segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Portugal e os maravilhosos tótós

Vivemos numa época em que saltam tótós de todas as esquinas. A esta, a da Confederação das Micro, Pequenas e Médias Empresas, canta o mor João Pedro Soares:
«Se estamos a retirar verbas a este circuito económico interno nacional e estamos a retirar essa verba do bolso das pessoas e dos consumidores, naturalmente que isso vai fazer que o valor de baixa da Taxa Social Única não vá compensar a falta de mercado», adiantou.
Não ocorre ao "representante" que bastará que os seus representados entreguem ao trabalhador a verba que o Estado lhes vai deixar de cobrar para anular o nefasto efeito anunciado? Que está ele à espera para se virar para trás e propor o que evitaria os arrepios que lhe correm pela espinha?

Entretanto diz mais:
«farão com que algumas grandes empresas, que têm muitos empregados, vão encaixar valores que nem conseguimos contabilizar».
Quererá isto dizer que as empresas que ele representa gostariam de encaixar idênticos valores tendo menos trabalhadores?

1 comentário:

Freire de Andrade disse...

Também notei essas discrepâncias no discurso do dito senhor da Confederação das Micro-, Pequenas e Médias Empresas. Não sei quem o elegeu nem que empresas representa, nem sabia que existia tal confederação, mas a comunicação social dá-lhe tempo de antena sem explicar que representatividade tem.