domingo, 14 de setembro de 2008

O passeio dos aviões do 9/11

"Porque é que quatro aviões comerciais andaram a passear nos céus americanos, tempos infinitos, sem qualquer intervenção da Força Aérea?"-pergunta retoricamente um dos, mais estúpidos teóricos da conspiração,passe a redundância.

Com esta pergunta o teórico da conspiração não pretende de facto uma resposta, mas apenas sublinhar que acha a situação estranhíssima e que de resto dispensa todas as respostas que não incluam a mão maligna dos "poderosos", da CIA, dos judeus, enfim, dos mafarricos habittuais.

O teórico da conspiração, convencido que a CIA têm poderes divinos, acha totalmente incompreensível que as Forças Armadas americanas não tenham sido capazes de abater em tempo útil uns meros aviões civis, pelo que só pode haver uma explicação: receberam ordens para não o fazer.
Um “argumento” muitas vezes utilizado, e que o nosso Diogo tem certamente no manual das citações, é uma declaração do Major Martin, porta-voz do NORAD, citada num livro do teólogo David Griffin (um dos mais notórios gurus do movimento dos maluquinhos e, não por acaso, professor de religião) sobre o carácter rotineiro das intercepções de aviões civis, referindo que só entre Junho de 2000 e Setembro de 2001, “o NORAD tinha executado 67 scrambles”.

O teórico da conspiração tem de truncar e descontextualizar frases, para alimentar os seus delírios e na sua estranha cabeça interceptar aviões é como carregar no botão da Playstation.

Na verdade, um scramble não é uma intercepção, mas sim todo a cadeia de movimentos que leva uma tripulação até ao avião, depois de receber uma ordem preparatória.
Alguns scrambles conduzem a intercepções, a maioria não, há mesmo intercepções sem scramble, feitas pelo desvio de aviões em patrulha.
O que o tal Major Martin disse realmente, é que “o NORAD tinha executado 67 scrambles mas não relativos ao espaço continental dos EUA”, o que é bastante diferente.
Na verdade, nos 10 anos anteriores ao 9/11, o NORAD interceptou apenas um avião civil sobre o espaço aéreo americano (o avião particular do golfista Payne Stewart) e demorou 79 minutos, desde o alerta. Além desta intercepção, todas as outras (quase todas relacionadas com trafico de droga) aconteceram em offshore, nas Air Defense Identification Zones (ADIZ), as quais requeriam planos de voo, transponders activos e comunicações rádio. Nenhum avião foi abatido.

Um outro “argumento” é um vídeo truncado das declarações do Secretário dos Transportes, Norman Mineta à Comissão do 11 de Setembro. O vídeo termina abruptamente aos 3’ 59’’, “provando”, segundo os tolinhos, que havia uma ordem de Dick Cheney para não abater o avião que se dirigia ao Pentágono. (é curioso que neste “argumento” os mesmos teóricos da conspiração que acham que no Pentágono acertou um "míssil", referem-se na maior das calmas ao "avião". O nosso Diogo é um exemplo. Farta-se de falar do "míssil" nos seus devaneios, mas de repente muda para 4 aviões, sem o menor pudor intelectual)
Todavia, quem vá ler as declarações completas de N. Mineta, verificará que ele diz precisamente o contrário.
Mas de factoo avião não foi abatido, havendo ordens para o abater. Como foi isto possível?
Conspiração!-berra imediatamente o tolinho.

A resposta é algo mais complexa e por isso não interessa ao cérebro simplista do teórico da conspiração.
Para começar, o sistema de intercepção que não estava virado para ameaças internas, não havendo sequer ADIZ sobre terra.
Á época, em cada momento havia quase 5000 aviões civis no espaço aéreo americano. Segundo os protocolos então em vigor, a partir do momento em que um controlador chegava à conclusão de que um dos seus aviões tinha sido desviado (e isso não era imediato a não ser que os terroristas comunicassem), informava os seus superiores e o caso percorria os sucessivos patamares até ao Air Trafic Control (ATC) HQ que notificava a Federal Aviation Administration (FAA) HQ.
Este organismo digeria a informação e telefonava para o Pentágono para solicitar uma escolta militar do National Military Command Center (NMCC). O NMCC obtinha autorização do Secretário de Estado da Defesa e a ordem seguia depois para o NORAD que por sua vez dava a ordem, pelo canal descendente, à conveniente base aérea que fazia então descolar os aviões com a missão que fosse oportuna, na maioria das vezes para as zonas de espera sobre o mar, onde aguardavam os pormenores específicos da missão.
No mundo real, tudo isto leva o seu tempo e até se entendia que assim fosse, porque nos casos de desvio de aviões, o expectável era que houvesse uma aterragem em algum sítio seguida de uma negociação.
NUNCA tinha havido um desvio de aviões para serem usados como bombas guiadas.
No 9/11, tudo começou pelo inédito facto de os terroristas não terem comunicado. Estes piratas eram suicidas, não queriam negociar o que quer que fosse, mas sim atingir os seus alvos o mais depressa possível. O controlador aéreo responsável só acharia estranho quando o avião não respondesse a alguma comunicação, quando começasse a desviar-se da rota, ou quando desligasse o transponder. E começaria por tentar perceber se haveria algum problema técnico, porque há quase 20 anos que não havia desvios de aviões nos EUA.
No caso do voo 77, quando o transponder foi desligado e as comunicações rádio interrompidas, o FAA de Indianopolis pensou que o avião tinha caído, porque o seu controlador nem sequer sabia que tinha havido já dois desvios, minutos antes. O controlador tentou fazer o tracking do avião na sua trajectória planeada, sem perceber que ele tinha já virado para Este e voou indetectado para Washington durante 36 minutos.
Mas como é isto possível?- pergunta o teórico da conspiração.
Cabe na cabeça de alguém que um avião comercial consiga passear-se impunemente sobre o espaço aéreo americano?
Os teóricos da conspiração e outros representantes de uma certa fauna urbana, pensam que a realidade é como os filmes de ficção científica, que as agências de segurança americanas são omnipotentes e omnipresentes, e que têm câmaras no espaço, controladas por botões, capazes de filmar em tempo real tudo o que está a acontecer lá para baixo. A realidade é muito mais prosaica e a verdade é que todo o sistema de defesa aérea americano estava virado para ameaças vindas de fora, não havendo nenhum sistema de vigilância que assegurasse a cobertura completa e integrada do mainland.

