PS, Santos Silva, vem reclamar que a oposição não sabe fazer contas. O mesmíssimo PS que não acertou, em absoluto, nenhuma das suas próprias contas e estatelou Portugal na bancarrota, pretende agora saber fazer as de seara alheia.

Sem comentários: