sábado, 13 de junho de 2009

Fazer "algo" pelo clima

Aqui no blogue, o pelouro climático é do Range-o-Dente que, verdade seja dita, toca todos os pelouros com igual versatilidade.

Mas de vez em quando eu gosto de retornar a este assunto pois, como é sabido por todos os políticos e actores de cinema, a mudança climática provocada pelo homem é um perigo para o ambiente e tem de se fazer algo.

Como também é evidente para toda a gente, eventos climatéricos que antes ocorriam naturalmente, tornaram-se hoje provas insofismáveis da mudança climática.
Tanto a última cheia, como a última seca só acontecem hoje, ao contrário do que acontecia antes, por causa da mudança climática.
O gelo que se separa dos glaciares, os furacões, os tornados, as ondas de calor, a alteração dos testículos dos ursos polares, o Al Gore, o Leonardo DiCaprio, etc, fazem também parte das catástrofes que antes nunca aconteceram e que agora nos despertam para a mudança climática.

Estes sinais do fim alertam-nos para a urgência de fazermos "algo".
Há uns anos foi-nos dito que só tinhamos 50 anos para fazer "algo", depois passou para 5 anos e teme-se agora que para fazer "algo", tenhamos que mandar alguém ao passado, para mudar os nossos execráveis e poluentes comportamentos como, por exemplo, expirar CO2.

Cheguei a estas conclusões com um notável modelo climático que fiz em Excel e que , não sendo um modelo topo de gama, é tão parecido com a realidade como estes.

Estou assim apto a juntar-me ao circo do Sr Gore e das estrelas de cinema especialistas em proteger a Mãe Natureza, e garanto-vos que , como eles, estou perfeitamente capacitado para andar de jacto privado de um lado para o outro, a apelar a que as pessoas andem a pé e gastem menos papel higiénico. Se se trata de um bom objectivo de vida para políticos falhados e entertainers , também o pode ser para mim.

A primeira coisa que gostaria de explicar, se eu próprio a entendesse, é porque razão continuam a chamar "Óptimos climatéricos" aos períodos anteriores de aquecimento do planeta, quando parece evidente que se estaria muito melhor debaixo de 1 Km de gelo.

Já li o Evangelho segundo Al Gore e não encontrei lá resposta a este mistério da fé.


13 comentários:

Range-o-Dente disse...

Então, e as fases da Lua? Já reparou, caro Lidador, que ultimamente estão mais fases e mais Lua que antigamente?

José Gonsalo disse...

Lidador:
A fé... é uma coisa cá de dentro, prontes...!

D disse...

Então... só mesmo para ver se tou a perceber: o aquecimento global provocado pela poluição é uma invenção da esquerda liberal, correcto?

Range-o-Dente disse...

D:

"o aquecimento global provocado pela poluição"

Onde foi você buscar essa ideia tonta?

.

Anónimo disse...

Poluição do livre pensar, talvez...

D disse...

Pronto, emissão de CO2...

Range-o-Dente disse...

D:

"Pronto, emissão de CO2... "

Ahhhh!!!

Aquela coisa que as árvores respiram e a partir da qual geram oxigénio?

.

Anónimo disse...

Pois é tirando o facto dos glaciares e das calotes de gelo perderem área ano após ano não se verificam mais nenhumas certezas.
Mas se o efeito estufa existe até podem existir algumas vantagens.
- As plantas consomem dióxido de carbono e produzem oxigénio, os animais consomem oxigénio e produzem dióxido de carbono, ora este equilíbrio terminaria dentro de trezentos milhões de anos devido á transformação de todo o dióxido de carbono existente na atmosfera, em produtos como o carvão, petróleo, húmus etc. Consequentemente as plantas morreriam e os animais também. Felizmente apareceu o macaco sapiens a queimar tudo o que encontra pela frente contribuindo assim para prolongar a existência de vida na Terra tal como a conhecemos.
Mais seis graus de temperatura significa mais evaporação de água nos oceanos logo mais chuvas, que aliadas a uma grande percentagem de dióxido na atmosfera permitem uma aceleração da fotossíntese realizada pelas plantas consequentemente uma explosão de vida e de novas espécies como a que ocorreu no tempo dos dinossauros.
Algumas centenas de milhões de macacos sapiens terão de migrar devido à subida do nível do mar e as secas ( infelizmente vai chover menos nuns locais e muito mais noutros).
Os espécimes portugueses devem emigrar para o norte do Canada, Sibéria, Gronelândia e Antárctida.
http://omacacoqueriglobal.blogspot.com/2009/01/mensagem-do-vulo-na-voz-do-orangotango.html

Range-o-Dente disse...