1- “ when you looked at NORAD on September 11, we had a ring of radar all around Canadá and the United States. It was like a donut. There was no coverage in the middle. That was not the threat” (Maj Martin, NORAD)

2-“We're pretty good if the threat is coming from outside; we're not so good if it's coming from the inside."(Gen Myers)

3-“This country is not on a wartime footing,…We don't have capable fighter aircraft loaded with missiles sitting on runways in this country. We just don't do that anymore. We did back during the '70s, the '60s, along the coast, being concerned about Russian intrusion, but to expect American fighter aircraft to intercept commercial airliners, who knows where, is totally unrealistic and makes no sense at all." (Senador Warren Rudman)

No caso do voo 77 ( o que se despenhou sobre o Pentágono) às 9:30, levantaram 2 F-16 de Langley, com missão Standard Operation Procedure(SOP), pelo que se dirigiram para uma ADIZ em offshore.
Às 9:32 o ATC de Dulles apanhou um blip não identificado que vinha na sua direcção e fez seguir a informação. Quando o ATC de Boston tomou conhecimento do caso fez seguir a informação e os F-16, receberam ordens para voarem para Washington a velocidade supersónica, contrariando as normas em vigor em tempo de paz, a fim de interceptarem o voo 77.
Estavam ainda a mais de 200 km a Leste, quando o avião embateu no Pentágono às 9:37. Mesmo que por milagre, todos os intervenientes tivessem percebido instantaneamente a big picture do que se estava a passar e tivessem actuado à velocidade da luz, as regras de empenhamento em vigor na altura não permitiam abater aviões comerciais civis sem ordens expressas e autenticadas do máximo responsável político. No mundo real, os aviões não têm velocidade “warp”.
E no fim da cadeia está o piloto no seu caça, que recebe uma missão específica (o que fazer, quando, onde e como). O “onde” é sempre algo vago num caso destes porque o alvo se desloca. O caça tem de procurar o seu alvo numa zona saturada de aviões e adquiri-lo no seu radar.
E abatê-lo, o que também não era uma decisão que pudesse ser tomada pelo piloto ou pelos responsáveis militares, uma vez que segundo a lei americana da altura, o desvio de aviões era crime e não acto de guerra.
Os conspiradores referem que não se compreende que havendo uma base (Andrews) a 15 km do Pentágono, não tenha sido essa a receber a ordem de intercepção. Não compreendem porque se recusam a tomar conhecimento que nessa e noutras bases não havia interceptores em alerta (em todo o país só havia 20) porque se entendia que não havia razão para tal.

Em resumo, o sistema falhou porque, como refere o relatório do 9/11. “the protocols in place on 9/11 for the FAA and NORAD to respond to a hijacking presumed that the hijacked aircraft would be readily identifiable and would not attempt to disappear, there would be time to address the problem through the appropriate FAA and NORAD chains of command, and the hijacking would take the traditional form: that is, it would not be a suicide hijacking designed to convert the aircraft into a guided missile.

Entretanto muita coisa mudou.
Não há nada de inexplicável nisto, mas infelizmente os tolinhos preferem teorias paranóicas e sobrenaturais relativamente às quais não apresentam qualquer prova positiva.
Porque no fundo, não têm qualquer dúvida sobre o que aconteceu. Eles sabem tudo à priori, a montante e à revelia dos factos. Provavelmente por Revelação ou por leitura de búzios e nunca nenhum facto foi susceptível de pôr em causa qualquer Fé.

69 comentários:

DS2 disse...

Eu acho uma graça o Lidador acusar outros de terem "um cérebro simplista" depois de escrever este - perdoem-me a expressão - monte de trampa.

Quando cerca de 20% dos Europeus e 33% dos Norte-Americanos acreditam que houve mão do governo Americano nos acontecimentos do nine eleven, o Lidador sabe o que se passou porque sim, porque é um estudioso iluminado e não porque "lhe disseram assim e o rapaz acatou". Parece que o rebelde lá tem os seus dogmas.

E depois, só por atacar 5% do mais dúbio da teoria da Conspiração acredita cegamente que retirou toda a credibilidade dessas mesmas teorias e dissipou todas as incongruências do Nine Eleven Commission Report.

Pobre alma... pelo menos é feliz!
Mais perto estiveram Napoleão e Hitler de conquistar a Rússia, filho.

Range-o-Dente disse...

DS2:

"Quando cerca de 20% dos Europeus e 33% dos Norte-Americanos acreditam que houve mão do governo Americano"

Pois. E em Marte estão, neste momento, três naves de reabastecimento, para fornecer a "máquina" que no planeta terra fez todas as traquinices que o DS2 refere.

Naves 1 e 2:
http://marsrovers.jpl.nasa.gov/home/index.html

Nave 3:
http://www.nasa.gov/mission_pages/phoenix/main/index.html

E órbita de Marte, há toda ma constelação de satélites ligados ao Pentágono e a Bush. Durão Barroso está metido na tramóia.

.

O-Lidador disse...

"cerca de 20% dos Europeus e 33% dos Norte-Americanos acreditam que houve mão do governo Americano"

Esse "argumento" é pateta. A ninguém se ocorre pretender que a crença numa coisa seja prova dessa coisa.

Durante milénios 99% dos seres humanos acreditaram que a Terra era plana, era o centro do universo, etc. A crença não prova o facto. Apenas "prova" que há gente que acredita no facto.

Cerca de 1 bilião de seres humanos acreditam que Alá existe.
Para os tontinhos deve ser prova suficiente de existência de Alá.

Parece que mesmo em Portugal, mais de 90 % das crianças de menos de 6 anos acreditam no Pai Natal.
Está por isso mesmo "provada" a sua existência.

picasanta disse...

Bom, não podia deixar de comentar...
Debatem-se aqui muitos conceitos. Mas são meros conceitos, não passam disso. E tal como os dognas religiosos, têm uma grande similaridade com eles. mUita teoria, etc, etc.
Como é que vc sabe Range-o-dente, que na idade média 99% das pessoas acreditavam que a terra era plana?
eu penso que isso é apenas um conceito. A história está escrita da maneira que convém, e a realidade dos factos é bem diferente. Até porque o "sistema" é que escreve os livros de história e pinta as coisas como lhe convém.
Estamos aqui a entrar num estudo da mente se calhar sem querer...
O senhor já ouviu falar no mapa de Piri Reis? Acha mesmo que Colombo arriscava uma viagem até ás américas, se não tivesse certeza de algo?
Como vê em todas as idades, o "sistema" alimenta o povo com conceitos ou dogmas que bem lhes interessam. Mas há sempre a elite que sabe da realidade das coisas.
Seria muito interessante continuar com esta conversa...
Abraço

Range-o-Dente disse...

Picassata.

"Como é que vc sabe [] que na idade média 99% das pessoas acreditavam que a terra era plana?"

Já lhe ocorreu que na idade média havia quem soubesse escrever?

E você, Picassata, já sabe que o cérebro não é um aparelho de ar condicionado e que para a burrice não há transplante?

.

LOUIS XVI disse...

A baba do ds2 revela o estado do ensino em Portugal.

Diogo disse...

