sábado, 21 de abril de 2012

"Presidenta" Dilma, a artista dos ventos

Agosto 2010

Abril 2012

Transcrição de parte da conversa e link para transcrição total aqui. Particularmente interessante esta passagem:
É tecnicamente, para que isso ocorra, porque eu já estive na Espanha num momento em que fazia oito meses que a eólica não funcionava porque não tinha vento. E não tem como estocar vento, não é? Não tem como. Não, nós estocamos água. A grande coisa que o Brasil fez foi estocar água, porque hidrelétrica, também, a água passou, acabou. Nós estocamos água. A água era a forma de a gente controlar a produção de energia com base na hidreletricidade. Como não tem como estocar vento, tem de ventar para ter eólica. Há que ventar. E o vento, não sei se vocês sabem, não venta igual 24 horas por dia, nem os 365 dias do ano. Eu estou falando isso porque eu já medi vento, viu? Eu medi vento no Rio Grande do Sul. Eu sei o que significa medir vento.

1 comentário:

Carmo da Rosa disse...

Resumindo, dois anos de política e muito vento transformou uma mulher lindíssima numa presidente dinâmica, forte e decidida, mas já não me desperta o instinto – para este efeito o vento leva-me para norte: Sarah Palin.