quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

"OS" belgas em cuecas....

Manneke pis (puto mijão) símbolo de Bruxelas


Rio disse: Quem refere "os" belgas a uma ínfima parte dos belgas. Neste caso a RTP, está a mentir.

Não partilho esta opinião. Acho que neste caso a RTP não está a mentir muito! É verdade que apenas uma ínfima parte dos belgas se manifestou, despindo-se para acelerar a formação de um governo nacional, mas é preciso ter em conta que está aqui um frio desgraçado. Mas o que o Rio não sabe, é que já houve mais manifestações lúdicas deste tipo acerca do mesmo tema. Uma delas até bem engraçada: incitava as mulheres belgas a não darem a pachacha aos respectivos maridos ou amigos até haver um acordo entre os partidos!

Toda a gente sabe, as belgas também, que ninguém vai seguir à risca a palavra de ordem, mas o importante não é isso, o importante é o impacto da mensagem na imprensa. E o impacto foi tão grande que até atravessou a fronteira e as iniciadoras foram convidadas ao programa diário de entrevistas mais visto na Holanda. Mais discussão sobre o assunto…

E como estamos em maré de revoltas, aproveito para dizer que pessoalmente acho que em Portugal já é tempo de optarmos também por formas mais modernas de protestar, que são bem mais eficazes do que ouvir, por muita razão que tenham, pela milésima vez as reclamações dos economistas convidados do Plano Inclinado - e eu, graças ao Rio não perco um vídeo - ou os discursos do Rebelo de Sousa! Ou então, porque não, fazer as duas coisas… (ver aqui outro exemplo de protesto moderno com enorme sucesso)

Até sugeri como exemplo, e o clima em Portugal até é mais propício, uma manifestação de gente toda nua à porta da casa da Fátima Felgueiras, até ela devolver a guita que andou a gamar. Os mais piludos poderiam eventualmente até tatuar na pila a quantia exacta que a senhora roubou ao estado, o que proporcionaria close-ups invulgares mas interessantes no noticiário da RTP. Os mais radicais até poderiam mijar no jardim ou na caixa do correio! Imaginem só o impacto e a publicidade! Naturalmente com o respectivo vídeo no Fiel e no YouTube…

Voltando à questão inicial - que de maneira nenhuma é essencial. A razão mais evidente que a RTP não está a mentir, até está a dar uma ideia bastante exacta da situação, é que a grande maioria da população belga quer realmente que se forme um governo o mais depressa possível. Por isso o “os” não é totalmente descabido.

Mas o nosso camarada Rio, viu homens e mulheres nus e zás catrapus, não quis ver mais nada! Puritanamente, mas sobretudo precipitadamente, achou que não devia ser coisa boa: modernices, logo esquerdices, logo minoritários! Por isso postou este texto assaz injusto para com o bom povo belga:

Rio disse: Meia dúzia de bezerros e bezerras que se despiram na via pública em "revolução". A estupidez militante chegou ao extremo da coisa ser candidamente veiculada como "revolução” das batatas fritas.

Não se faz, sobretudo em relação a um povo que tem uma excelente cerveja e, a seguir a Portugal, as melhores batatas fritas do mundo. E se calhar aqueles e aquelas belgas até eram da corda, da nossa claro, mas como saber? Só apalpando…

4 comentários:

Go_dot disse...

O CdR parece estar a fazer escola.
Aqui e aqui

Ontem em Nijmegen, este bezerro tresmalhado decidiu igualmente por à prova formas mais modernas de protestar

Disse que se sentia comido pelos verdes e pelos sociais democratas, por estes não lhe terem arranjado o emprego (subsidiado), prometido durante a campanha para as ultimas eleições.

Não esta claro se foi reinternado, mas ameaçou que nas próximas eleições ou lhe arranjam emprego ou votara no Wilders

RioD'oiro disse...

teste

RioD'oiro disse...

Go_dot,

O Blogger tinha-o remetido ao buraco negro do SPAM. Já o tirei de lá. Não faço a mínima ideia porque foi assim, mas, entretanto, há comentários que andam perdidos e que estão a chagar muitas horas depois, também não sei porquê.

Volta e meia acontece isto.

Carmo da Rosa disse...

Go_dot disse: ….mas ameaçou que nas próximas eleições ou lhe arranjam emprego ou votara no Wilders

Ora aqui temos uma ameaça que funciona. Repare-se na actuação do novo presidente da câmara de Amesterdão, apesar de ser do mesmo partido (Partido Trabalhista Social-Democarta) que o anterior, é outra loiça, este já não vai beber chá para a mesquita quando há problemas com o Islão…