Wikipedia English - The Free Encyclopedia

Air Defense Identification Zone
An Air Defense Identication Zone is defined as "the area of airspace over land or water, extending upward from the surface, within which the ready identification, the location, and the control of aircraft are required in the interest of national security." Typically, aircraft entering an ADIZ is required to radio its planned course, destination, and any additional details about its trip through the ADIZ to a higher authority, typically an air traffic controller. ADIZs typically occur along international borders, but can also surround areas of high security, such as the airspace above the American capital of Washington, D.C.

Diogo disse...

Um caso prático (em Portugal) para um Lidador atrasado mental. Se você fosse um militar só o queria na infantaria:


Sobre o extravio de uma avioneta em Portugal e a inevitável comparação com os atentados do 11 de Setembro nos EUA :

No passado Domingo, 27 de Julho de 2008 às 8:45 da manhã, uma avioneta Piper PA34, pilotada por Luís Carvalho, partiu às 08.45 do Aeroclube de Bragança, tendo um plano de voo autorizado (pelo Centro de Controlo de Tráfego Aéreo de Lisboa) com destino final no Aeródromo de Cernache, perto de Coimbra. O piloto, no seu último contacto via rádio, enquanto sobrevoava a zona de Coimbra, comunicou sentir-se indisposto. A partir daí foi o silêncio total. O despenhamento da avioneta verificou-se cerca das 11h50, a 200 milhas a oeste do Cabo da Roca, quando acabou o combustível.

Sobre o acidente, o porta-voz da FAP (Força Aérea Portuguesa), tenente-coronel António Seabra, afirmou ao Diário de Notícias que:

- Às 09.50, o piloto da avioneta Piper fez o seu último contacto via rádio na frequência civil, dizendo estar indisposto.

- Oito minutos depois, às 09.58, foram accionados dois caças F16.

- Nove minutos depois, às 10.07, os caças F16 partiram da Base Aérea de Monte Real.

- Seis minutos depois, às 10.13, ou seja, vinte e três minutos depois do último contacto via rádio do piloto da avioneta, a 38 milhas de Monte Real, já sobre o mar, os caças F16 interceptaram a avioneta e acompanharam-na...

João Moutinho, piloto, instrutor e professor de aeronáutica, garantiu ao Correio da Manhã que, no caso de um avião descontrolado se dirigir para uma área habitada, os pilotos do F-16 que forem em seu socorro "não têm qualquer hipótese. Só terem conseguido observar o detalhe de o piloto estar inconsciente já é surpreendente", garante, avisando que a velocidade mínima de um F-16 é muito maior do que a velocidade cruzeiro de um Piper. O especialista afirma ainda que, "excepto em casos de terrorismo, ninguém assumiria a responsabilidade de abater um avião".

Disse ainda Moutinho que, qualquer voo tem de ser comunicado às autoridades competentes com pelo menos meia hora de antecedência. Apenas os voos denominados locais – que não estão autorizados a sair da área de controlo do aeródromo de onde partiram – estão livres de o fazer. Enquadram-se neste caso os voos de formação e os de lazer. Ainda assim, estes voos são acompanhados por operadores aéreos civis e militares, sendo que estes últimos podem dar ordens ao piloto a qualquer momento.


De qualquer forma, está de parabéns a Força Aérea Portuguesa. Desde que os caças F16 receberam ordem para decolar, demoraram apenas 15 minutos até interceptar a avioneta extraviada. Notável!

E mais de parabéns está a Força Aérea Portuguesa se a compararmos com a Força Aérea Norte-Americana (NORAD) no fatídico 11 de Setembro de 2001:


O Relatório da Comissão do 11 de Setembro afirmou (contrariando afirmações anteriores do NORAD), que a FAA (Agência Federal de Aviação Civil Americana) não tinha notificado a Força Aérea Norte-Americana (NORAD) do sequestro dos aviões que embateram na Torre Sul do World Trade Center e no Pentágono, e que, por consequência, esta (NORAD) não tinha enviado caças interceptores e não pode evitar os ataques.

Carmo da Rosa disse...

@ds2:

Quando cerca de 20% dos Europeus e 33% dos Norte-Americanos acreditam que houve mão do governo Americano

Há algo de verdade nesta afirmação, pelo menos, o melhor documentário feito até hoje sobre este assunto, o do Der Spiegel e sob a direcção de Gunter Latch, confirma envergonhado que 20% dos alemães (não se refere a europeus ou norte-americanos) acredita nas patranhas de Thierry Meyssan:

Por exemplo, na história de que o Pentágono tinha sido atingido por um míssil e não por um avião!

Para esta história Meyssan baseia-se nas afirmações de um oficial expulso do exército francês - por passar informação aos Sérvios, por escrever na revista de extrema-direita Jeune Résistance e por uma suposta tentativa de atentado contra Chirac – chamado Pierre-Henry Brunnel, que não é de maneira nenhuma um perito, quando a França tem um dos melhores peritos nesta matéria, Jacques Rolland, que, com muita calma, explicou na TV que num embate deste tipo, penetração num edifício, a primeira coisa que parte num avião é a parte mais frágil, as asas. E um avião sem asas parece na realidade um míssil…

Outro detalhe revelador de que me lembro, é o facto do advogado (defesa de terroristas islâmicos) Montasser Al Zayat, amigo de Al Zawahyri (ideólogo da Al Qaeda), ao contrário do Der Spiegel, não ter sido consultado por Meyssan quando este estava (e está) muito bem informado sobre a Al Qaeda, e ter sido a única pessoa até à altura a ter entrevistado Osama Bin Laden.

Tanto Al Zayat, como Al Zawahyri, como Bin Laden confirmam que foi a Al Qaeda que atacou as Torres Gémeas…

Aliás, por uma vez que os muçulmanos obtiveram uma pequena vitória sobre o grande Sátão, que foi celebrada por grande parte da UMMA (comunidade islâmica), vem agora o esquerdalho racista duvidar das capacidades operacionais dos muçulmanos! Eh pá, isto é o cúmulo, se eu fosse o Bin Laden tratava-lhes da saúde.

Voltando à questão dos 20% de alemães, a coisa é ainda mais grave, porque segundo nos conta Gunther Latch do Der Spiegel, há mesmo intelectuais alemães de renome que acreditam nas baboseiras do Meyssan. Como por exemplo Andreas von Bülow (ex-ministro de Helmut Schmidt) que acredita na história dos judeus que receberam um SMS da Mossad para não se apresentarem ao trabalho no dia 11 de Setembro. Mathias Brökers (chefe de redacção da revista de esquerda Tageszeitung, é actualmente professor catedrático) confirma a história de que 6 terroristas ainda se encontram em vida!!!

