segunda-feira, 23 de abril de 2012

Da surdez no clítoris - pequena adenda intercalar



CdR:

Já agora, numa rapidinha, e porque poderá haver mais gente para quem o que eu pretendo dizer ainda não é claro.

A intenção altruísta implícita, se não declarada, das lésbicas surdas que pretendem gerar um filho igualmente surdo tem a ver com a sua capacidade para educar uma criança. Sentindo-se incapazes -ou tendo medo de o ser- de a prepararem devidamente num e para um mundo de "normais", isto é, num e para um mundo com uma amplitude potencial de oportunidades e de riscos superior àquela que possuem, tencionam criar mais alguém com esse mesmo handicap. É a bem da criança que o fazem, note, porque qualquer outra poderia ficar prejudicada. Puro altruísmo, alguém duvida?

Se elas pretendessem educar uma criança surda já existente, ainda vá lá. E digo "vá lá" porque, apesar disso, o mundo é predominantemente "normal" e a criança teria que, como todos os outros  — surdos, cegos, coxos, deficientes mentais —  absorvê-lo culturalmente para se poder desenrascar e comunicar nele. Mas pronto...

Um casal de surdos viveu, durante anos, no prédio das traseiras do meu, tiveram uma filha sem qualquer problema sensorial ou outro e educaram-na também sem qualquer dificuldade acrescida. O facto de ela ter saído lésbica, não me parece derivado de um problema educacional  - este exemplo parece uma piada, relativamente ao caso de que estamos a tratar, mas não, é mesmo verdade.

O que se passa com os "educadores religiosos" que pregam e praticam a excisão do clítoris é semelhante. O que eles estão a fazer, na mais sagrada e, portanto, altruísta das missões, é proteger as mulheres, precavendo a possibilidade de elas resvalarem para o pecado e contaminarem com ele a obra divina. De outra maneira, o que eles fazem é moldar o mundo à sua medida, à medida das suas possibilidades, para que esse mundo não lhes fuja ao controlo; não pensam em alargá-lo, mas em limitá-lo, como faz qualquer medroso estúpido. As mulheres têm que comportar-se, ser, à medida da sua compreensão do mundo. Para bem delas, é claro, senão Deus castiga-as e aos outros que lhes permitiram agir contra a Sua imutável e abençoada lei.

Qual é o paralelo? Parece-me evidente. Mas, se tiver estado com atenção às mais recentes tendências da moda, verificou, com certeza, que se reivindica cada vez mais, entre surdos "progressistas", a existência de uma cultura própria assente na deficiência auditiva. Isso não o alerta para nada?

E agora espere mais um pouco pelo que direi a seguir.

13 comentários:

O-Lidador disse...

Na mesma linha aparentemente altruísta, é costume em algumas castas de intocáveis, na Índia, os pais cuja actividade familiar é pedir, mutilarem deliberadamente os filhos, para que possam ter mais sucesso na actividade, já que um pedinte mutilado suscita mais compaixão.

Não fazem isto por mal, na sua visão do mundo, estão a ajudá-los.

José Gonsalo disse...

Lidador:

Nem mais! Obrigado pelo exemplo.

RioD'oiro disse...

Reparem, eu acho que a linha é esta. Ao nascer: Surdo, cego mudo, marreco cocho, demente, ... (quanto mais, mais culturalmente aceitável) ...

Depois a "educação" pode melhorar: Mutilações várias, ... bebedeira sem fim, droga (tão querida à esquerda) ...

Então o retoque final: Suicídio assistido, eutanásia, aborto ...

Nesta altura o "cidadão" atinge o estatuto de novo homem, deus em novo homem. Ninguém como os muçulmanos radicais está tão perto, até pelo toque das 72 virgens.

Carmo da Rosa disse...

José Gonsalo disse: ” E agora espere mais um pouco pelo que direi a seguir.”

Ai que já me precipitei!!!

José Gonsalo disse: ”A intenção altruísta implícita, se não declarada, das lésbicas surdas que pretendem gerar um filho igualmente surdo tem a ver…”

Li e reli a sua tentativa de explicar a intenção altruísta mas, peço imensa desculpa, continuo a discordar. Continuo a ver nisto além de uma aberração uma intenção puramente egoísta. As lésbicas querem uma surda porque muito simplesmente são surdas…

Altruísmo seria um casal (de lésbicas ou gays ou normalzinhos da Silva) adoptarem uma criança surda, porque ninguém quer a criança devido à dificuldade de comunicação e de educação.

José Gonsalo disse: ” Um casal de surdos viveu (…). O facto de ela ter saído lésbica, não me parece derivado de um problema educacional”

É evidente que não, já está há algum tempo cientificamente provado que a homossexualidade não se adquire através de educação – está no AND da pessoa e não há nada a fazer. Rezar também não adianta.