"Pois é tirando o facto dos glaciares e das calotes de gelo perderem área ano após ano não se verificam mais nenhumas certezas."

Pena é que essa certeza, como as outras, esteja furada.

Leia esta que tem graça:

http://ecotretas.blogspot.com/2009/06/investidas-vikings.html

Claro que os iluminados concluem o seguinte:

http://ecotretas.blogspot.com/2009/06/periodo-quente-medieval-e-ipcc.html

Lá está. Os Vikings não são proxie que se cheire.

ejsantos disse...

E fazer algo pelos apanhados do clima?...

D disse...

(Plantas como aqueas das florestas e bosques que estão a ser constantemente destruidas?)
Mas já estou a ver! Tudo o que temos de fazer é meter plantas ao pé das chaminés e escapes e ficar a velas a absorver tudo. Problema resolvido.
Estou a ver que, porque o Al Gore anda de jacto, toda a evidência cientifica que ele apresentou é logo desacreditada. Porque a ciência define-se pelo caracter de quem a apresenta. Ad Hominem, alguem?
Os vosso argumentos são quase idênticos a quem diz que o cancro que o tabaco causa é uma invenção. Ora, se há quem fuma a vida toda e vive até aos 80!!!
Por favor, fiquem se pelos comentários politicos e deixem a ciencia para os cientistas. Que, por acaso, são maioritariamente os americanos, que curiosamente os que tem mais a ganhar com o a descrença no "mito" do aquecimento global, que apoiam a incerteza em relação a este. Ad Hominem, sim senhor.
Mas pronto. Porque ainda não estamos submersos pelo mar, acho que os cientistas não americanos, AKA o resto do mundo andam para aí a inventar.
"Poluição do livre pensar, talvez..."
Pois é, camarada. Se ao menos podessemos meter todos esses intelectuais num campo de trabalho qualquer...

Carmo da Rosa disse...

@ D: "Os vosso argumentos são..."

Calma aí caro D, isto não é um partido político! Cada qual é responsável pelos posts que assina...

Range-o-Dente disse...

Caro D:

"Tudo o que temos de fazer é meter plantas ao pé das chaminés e escapes e ficar a velas a absorver tudo."

Não vire o bico ao prego que não pega.

Precisando acelerar o crescimento das colheitas teremos que fornecer CO2 às plantas. Suponho que desconhecerá que nas estufas a ventilação se faz, entre outras razões, para permitir manter o CO2 a níveis altos.

"Al Gore anda de jacto"

O Al Gore faz-se de parvo para encher os bolsos. Nada de Novo. Que parvos genuínos o sigam também não espanta.

"o cancro que o tabaco causa é uma invenção"

O tabaco é venenoso, o CO2 não é. Como não é o azoto que você inspira em 70% de cada golfada.

"Por favor, fiquem se pelos comentários politicos e deixem a ciencia para os cientistas."

Não vire o bico. Os comentários políticos afinfam em política. Os seus "cientistas" fazem política.

"Que, por acaso, são maioritariamente os americanos, que curiosamente os que tem mais a ganhar com o a descrença no "mito" do aquecimento global,"

Mas que trolha você me saiu. Quer você dizer que os americanos são tão estúpidos que nem conseguem ter estúpidos?

Já agora, veja lá se consegue convencer os seus "cientistas" a publicar os dados e os métodos que usaram para chegar às conclusões que afirmam. A climatologia é a única ciência ao abrigo do controlo de pares. Tem aqui um exemplo, entretenha-se:

http://www.climateaudit.org/?p=6203

http://www.climateaudit.org/?p=6160

"Mas pronto. Porque ainda não estamos submersos pelo mar, acho que os cientistas não americanos, AKA o resto do mundo andam para aí a inventar."

Veja isto ...

http://fiel-inimigo.blogspot.com/2008/07/tggws.html

... que lhe cura o catarro.