Mas segundo o escritor alemão Henryk Bröder (Hurra, Wir kapitulieren!) há uma boa desculpa para este facto:

Os académicos e intelectuais alemães que se pavoneiam com Hegel, Nietzsche e Kant nunca poderão aceitar o facto de terem sido libertados do Nazismo por americanos negros do Nebraska a mastigar pastilha-elástica.

picasanta disse...

eu não sei o que quer dizer com "Já lhe ocorreu que na idade média havia quem soubesse escrever?"
Depois também não sei:
Se se escreve aqui para aprofundar os temas, ou se é destacar uma intelectualidade completamente obsoleta?
Será que estão verdadeiramente interessados em resolver as questões, ou que apenas querem é espavonear a intelectualidade dum modo arrogante e sem sentido?
Esgrimir argumentos a torto e direito para defender o nosso querido ponto de vista não me parece que seja relacionamento algum. Fica-se assim no mesmo sitio de sempre- inamovível!
O que têm a dizer?

Anónimo disse...

Lidador, o facto de muitos daqueles que acreditam nas teorias da conspiração serem pessoas simplistas e básicas não prova que elas (conspirações) não existam.
E muito menos prova que das 2 ou 3 grandes conspirações Verdadeiras que sempre existiram ao longo dos séculos, as outras centenas de conspirações falsas, não tenham por autores precisamente os autores e os operacionais das tais 2 ou 3 verdadeiras, numa tentativa de lançar areia e encobrir.

Mas, claro o camarada Lidador já sabe tudo, o Diabo - o conspirador-mor da história- lá nas chamas do Inferno - em que só os atrasadinhos rurais ou então os anti-marxistas e anti-freudistas hoje acreditam - também conhece a Bíblia de cor e também a cita quando lhe convém.

Percebeu?

S.Sousa

Carmo da Rosa disse...

Caro Picasanta,

Eu, como não quero de maneira nenhuma ficar no mesmo sítio, gostaria de saber quem é, ou o que é o "sistema"?

Isto parece ser o centro fulcral do seu discurso, mas trata-se de um conceito, de um dogma, ou de uma coisa?

Range-o-Dente disse...

Caro Picasanta:

Depois desta sua cavalidade:

"Como é que vc sabe [] que na idade média 99% das pessoas acreditavam que a terra era plana?"

diz agora que quer "resolver questões"?

Experimente descobrir primeiro porque na idade média se sabia já que quem andava à chuva se molhava.

Depois de desenvolver as linhas investigatórias conducentes à descoberta das profundas razões explicativas da perplexidade supra citada, abra uma nova frente de hostilidades rasgando brechas na "história [que está] está escrita da maneira que convém" rumo ao zenital, floribélico e nenufaríngeo desígnio de descobrir porque na idade média 99% das pessoas acreditavam que a terra era plana.

.

Range-o-Dente disse...

"[...] o facto de muitos daqueles que acreditam nas teorias da conspiração serem pessoas simplistas e básicas não prova que elas (conspirações) não existam."

Também não prova que o Pai Natal não exista.

Aliás, os gambosinos andam por aí. Toda a gente sabe.

.

Range-o-Dente disse...

"[...] o facto de muitos daqueles que acreditam nas teorias da conspiração serem pessoas simplistas e básicas não prova que elas (conspirações) não existam."

Talvez quisesse dizer:

'[...] o facto de muitos daqueles que acreditam nas teorias da conspiração serem pessoas simplistas e básicas não prova que os factos a que chama de conspirações não tenham tido lugar'

Afirmando o que afirmou (inicialmente), está a defender que conspirações (e não factos) estão ligadas à existência de almas simplistas.

E, meu caro, conspirações são apenas isso: fábulas, gambosinos, tretas.

.

ml disse...

Já lhe ocorreu que na idade média havia quem soubesse escrever?

É claro que havia, mas 99,9% não escrevia nada disso mas o seu contrário. Portanto, é também claro que durante a Idade Média 99%das pessoas não acreditava que a terra era plana e muito menos os astrónomos, geógrafos, cientistas, navegadores, filósofos, homens da igreja e outros. Desde o séc. IV A.C. e principalmente durante a Idade Média que se discutiu acaloradamente quem poderia ter conseguido passar a Zona Tórrida e habitar os Antípodas a não ser monstros, recusando-se sto Agostinho a aceitar que, a ser habitada, fosse por filhos de Adão e Eva.

Esse mito da terra plana foi criado na época moderna, tão entusiasmada com a explosão da ciência que descartou a Idade Média como a idade das trevas que nunca foi e atribuiu-lhe todas as ignorâncias. Trevas foi o manto religioso que se abateu sobre o quotidiano das pessoas, a ciência continuou o seu curso e neste particular a igreja católica nem se intrometeu. Aliás, tem andado por aí toda fresca e leve a limpar a imagem e mostrar os abundantes textos de autores medievais cristãos que, como todos os outros, nem sequer questionavam a esfericidade da terra.

O mito já foi posto em causa no início do século XX, quase há um século portanto, mas pelos vistos a novidade ainda não chegou a todos. É como o criacionismo, essa palermice que sobrevive apesar da ciência. Ninguém daqui a uns séculos se lembrará de dizer que nos séculos XIX, XX e XXI as pessoas ainda acreditavam em Adão e Eva só porque uns tantos milhões de idiotas confinados a um determinado espaço geográfico são fanáticos das trevas. Espero eu, sei lá.

Anónimo disse...

range-o-dente, não quero que ranja os dentes, mas vc. que me parece (por outros posts seus que tenho lido) inteligente e não simplista e básico, diga-me, não existiram ou não existem conspirações sem factos?
Exemplo: um bando de terroristas que se reuna para assassinar um chefe de Estado , mas que por qualquer razão nunca leve o plano avante e a quadrilha se dissolva, pergunto, essa conspiração (nunca consubstanciada portanto em factos relevantes) nunca existiu por isso?

S. Sousa

osátiro disse...

só me admira k se escreva 1 post em k se cita tanta vez o Diogo. Ele merece isso? E o mesmo em relação à "teoria" da conspiração. Está mais do k provado k foi a Al Qaeda, eles próprios confessam pormenores.(tenho isso no meu blog). Esta discussão apenas dá hipótese aos desesperados e ressabiados stalinistas com o fim da URSS para vomitarem o fel das frustrações anti USA (e anti ICAR...,k é aqui metida pelos mesmos). Por alguma razão, os "cientistas" alemães ateus e marxistas alinham na teoria.

Range-o-Dente disse...

Anónimo:

"não existiram ou não existem conspirações sem factos?"

Meu caro, parece que você escreve e não lê o que escreve.

Quer você dizer, conspirações baseadas em factos que não existem nem nunca existiram ou conspirações que foram planeadas e, por vezes, executadas?

Uma conspiração planeada é uma conspiração real.

Releia o post original e indique, por favor, onde se relaciona com a sua pergunta.

O post refere idiotas que defendem terem existido conspirações que nunca existiram, apontando "factos" que indicam precisamente o contrário daquilo que os palermas pretendem que indiquem.

Aliás, também você vai escrevendo o contrário daquilo que parece ter intenção de escrever.

.

Range-o-Dente disse...