José Gonsalo disse: ” O que se passa com os "educadores religiosos" que pregam e praticam a excisão do clítoris é semelhante. O que eles estão a fazer, na mais sagrada e, portanto, altruísta das missões,”

O problema é que eu, nem com muita boa vontade, consigo ver religião como uma missão altruísta! Na minha opinião trata-se apenas de uma forma, como tantas outras, de exercer poder sobre outros.

Mas mesmo em caso positivo não existe semelhança, porque a excisão do clítoris nada tem a ver com educadores religiosos, nem com religião (directamente). Trata-se de uma prática pagã africana que se estendeu a alguns países muçulmanos por contacto. Assim como os americanos cristãos, que cortam a pila por contacto com judeus e não por rito religioso. Voltando à excisão do clítoris, não há referências ao assunto no Corão e a verdade (e isto é que conta) é que na grande maioria dos países muçulmanos não se pratica – só no sul do Egipto, na Guiné e noutros países africanos. (O que se pode dizer é que os educadores religiosos muçulmanos nada fazem para acabar com esta prática barbara porque lhes convém – elas ficam mais sossegadinhas)

Carmo da Rosa disse...

Lidador disse: ”Na mesma linha aparentemente altruísta, é costume em algumas castas de intocáveis, na Índia, os pais cuja actividade familiar é pedir, mutilarem deliberadamente os filhos, para que possam ter mais sucesso na actividade, já que um pedinte mutilado suscita mais compaixão.”

Como é possível ver altruismo neste exemplo? Trata-se de cinismo da pior espécie! Os pais servem-se das crianças como um objecto, que mutilado dá mais dinheiro! (Este costume também era conhecido na Europa da idade média…) Existem medidas menos drásticas para ganhar dinheiro com crianças, mas creio que são de esquerda…

RioD’oiro disse: ” bebedeira sem fim, droga (tão querida à esquerda)”

Até onde vai o puritanismo burguês de direita! Já não se pode beber um caneco nem fumar uma ganza! Posso tocar ao bicho? Prometo fazer com a mão direita…

RioD'oiro disse...

Afirmei eu:

"bebedeira sem fim"

O CdR responde:

"Até onde vai o puritanismo burguês de direita! "

Parece razoável concluir-se que, pela sua bitola, que não for puritano de direita cambaleará permanentemente bêbedo.

Carmo da Rosa disse...

RioD’oiro disse: ”Parece razoável concluir-se que, pela sua bitola, que não for puritano de direita cambaleará permanentemente bêbedo.”

Conclusão errada.

Quem não é puritano burguês de direita não está preocupado com o que os outros bebem.

Mas também não se pode menosprezar os puritanos de esquerda, e esses também gostam de proibir coisas. Na realidade todos os puritanos são iguais, uns desmancha prazeres…

José Gonsalo disse...

CdR:

Caríssimo, você está permanentemente a ler o que eu não disse nem me passaria pela cabeça dizer. Ou ainda a argumentar com coisas que ambos sabemos e que, naturalmente, não mereceriam ser postos à baila.
Por acaso leu, em qualquer parte do que eu publiquei até agora, que o Islão é o responsável primeiro pela excisão do clítoris?
Mas, já agora, o paganismo, nas suas diversas modalidades, incluindo as animistas é o quê? Uma filosofia? Um pensamento científico? A religião greco-romana é...? A fenícia, a assíria...? As das diferentes tribos africanas, asiáticas, americanas, da Oceania...? O que é isso de uma prática pagã que não seja de um paganismo? Senão como é que poderia chamar a tal prática, pagã? Parece-me que vai por aí alguma confusão.
Quanto ao altruísmo religioso, não existe? Então porque é que uma Testemunha de Jeová lhe vai bater à porta para lhe levar a Boa Nova? Não é para o fazer partilhar dela? Não é para o livrar da ira divina futura? Religião vem de re-ligare, de religar o ser humano à sua origem no sentido da irmandade humana. É o sentido de querer para si o mesmo que quer para ela própria que leva as testemunhas de todos os tipos à missionação, é a parábola do filho pródigo na sua acepção mais simples.
Quanto ao facto de a acção das lésbicas ser, na sua raiz, um egoísmo, está dito e redito, implícita e explicitamente, no que eu escrevi logo desde o início.
É o que eu digo: alguma coisa lhe anda a perturbar a compreensão da leitura.

O-Lidador disse...

CdR, embora não pareça é mesmo aquilo a que se usa chamar "altruísmo". Os pais mutilam as crianças porque naquela filosofia de que as castas são estanques e não há elevador social, é a melhor maneira de garantirem a sua sobrevivência. Fazer delas pedintes com handicap, garante-lhes mais compaixão e, et por cause, mais sucesso como pedintes.

Claro que podemos, como Ayn Rand, considerar que no fundo o fazem por egoísmo. Não o dos interesses materiais próprios, mas porque sentem estar a fazer o que está certo e, por isso, a sua consciência fica reconfortada.
Mas isso levava-nos por outros caminhos.

