terça-feira, 9 de junho de 2009

Salazar, o fascismo e o "fássismo"

Andam para aí umas discussões sobre o salazarismo e o fascismo.
Os nossos "antifássistas", evidentemente, não fazem a coisa por menos...se o seu "antifássismo" é a sua coroa de glória, a cicatriz de guerra, a medalha de coragem, a razão de ser, então é absoluta a necessidade de proclamar aos quatro ventos que não lutaram contra algo menor, mas sim com o Mostrengo da lenda, o Fascismo puro e duro, sem atenuantes e sem nuances.

Na verdade a maioria deles e dos seus embevecidos admiradores, ignoram que repetem apenas um preconceito hipnopédico que poderia ter saído do Ministério da Verdade.
De facto saíu do Komintern o qual, numa célebre reunião que teve lugar em 1934, desenvolveu uma arma de defesa do comunismo que consistia em catalogar de “fascistas” e “reaccionários” a todos os anticomunistas. Incluindo os socialistas, derivativo edulcorado do comunismo, a quem foi posto o amoroso nome de "social-fascismo".

A memória histórica não é compatível com as regurgitações simplificadoras desta gente, pelo que nem sequer é deles a culpa de repetirem acefalamente o velho slogan, nem de não terem percebido que o fascismo, o nazismo e o comunismo eram versões muito parecidas do mesmo totalitarismo.
Que tinham até a mesma génese. Hitler orgulhava-se disso e Mussolini era do ala esquerda do Partido socialista italiano, uma espécie de Ana Gomes com menos cabelo.
O seu inimigo jurado era o liberalismo.

"Agora que a idade do individualismo terminou, a nossa tarefa é encontrar o caminho que conduza ao socialismo, sem revolução”"
(Adolf Hitler)

Se o século XIX foi o do indivíduo o séc actual é o século colectivo”

"Tudo para o Estado, nada contra o Estado, nada fora do Estado"

(Benito Mussolini)

O salazarismo não era fascismo. Era uma ditadura platónica ( Platão defendia uma certa forma de autocracia), muito longe do totalitarismo que caracterizava os três irmãos ( fascismo, nazismo e socialismo).

Na verdade Salazar tinha aversão aos movimentos de massas e tratou logo de enjaular o fascista Rolão Preto, desmantelando as suas miícias.


7 comentários:

Anónimo disse...

Ó miúdo. Deixa-te de tretas e vai falar com o teu pai, esta tua insistência na definição do período
SLAZARISTA é de criança mimada de colégio militar. Escrever sobre uma época de uma forma teórica é uma coisa, viver é outra. Se fizeres,(tu tens estofo para isso)
uma tese sobre o ADOLFO és capaz de lhe cortar o bigode, dar um toque de pente na franja, e temos um anjo na ribalta. Ó meu! já chega. Ouviste. E não me venhas cá com merdas que sou de esquerda. Não sou.

Carmo da Rosa disse...

@ Lidador: "Na verdade Salazar tinha aversão aos movimentos de massas e tratou logo de enjaular o fascista Rolão Preto, desmantelando as suas miícias."

Problemas com as letras neste último parágrafo!?

E Don Francisco Franco Bahamonde, Generalísimo e Caudillo de España por la Gracia de Dios, ficou todo contente quando os republicanos fuzilaram em Madrid o verdadeiro fascista, o seu grande rival, o carismático chefe da Falange Espanhola, Don José António Primo de Rivera. Porque o pobre Paco Franco, para quem Deus não foi muito generoso dando-lhe um físico de hermafrodita e uma vozinha de velha beata, sabia que não chegava aos calcanhares do José António...

O Salazarismo não era fascismo puro mas dava uma ideia, tinha um cheirinho que já era o suficiente para tornar a vida de muita boa gente bastante desagradável...

Para os mais novos, que não viveram este período e que querem ter uma ideia do tempo da outra senhora, aconselho o documentário do António Barreto PORTUGAL UM RETRATO SOCIAL. No caso espanhol, poderiam ver os filmes LA COLMENA ou LOS SANTOS INOCENTES de Mario Camus.

o holandês voador disse...

CdR:
"Físico de hermafrodita e uma vozinha de velha beata" é uma boa caricatura.
A dar crédito a notícias recentemente publicadas, o Franco só teria um testículo. Nada de grave. O Hitler também parece que só tinha um.
Pode estar aí uma (não a única) explicação para o seu pendor de "esquerda". Faltava-lhes o testículo direito.

O-Lidador disse...

Claro Cdr, como já disse, o salazarismo foi uma ditadura.
Tenho a razoável certeza de que eu me daria mal com ela, se tivesse idade para isso.

E nada tinha a ver com fascismo, para além de alguns aspectos coreográficos.
Eu vou pela descrição de Dean Acheson, então Secretário de Estado Americano e "liberal" ao modelo americano: um ditador paternalista, fora do tempo, platónico.

Que haja senso das proporções: a repressão salazarista matou 60 pessoas em mais de 4 décadas.
O Pinochet matou 3000 em muito menos tempo, o Fidel já vai em 30 000, e o Pol POt mandou-se para os 2 milhões e tal.

Sim, é verdade que um morto é uma tragédia e 1 milhão mera estatística ( Estaline dixit), mas haja bom senso nas vociferações contra o "fássismo", carago.

É que por esta ordem de ideias, até Pombal era "fássista".

Carmo da Rosa disse...

”@ Lidador: “O Pinochet matou 3000 em muito menos tempo, o Fidel já vai em 30 000, e o Pol POt mandou-se para os 2 milhões e tal.”

'Pinuts'. O camarada José Vissarionovitsh Dzjoegachvili Stalin bateu até hoje todos os recordes – mas o Wilders ainda não começou! Segundo estimativas prudentes morreram 15 milhões de russos por causa da política do Grande Educador. Já para não falarmos do Grande Timoneiro...

@ Lidador: “É que por esta ordem de ideias, até Pombal era "fássista".”

Eh pá, isso é que não, o Pombal foi o maior português de todos os tempos (a seguir ao Eusébio claro). Se o Pombal é fascista, então eu também quero ser ‘fássiiiiiiiiiiista’.

Carmo da Rosa disse...

@ holandês voador: “Pode estar aí uma (não a única) explicação para o seu pendor de "esquerda". Faltava-lhes o testículo direito.”

Faltava-lhes mesmo, ou estava deslocado? De qualquer maneira dizes muito bem, não é a única explicação...

Eh pá, mas o Franco, com ou sem tomates, não é de esquerda – com esta história de tomates já me estavas a baralhar os pedais, como dizem os franceses - esse, nós, neo-cons, vamos ter mesmo que aguentar com ele, que remédio...

Anónimo disse...

Obrigado Fiel gente, não será milagre de Fátima, mas vi a luz e Fiel é o milagre, um tema que á priori pesava os exactos quilos da sua massa, é afinal um delicado cheiro a channel. Pois sim, SALAZAR
não tinha bigode e nunca andou de franja caída, um impecável ditador - um Gentleman,...digamos-.
Passar por aqui ilumina. Mais uma vez OBRIGADO.


O