ML,

Tal como refere, na idade média acreditava-se em tudo baseado no que se conhecia e o que se conhecia era muito pouco (o possível para a época) - o possível por várias razões, algumas ligadas à religião, mas isso é outra conversa.

O que é verdade é que se acreditava em tudo e mais alguma coisa, mas que a terra seria esférica, não estava em cima da mesa (e quando passou a estar ...).

Que 99.9% das pessoas não sabiam ler, é verdade, mas também é verdade que 99.9% das pessoas não percebem hoje a teoria da relatividade, e não é por isso que esses 0.1% deixam de escrever o que à altura pensa nos assuntos em causa.

A ML tem alguma razão para suspeitar que, na idade média, para 99.9% da população, o facto da terra ser quadrada ou redonda fosse assunto que estivesse, sequer, em cima da mesa? E isso permite concluir que a opinião delas era, por essa via, correcta?

Dizia O Lidador:

"Esse "argumento" é pateta. A ninguém se ocorre pretender que a crença numa coisa seja prova dessa coisa."

Quer a ML dizer que é correcta uma coisa sobre a qual nem sequer se pensa?

.

O-Lidador disse...

Diogo, acho extraordinário que tenha ido ver o que é uma ADIZ, que tenha lido que existe uma ADIZ na zona de Washington, e lhe tenha escapado que nessa mesma página é expressamente indicado que essa ADIZ foi criada APÓS o 9/11 e exactamente por causa do que se passou.
Sinceramente, custa-me entender aquilo que o leva à desonestidade. Se é apenas cinismo ou crença fanática e deliberada cegueira.

Para que não tenha desculpas, aqui lhe deixo aquilo que não leu e devia ter lido, na mesma fonte que cita:

"One of the most well-known recent additions to the collection of North American ADIZs is the Air Defense Identification Zone (Washington DC), which was created after the September 11, 2001 attacks by Al-Qaeda. "

O-Lidador disse...

Não deixo tb de reparar que, incapaz de rebater uma única vírgula do que eu escrevi, desata a estabelecer comparações absurdas entre tempos diferentes, sistemas diferentes, ameaças diferentes, espaços diferentes, etc.

Se quer comparações absurdas que nada têm a ver com o caso concreto, olhe poderia falar da avioneta pilotada por um teenager alemão que, em plena guerra friam aterrou na Praça Vermelha em Moscovo.

Ou porque razão houve um acidente de comboios esta semana algures nos EUA e não houve nenhum na mesma semana em Fornos de Algodres.

Sustente a sua teoria, meu caro, sustente-a com discussão racional e não falácias.

O-Lidador disse...

"Lidador, o facto de muitos daqueles que acreditam nas teorias da conspiração serem pessoas simplistas e básicas não prova que elas (conspirações) não existam"

Meu caro, esta sua frase não faz sentido, nem tem qq lógica sequencial. Equivale a dizer que o facto de o Nuno Gomes falhar golos, não prova que as couves não sejam verdes.
Explique-se, por favor.

O-Lidador disse...

Cara ML, a minha frase dos 99% é apenas retórica. Falei da terra plana como poderia ter falado da existência do Purgatório ou da terra como centro do universo,etc.
Essa discussão não me interessa. Se lhe agrada, experimente ler o livro "Assim na Terra como no Céu" de Clara Pinto Correia e José Sousa Dias, que tem excelentes descrições do que em cada tempo o "consenso" dos sábios achava ser a forma da terra, desde o Génesis a Santo Izidoro de Sevilha

Escreve Clara Pinto Correia, logo no 1º capítulo, que " a forma mais comum de apresentação da Terra era ..um disco circular, um O, de onde deriva a designação "orbis terrarum"

Estamos no séc XIV , no tempo de Mandeville.

etc,etc,etc.
Leia...vai ver que gosta.

Carmo da Rosa disse...

falar da avioneta pilotada por um teenager alemão que, em plena guerra fria aterrou na Praça Vermelha em Moscovo.

Mathias Rust!

Um excelente argumento. A força aérea soviética pura e simplesmente não reagiu. A milícia sim, quando ele já tinha pousado na praça vermelha…

picasanta disse...

Sr. Ml:
Nem mais, o que disse eu concordo e é axactamente por aí que ia a minha reflexão sobre o tema.
Mas o sr. range o dente ao que parece só sabe falar muito e dizer pouco. com uma dialética confusa e intelectual que só ele entende....
mais tarde continuarei para falar do sistema e do conceito. pois agora não tenho tempo.
abraço

Anónimo disse...

Lidador, o corolário e o que eu quis dizer e mostrar com aquela frase, é que tão básicos e simplistas são os que desdenham dos teoristas da conspiração, como o são no outro extremo, aqueles que pensam que não há conspirações.

Penso que muitas leituras, mal digeridas e sem espírito crítico não ajudam, pelo contrário, não ajudam a ambos os lados e ambos os casos.

Lá está, pessoas como vc. também não ajudam a combater as tais 2 ou 3 conspirações verdadeiras, a maior e mais perigosa hoje em dia é obviamente a maçonaria, obra do Diabo.

Agora vá explique-nos lá do alto da sua inteligência cúbica o desaparecimento do maçon e bruxo A. Crowley ali em Cascais, e o papel do camarada Pessoa, e o papel da imprensa e de certos jornalistas na encenação, o(a) tal Pessoa que revelou mediunidade e inspiração (autoria) diabólica nos seus escritos...

Chega, ou quer mais "couves verdes" fresquinhas?

S. Sousa

O-Lidador disse...

Sr Sousa, lamentavelmente não acredito em extraterrestres, fantasmas sem cabeça, dragões alados, discos voadores, etc.
Tampouco ligo muito ao que diz o Professor Bambo ou a astróloga Maia.
De Fernando Pessoa, basta-me a poesia.

Eu tb conspiro, sabe?
Conspiro com os meus amigos para ir beber uma cervejola, conspiro com a minha família para decidir onde vamos passar férias, etc.

Qualquer dia começo tb a conspirar para dominar o mundo.

Falarei consigo para me ajudar.

ejsantos disse...

Caro Lidador, aquilo que voi dizer não tem a ver com o assunto do post, mas hoje fiquei bem disposto.
Um colega meu, numa festa, ouviu uma moça (namorada de um amigo dele) a dizer esta preciosidade: "O Islão é uma grande religião. Pelo menos não são uns hipocritas, como os cristãos".
Bem, esse meu colega quase que a comia viva...
Mas o melhor aconteceu depois. Durante semanas, eu encontrava textos sobre o islamismo, e mandei por e-mail para o meu colega. E esse meu colega reencaminhava para os amigos dele (sim Lidador, mandei também muitos textos seus). Escusado será dizer que esse amigo, e respectiva namorada islamofila e acéfala também eram presentaedos!
E hoje recebemos, do tal amigo, o seguinte texto:

Uma menina de nove anos «dá com frequência melhor resultado na cama do que uma jovem de 20», afirma o teólogo marroquino Mohamed Ben Abderrahman Al Maghraoui numa fatwa, escreve o jornal espanhol El País.