O que não é, garanto-lhe, é cinismo. Nada poderia estar mais longe da cabeça daquela gente.
Aliás, exactamente o que se passa com os "crimes de honra" dos nossos amigos da mafoma. Matar uma filha que se desvia da fé, é, na cabeça daqueles palonços, proteger o seu futuro no além.

Carmo da Rosa disse...

JG:

Caríssimo, você está permanentemente a passar por cima de aquilo que eu digo! Ou então a argumentar com coisas que eu também estou farto de saber, mas ditas de forma que eu acabo por não perceber. Para demonstrar que Sócrates prestou um mau serviço à pátria, não é absolutamente necessário falar das invasões dos cartagineses na Península Ibérica! Mas como está bem escrito, tudo bem alinhadinho, excelentes fotografias (deviam ser um pouco maiores!) e você é um gajo porreiro, até se come… mas não havia nexexidade…

José Gonsalo disse: ”Por acaso leu, em qualquer parte do que eu publiquei até agora, que o Islão é o responsável primeiro pela excisão do clítoris?”

Li, e não foi por acaso, mas no dia 4 de Abril de 2012 às 16:06 você disse isto:

”(…) Ao mesmo nível dos que praticam a excisão do clítoris para não correrem o risco de haver mais mundo para as mulheres do que aqueles que eles conseguem suportar. Aquelas lésbicas são, afinal, nesse sentido, islamitas avant la lettre. E, com este toque de poliglota, despeço-me com um abraço a todos. Até já.”

José Gonsalo disse: O que é isso de uma prática pagã que não seja de um paganismo?”

Escrevi pagã no sentido não-muçulmano, não pertencente às três religiões do Livro. Aliás o meu dicionário diz: relativo a gentio politeísta; ímpio; herético; que não segue o catolicismo. Mas é verdade que a coisa presta a alguma confusão. Poderia ter evitado você dedicar um parágrafo inteiro ao assunto se tivesse dito simplesmente que não há uma relação directa entre clítoris cortados e Islão…

José Gonsalo disse: ”Quanto ao altruísmo religioso, não existe? Então porque é que uma Testemunha de Jeová lhe vai bater à porta para lhe levar a Boa Nova?”

Mas eu referia-me à religião e não à actividade dos praticantes! A minha frase novamente: O problema é que eu, nem com muita boa vontade, consigo ver religião como uma missão altruísta!

Mas se preferir a explicação do Lidador - sempre está um cisquinho mais à direita – que aborda o mesmo assunto em comentário ao meu post ABOLIR A FAMÍLIA, também lha dou:

(…) a diferença entre uma doutrina e o que cada pessoa faz. Por exemplo, entre o que o Islão dita e o que cada muçulmano faz. A doutrina comunista aponta para a abolição da família, tal como o Islão manda fazer a jihad. Mitos comunistas não agem segundo os canons da doutrina.
E muitos muçulmanos tb não.
E, já agora, muitos cristãos, etc.
Mas isso não serve para desmentir a doutrina.”


José Gonsalo disse: ”É o que eu digo: alguma coisa lhe anda a perturbar a compreensão da leitura.”

Já agora estou curioso de saber o que é?

Carmo da Rosa disse...

Lidador disse: ”CdR, embora não pareça é mesmo aquilo a que se usa chamar "altruísmo". Os pais mutilam as crianças porque naquela filosofia de que as castas são estanques e não há elevador social, é a melhor maneira de garantirem a sua sobrevivência.”

No meu comentário anterior eu disse que “o costume também era conhecido na Europa da idade média.” Também havia castas estanques por cá?

E também disse que há alternativas menos drásticas para ganhar dinheiro com crianças, mas creio que são de esquerda… É capaz de adivinhar quais são?

”Claro que podemos, como Ayn Rand, considerar…”

Este parágrafo não percebi e não faço a mínima ideia onde joga esta Ayn Rand?

Não, não é cinismo daquela gente infinitamente boa, agora convém servirmo-nos deles para substituírem os “bons selvagens” do Jean-Jacques!
E os que matam as filhas em crimes de honra não o fazem para proteger o seu futuro no além, é um engano, a coisa é muito mais banal, é só mesmo para salvar a reputação no seio da comunidade…

José Gonsalo disse...

CdR:

Diz:
"Li, e não foi por acaso, mas no dia 4 de Abril de 2012 às 16:06 você disse isto:

”(…) Ao mesmo nível dos que praticam a excisão do clítoris para não correrem o risco de haver mais mundo para as mulheres do que aqueles que eles conseguem suportar. Aquelas lésbicas são, afinal, nesse sentido, islamitas avant la lettre. E, com este toque de poliglota, despeço-me com um abraço a todos. Até já.”

Touché. Embora a resposta se situasse, na minha cabeça, no seguimento de um post anterior, isso não ficou explícito no que escrevi. Agradeço-lhe o reparo.

Carmo da Rosa disse...

"Agradeço-lhe o reparo."

José Gonsalo,

Você subui dez pontos na minha consideração. Mais uma destas e passa ao plano de Guru...