terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Mário Nogueira - o lutador

Do lutador [via ProfBlog] que não dá aulas há 20 anos e que, como professor(!?), além de estar classificado como BOM, recebe do estado, mensalmente, 3000 Euros.


E os professores não têm vergonha da cara por terem, como representante,  este espécimen?

12 comentários:

José Gonsalo disse...

É bom ter um salário de 3000€, até porque ninguém recebe tanto no ensino secundário.

Joaquim Simões disse...

Mas compreende-se. Afinal, ser "de esquerda" não pode limitar-se a ser um privilégio intelectual.

Jorge disse...

Sabem o que é avaliação por ponderação curricular?

Com profs como vocês, os dos posts anteriores, mal vai a nossa classe.
Postar assim é intelectualmente desonesto


cumps

RioD'oiro disse...

Caro Jorge,

Desonesto é "ser-se" defensor dos trabalhadores por conta da entidade patronal.

RioD'oiro disse...

"Sabem o que é avaliação por ponderação curricular?"

É "ser-se" defensor dos trabalhadores por conta da entidade patronal.

David Levy disse...

Eu teria vergonha se ele me representasse em algum lugar, mas como não pago quotas a esse sindicato, só sinto repulsa.

Sorge disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sorge disse...

Quanto às excitações forçadas que os grandes media e os seus cães-de-guarda, perdão, especialistas, produzem e reproduzem sobre o salário do Mário Nogueira só me apraz dizer duas ou três coisas:

1. O primeiro-ministro ganha bem mais do que ele, nunca trabalhou na vida – o que aliás notoriamente se reflecte no seu desempenho governativo – e tem como grande solução para a educação a emigração dos professores num país em que 1/5 dos portugueses não tem frequência escolar.

2. Infelizmente para o nosso País, o analfabetismo reflecte-se em áreas importantes da vida nacional, na qualidade política dos nossos governantes e consequentemente no nível intelectual de alguns dos autores neste blog.

3. Numa coisa acertaram — no título. O Mário é efectivamente um grande lutador e merecia o dobro do seu salário pelo que tem feito pela educação e pelos professores. Tem sido uma espinha cravada na garganta de muitos dos imbecis da direita – do PS ao CDS – que têm destruído a escola pública, a qualidade do ensino e da ciência em Portugal e que naturalmente não lhe perdoam ter sido o rosto e uma parte importante do esforço na luta pela dignidade do ECD dos professores, entre outras importantes lutas. A prová-lo está precisamente a mediocridade argumentativa de quem o ataca, por encomenda, com argumentos que oscilam entre o imbecil e o mesquinho.

Santo Natal.

RioD'oiro disse...

Sorge,

A luiminária em causa tem sido a coveira dos professores. Alguns professores (e não poucos) acreditam no mesmo que ele e são coniventes no processo. Outros professores são parvos o suficiente para serem igualmente responsabilizáveis por ocuparem lugares em que era suposto terem dois dedos de testa.

Face ao exposto percebe-se que a generalidade dos professores têm sido parvos e a parvoíce está a sair-lhes cara para além, evidentemente, de saírem, eles e a sua parvoíce, cara ao país.

Outra coisa não é de esperar de cretinos que, como o caro Sorge, acreditam religiosamente em socialistas (nacionais ou internacionalistas) ideologias moribundas que, como nenhuma outra, mataram pelo mundo fora um total que não anda longe de 100 milhões de pessoas.

Sorge disse...

É sintomático da sua ignorância algo apalhaçada com tiques doutorais, caro Rio D'Oiro, saltar do Mário Nogueira para os professores para o socialismo internacional e para os 100 milhões.
É você o bobo aqui da corte? Ou é só a tradicional teoria da conspiração? Isto está tudo ligado!!!!
Mas olhe que deve ser 100 milhões mas sem contar com feriados e fins de semana…

Tenha algum juízo e menos espuma.

RioD'oiro disse...

Caro Sorge,

É isso que Mário Nogueira representa, é isso que o caro Sorge representa e apenas não o implementam porque não conseguem.

Apesar de o não conseguirem vão tão longe quanto possível, no caso presente foram suficientemente longe para arruinar pelo menos uma geração inteira de jovens, um quase inteiro ramo profissional e a generalidade de um país.

O descalabro só não foi maior porque não passou da internacional socialista, com muita pena sua e do Mário Noqueira, evidentemente.

Joaquim Simões disse...

Caro Sorge:

"O primeiro-ministro ganha bem mais do que ele, nunca trabalhou na vida – o que aliás notoriamente se reflecte no seu desempenho governativo – e tem como grande solução para a educação a emigração dos professores num país em que 1/5 dos portugueses não tem frequência escolar."

Suponho que, a avaliar pelo que afirma, conheça bem tanto o primeiro-ministro como Mário Nogueira. Mas, uma vez que não adianta os dados concretos sobre as suas vidas particulares e profissionais, a minha aceitação do que afirma fica, compreensivelmente, em suspenso. Mas, em simultâneo, fiquei ciente daquilo que é capaz de espalhar aos quatro ventos sem o previamente o provar.
Por outro lado, se for verdade que 20% dos portugueses não tem frequência escolar, tal facto deve-se a quê? Será remediável com o aumento do número de docentes nas escolas do ensino público? E porquê?

"Infelizmente para o nosso País, o analfabetismo reflecte-se em áreas importantes da vida nacional, na qualidade política dos nossos governantes e consequentemente no nível intelectual de alguns dos autores neste blog"

Dou-lhe razão neste ponto, caramba! Nos governantes, nos dirigentes partidários de todos os quadrantes (inclusive os dos partidos que os ventos da História varreram há muito e que, para menor mal de todos, nunca estarão num governo) e em mim próprio, que, embora esforçando-me por "aprender, aprender sempre" jamais me sinto tão conhecedor como desejaria. E, já agora, também, se me permite, em 90% dos comentadores deste blog, que, por cortesia e delicadeza me escuso de nomear.

" Numa coisa acertaram — no título. O Mário é efectivamente um grande lutador e merecia o dobro do seu salário pelo que tem feito pela educação e pelos professores. Tem sido uma espinha cravada na garganta de muitos dos imbecis da direita – do PS ao CDS – que têm destruído a escola pública, a qualidade do ensino e da ciência em Portugal e que naturalmente não lhe perdoam ter sido o rosto e uma parte importante do esforço na luta pela dignidade do ECD dos professores, entre outras importantes lutas. A prová-lo está precisamente a mediocridade argumentativa de quem o ataca, por encomenda, com argumentos que oscilam entre o imbecil e o mesquinho."

Nesta parte, parafraseio Vítor Bento, dizendo que não discuto assuntos religiosos. Mas devo afirmar-lhe, tanto quanto me permita a discordância, que tenho motivos para dizer dele exactamente o oposto e de quem o aprecia a mesmíssima coisa que o meu caro Sorge afirma de quem o ataca.
Opiniães, como dizia o Outro.