Com este édito islâmico, o polémico teólogo tentava justificar a legalização da união entre uma criança e um homem em idade adulta, situação muito mal vista aos olhos da opinião pública mundial.

«Contaram-nos, e temos constatado, que as meninas dessa idade dão melhores prestações que as mulheres adultas», afirma. «Em consequência, estão tão capacitadas para contrair matrimónio como as jovens de 20 anos».

Al Maghraoui é autor de meia dezena de livros de teologia e colocou a fatwa na página da internet da sua associação dedicada ao estudo do corão.

Trata-se de uma polémica que ainda não teve uma reacção oficial do Governo marroquino, mas que está a escandalizar a opinião pública, precisamente no dia em que se assinalam 18 anos sobre a Convenção dos Direitos da Criança.

Esta fatwa também entra em «colisão» com a própria lei marroquina, que estipula que o casamento apenas pode ser celebrado aos 18 anos.

http://diario.iol.pt/internacional/criancas-fatwa-marrocos-teologo-islamismo-corao/990355-4073.html


Eu e o meu colega demos uma boa gargalhada (não com o texto, porque é nojento, mas com a atitude do amigo). O meu colega comentou: "conseguiste converter mais um!"

O-Lidador disse...

Caro ejsantos, continua a ser para mim um mistério a razão pela qual mulheres que vivem no único sistema que as trata como iguais, se dedicam a gabar os méritos de um sistema ( o Islão não é apenas uma religião) que as menoriza, as trata como gado, as mete a ver o mundo atrás de uma rede, e mais o que se sabe.

Será talvez masoquismo ou a sublimação de uma pulsão suicida.

Quanto à questão de o Islão não ser hipocrita, a sua amiga nunca deve ter ouvido falar da taqiya, a hipocrisia sagrada:

http://o-lidador.blogspot.com/2006/12/taqiyyaa-hipocrisia-sagrada.html

Anónimo disse...

Compreendo essa resposta Lidador, normalmente quando faltam os argumentos entra-se na graçola.
Pois eu sendo assim também conspiro, para beber uma bejecas co amigos, etc.ETC.

Não era destas conspirações que estávamos a falar. Era das outras, das sérias, e dos extremistas dos dois lados, dos negacionistas que negam sempre qualquer possibilidade de conspirações e dos "teoristas da conspiração" que vêm conspiração em tudo, até n facto de um cão estar a mijar na esquina de um prédio.

Não fuja da questão, portanto.


S. Sousa (Prof. Dr., se não se importar)

ml disse...

Nice try, caro dente. Mas apenas isso, tentativa de dar volta à questão. Mais um efeito colateral da incontinência verbal do papá.

Numa época de forte pendor religioso, acha que podia de algum modo ser ignorada a concepção do mundo expressa por sto Agostinho, sto Isidoro, Beda, S. Tomás de Aquino, Bacon e muitos outros, por sua vez na continuação dos clássicos?
A maioria da população nem pensaria muito nisso, pois não. Portanto, se não a concebia redonda, muito menos a concebia plana, já que a ideia transmitida pela igreja estava implícita na doutrinação.

O mito da ignorância medieval foi inventado por dois americanos darwinistas, que pretenderam confrontar o papel tradicionalmente reactivo da igreja católica e resolveram acrescentar umas linhas da sua lavra.

ml disse...

"Assim na Terra como no Céu" de Clara Pinto Correia e José Sousa Dias

caríssimo prezado

Essas aldrabices nunca tiram férias.
Esse é exactamente um dos livros onde os autores explicam longamente, detalhadamente, porque é que nem 99%, nem metade, e provavelmente nem uma parte da população na Idade Média podia de algum modo acreditar na superstição de que a terra era plana. Cinquenta = 50 páginas de factos, comprovativos, testemunhos para uma questão: De onde poderá, então, ter vindo um equívoco assim tão improvável?


que tem excelentes descrições do que em cada tempo o "consenso" dos sábios achava ser a forma da terra, desde o Génesis a Santo Izidoro de Sevilha

Meu caro, SE tivesse realmente LIDO o livro, teria visto que desmonta a sua boutade de fio a pavio. Citar autores que o contradizem é um acto de puro masoquismo, não conheço muita gente assim com tal queda para o alçapão. É que a Clarinha&Co não entendem sequer a atribuição dessa crença aos povos medievais dado que, entre dezenas de outros, defendem a terra plana apenas dois autores. Cujos escritos obscuros seriam necessariamente desconhecidos pelas populações, é claro.

Sustentar que houve “na Idade Média” uma crença universal e obrigatória na Terra plana ... é tão absurdo como algum historiador, daqui a oitocentos anos, sustentar que o comum dos mortais do século XX era suicida com base nos legados de Marilyn Monroe e de Kurt Cobain.
("Assim na terra como no céu")


a forma mais comum de apresentação da Terra era ..um disco circular, um O, de onde deriva a designação "orbis terrarum"

E já agora, e para comemorar a rentrée, podia ser por uma vez na vida honesto. Vá lá ao livrinho que não leu e transcreva o resto até ... o enorme globo aquoso que constituía a totalidade do planeta.

É claro que estava à espera que o meu conhecimento do livro fosse igual ao seu (zero), já que a recomendar títulos pela capa é uma máquina. Ao fim de tanto tempo e de tantos calduchos que tem levado, continua a não conseguir dominar esse impulso saloio para as passadas mais compridas do que a perna.

Carmo da Rosa disse...

@ ejsantos:
Bem, esse meu colega quase que a comia viva...



Ó Santos,

Mas o teu colega sempre acabou por comer a bacana?

É que agora está muito na moda as mulheres inventarem umas histórias do arco da velha quando querem ser comidas! E quando encontram um, como o teu colega, que quase as come, elas viram-se imediatamente para o seguinte, até encontrarem o tipo que as COME MESMO, o tipo que lhes responde: - sim tá bem, o Islão é a religião da paz, olha filha, o que tu queres………

picasanta disse...

Aí está uma bela defenição de "sistema" sr carmo da Rosa.
Trata-se apenas dum conceito e dum dogma para quem não o vê (ou não quer ver!).
Como posso eu indicar o que é o sistema? Antes diga-me sr Carmo da Rosa:
Existem ou não existem sistemas?
é muito óbvio que se eu indicar o que é o sistema com mero uso de palavras e de lógica - o que é deveras insuficiente- venha alguém por mero capricho ou dizer o oposto.
Até parece que tudo o que se diz tem que ser provado! Se as pessoas forem sinceras não terão problema algum em coincidir que existe um sistema. quer uma defenição!? isso seria apenas meramente verbal, e as respostas não são só verbais... são vista, sentidas, intuidas.
Mas neste reduto onde se "adora" o intelecto parece ser bastante dificil aceitar isso.
Penso que se trata mais dum estudo da mente tudo o que estamos por aqui fazendo.
Quer uma resposta cabal, super-conclusiva? isso seria apenas mais um conceito...
Ou então pergunte ao Sr. Range o dente, pode ser que ele queira ser a autoridade deste tema!
Abraços e disposto a continuar...

picasanta disse...

Aí está uma bela defenição de "sistema" sr carmo da Rosa.
Trata-se apenas dum conceito e dum dogma para quem não o vê (ou não quer ver!).
Como posso eu indicar o que é o sistema? Antes diga-me sr Carmo da Rosa:
Existem ou não existem sistemas?
é muito óbvio que se eu indicar o que é o sistema com mero uso de palavras e de lógica - o que é deveras insuficiente- venha alguém por mero capricho ou dizer o oposto.
Até parece que tudo o que se diz tem que ser provado! Se as pessoas forem sinceras não terão problema algum em coincidir que existe um sistema. quer uma defenição!? isso seria apenas meramente verbal, e as respostas não são só verbais... são vista, sentidas, intuidas.
Mas neste reduto onde se "adora" o intelecto parece ser bastante dificil aceitar isso.
Penso que se trata mais dum estudo da mente tudo o que estamos por aqui fazendo.
Quer uma resposta cabal, super-conclusiva? isso seria apenas mais um conceito...
Ou então pergunte ao Sr. Range o dente, pode ser que ele queira ser a autoridade deste tema!
Abraços e disposto a continuar...

picasanta disse...

e mais uma coisa range o dente...
tu pareces ser muito inteligente... pareces!
Mas tens levado com cada "calduço" da ml, "caté andas de lado"!
Só para dizer que há sempre alguém acima e abaixo de nós e destacar a nossa brilhante intelectualidade é absurdo por natureza. Mais valia cultivar certa modestia pois com isso estavas a popar-te a ti mesmo de ouvir de alguém "dos de cima"!
E acima de tudo penso que não se trata de mostrar que se é mais ou menos inteligente; mas antes de respitar e compreender cada ponto de vista.
Pensar que somos os maiores é falacioso e imprudente...

O-Lidador disse...

Cara ml, fique com a taça. Já lhe disse que essa discussão é lateral e não me interessa. Usei uma figura de retórica, se não gosta não gosta, paciência. O livro (que não só li como tenho ali em cima) fala de mitos, verdades, crenças,etc.

Santo Agostinho,por exemplo, acreditava que a Terra estava suspensa na concavidade do Céu.
Lactâncio, outro Padre da Igreja, achava que "haverá alguém tão tonto que acredite que existem homens cujas pegadas são mais altas que as suas cabeças?..e que as árvores cescem para baixo; etc,etc.

Em que é que o "povo" acreditava?
Provavelmente no que lhe diziam os sentidos e o senso comum.
Não sei, não há sondagens.
Eu acho que acreditava na terra plana (qq miúdo "sabe" que a terra é plana e necessita de educação para desfazer essa "sabedoria" dos sentidos.)
Você acha que o "povo" acreditava na terra esférica.
Enfim, é de "achismo" que falamos. Ache aquilo que quiser e vá chatear outro.

ml disse...

Prezadíssimo, entrámos no plano B, o arrastanço dos pés em passos miudinhos até à fuga discreta pela direita baixa. Mas é tão mauzinho em palco que tropeça com estrondo nos próprios sapatos.

Poupe-nos a mais conjecturas, a discussão não é, nunca foi, sobre a concepção que as várias épocas e vários autores tiveram do formato e características da terra, mas sim se a Idade Média ou outras épocas alguma vez acreditaram na não esfericidade da terra. E parece que não, não é verdade?


Você acha que o "povo" acreditava na terra esférica.

Estimado, eu não acho nada, para achar alguma coisa teria que ler os mil e um títulos da bibliografia que a Clarinha cita e que lhe permitiram ter uma opinião fundamentada. E tantos aconselhamentos de leitura, tanta erudição, tanto leia isto e aquilo, para afinal concluir que o que uma criança sente é mais fidedigno do que um livro vivamente recomendado por si.

Enfim, entende-se a trapalhice, se tivesse lido a obra não se esqueceria de um capítulo de 50 páginas, ‘O mito da terra plana’, complementado por muitos outros. You would’t have missed it, como diriam os nossos amigos.

Ou dar-se-á o caso de tudo o que lê se vai à 1ª rajada do Ike?
Quer seja pelo colapso da memória, quer pelas parlapatanices habituais, o que diz não é de fiar.
Ficamos então por aqui, até ao próximo estatelanço. Vá mantendo o sangue-frio.

O-Lidador disse...

Pare lá com a cassete Ml. Essa lengalenga já não levanta o pau a ninguém.
Faz apenas bocejar.

ml disse...

Sim? Então porque voltou aqui? Para lamber as feridas de uma conversa que não lhe interessa mas em que se intrometeu voluntariamente?

Cabeça fria, prezadíssimo, ainda falta um ano para as férias.

Range-o-Dente disse...

ML:

"Numa época de forte pendor religioso, acha que podia de algum modo ser ignorada a concepção do mundo expressa por sto Agostinho, sto Isidoro, Beda, S. Tomás de Aquino, Bacon e muitos outros, por sua vez na continuação dos clássicos?"

Acreditava-se em algo e acreditava-se mal. Acreditar-se-ia, porventura, de boa fé, mas mal.

Porque gosta a ML de meter ao saco as pessoas que desconheciam ou nem sequer se interrogavam ou ignorariam, eventualmente, mesmo que o assunto viesse ter com elas? Haverá alguma tendência para pretender que pensariam e a favor da forma de pensar da ML?

O facto de muitas pessoas acreditarem am algo significa apenas isso. Podendo ser verdade que a generalidade das pessoas pensem determinada coisa, absolutamente nada pode levar a concluir que essa coisa seja verdade.

A generalidade das pessoas acredita no aquecimento global e no CO2 como seu motivador. Pois o primeiro não existe e o segundo muito menos.

A generalidade das pessoas acredita que os antibióticos atacam os vírus, apesar dos médicos garantirem que não.

.

Range-o-Dente disse...

Picasanta:

"Nem mais, o que disse eu concordo e é axactamente por aí que ia a minha reflexão sobre o tema.
Mas o sr. range o dente ao que parece só sabe falar muito e dizer pouco. com uma dialética confusa e intelectual que só ele entende...."

Experimente ler. Comece pelo Pato Donald, e já terá bagagem "intelectual" para perceber o que escrevo.

.

Range-o-Dente disse...

Picasanta,

"Só para dizer que há sempre alguém acima e abaixo de nós e destacar a nossa brilhante intelectualidade é absurdo por natureza."

Fale por si.

Você tem ... 12 anos?

Quem o autorizou a tratar-me por tu? Pensa que por essa via passa a perceber por que cada bit reduz a ignorância a metade?

.

Carmo da Rosa disse...

”Como posso eu indicar o que é o sistema? Antes diga-me sr Carmo da Rosa: Existem ou não existem sistemas?”

Caro Picasanta,

A sua resposta resume-se perfeitamente desta maneira:

Imagine que anda perdido em Lisboa e eu sou a primeira pessoa com quem o meu amigo se cruza, e, como eu tenho um ar de estar sempre pronto para ajudar o próximo, você faz-me esta pergunta: - o sr. desculpe, pode-me indicar por favor onde se encontra a avenida da Liberdade?

E eu respondo-lhe: Liberdade! liberdade meu amigo, trata-se do conceito ou do dogma? Como posso eu indicar o que é liberdade, diga-me antes o sr., existe ou não existe liberdade?

Muito sinceramente, estou curioso em saber a sua mais sincera reacção?

ml disse...

Porque gosta a ML de meter ao saco as pessoas que desconheciam ou nem sequer se interrogavam ou ignorariam, eventualmente, mesmo que o assunto viesse ter com elas?

caro dente, how odd! Quem meteu ao barulho os 99% foi o papá, logo coadjuvado pelo dentinho. Se a maioria das pessoas ignorava o assunto, e acredito que sim, porque deu cobertura à patetice, justificando-a com o argumento de que o conhecimento desse facto chegou até nós porque as pessoas sabiam escrever? E foi aqui que meteu os pés pelas mãos, e que resolvi mostrar-lhe que quem escreveu disse exactamente o oposto. A maioria nada disse porque nem escrever sabia, e em parte algum é referido que acreditavam na planura da terra.

E porque haviam de acreditar? Não era esse o conhecimento mainstream e a igreja católica também nunca pregou em contrário.


O facto de muitas pessoas acreditarem am algo significa apenas isso. Podendo ser verdade que a generalidade das pessoas pensem determinada coisa, absolutamente nada pode levar a concluir que essa coisa seja verdade.

Sem dúvida, mas que tem isso a ver? Daí não se infere nada sobre as convicções das populações, quer para um lado quer para o outro. Para tirar essas conclusões existe a investigação histórica, que concluiu inteiramente ao contrário dessa tolice.

Olhe, siga a recomendação da casa (vai ser criado aqui um placard para os aconselhamentos não matrimoniais) e leia “Assim na terra como no céu”. Ou um historiador americano que se dedicou ao assunto, Jeffrey Russell, “Inventando a terra plana”.

Range-o-Dente disse...

ML:

"o conhecimento desse facto chegou até nós porque as pessoas sabiam escrever? "

Eu diria que sim. Ou seria por gravações, videogramas, microfilme?

Dizia o Picassata:

"Como é que vc sabe [] que na idade média 99% das pessoas acreditavam que a terra era plana?"

O pormenor de ser plana, quadrada, obtusa ou helicoidal é irrelevante.

'Isso era quando as galinhas tinham dentes', diz-se. Porquê? Relativamente a uma época em que elas tinham dentição?

Experimente trocar a coisa pela crença no geocentrismo e o resultado é o mesmo.

Minha cara. Em criança conheci muita gente que ficava estupefacta por eu (puto que lia umas coisas para além (mas incluindo) Patos Donald) lhe dizer que a terra era redonda.

Hoje (em Portugal) já é difícil, mas muita gente nova, estudantes, duvida que se tenha ido à Lua.

Experimente perguntar porque há estações do ano, mesmo a malta do 12º e vai ver em que elas acreditam.

Nota:
De momento só posso comentar à noite.

.

Range-o-Dente disse...

ML,

Vem mesmo a calhar:

http://ultimoreduto.blogspot.com/2008/09/bloquismo-histrico.html

Depois admira-se de haver caramelos que acreditam em qualquer baboseira, misturam alhos e bugalhos, o cu e as calças, gordura e inchaço, aquecimento global e ideologia?

.

picasanta disse...

sabe qual é a minha mais sincera reação? é que se vc quiser entender entende perfeitamente. ponha a sua boa vontade e vai ver que não custa. para quê complicar?
e a comparação é decabida, falaciosa e interessa-lhe, portanto nemvá por aí.
Simplicidade

ml disse...

Ou seria por gravações, videogramas, microfilme?

Sim, claro, calculo que foi assim que a opinião dos 99% chegou ao seu conhecimento. Quando acabar de explorar esse material empreste-o à Clarinha, que anda aflita com uma tese qualquer.


O pormenor de ser plana, quadrada, obtusa ou helicoidal é irrelevante.

Bom, se muda o vento salva-se o material, nem tudo se vai com o Ike, afinal. E espero sinceramente que 99% dos seus conhecidos não tenha visto galinhas com dentes, a começar aqui pelos blogueiros.

A crença no geocentrismo era imposta pela igreja, o heliocentrismo uma heresia, e o embate entre as duas concepções ficou mais do que documentado por quem sabia escrever. Não pelos 99%, mas que incluía os 99%.
Está a dar-me munições.

Dentinho, vá para férias sem o aquecimentismo. Não justifica uma vida.

nota: já vi que o horário é mauzote.

picasanta disse...

Bom já que espicaçei o touro vou continuar...
és tão inteligente e não previas que se te conseguisse chatear iria continuar?
Pensa vc que por ser mais velho é mais do que os outros ou que a sua opinião é a melhor?
Gosta de falar sozinho ou de ouvir o eco das suas palavras?
Voce foge da simplicidade como o rato foge do gato.
Para quê tanto diálogo confuso e complicado range o dente?
Pagam-lhe a peso ou ao kilo por cada palavra cara que usa?
Voce não dava para politico...
Normalmente usa-se esse "palavreado insubstâncial de conversa ambigua" ou para confudir, ou para disfarçar a arrogancia!
Mas acho que só vc pode responder a essa questão lá do alto da sua brilhante e anti-social postura.
E responda-a para si que eu escuso de saber a resposta.
coitadinho... miserável!

picasanta disse...

"Porque gosta a ML de meter ao saco as pessoas que desconheciam ou nem sequer se interrogavam ou ignorariam, eventualmente, mesmo que o assunto viesse ter com elas?"
Mas como é que vc sabe que não se interrogavam?
continua com o préconceito de sempre:
Antigamente eram uns burros e agora é que somos inteligentes!?!
Provavelmente interrogavam-se mais na idade média do que agora, que nem tempo temos para isso ou então temos os média a manipularem a nossa forma de pensar duma forma extremamente sofisticada!
Vc é burro que nem uma porta velha...!
Continua com a mesma lenga lenga de sempre... fónix!

picasanta disse...

tu bem te queres tornar inálcansável de alguma forma Ranger o dente. Mas compreende caríssimo que tirando a "trampa" de todo o teu palavreado anti-social e insubstancial, a tua opinião fica á vista a olho nu.
Talvez seja só a opinião da criança de 12 anos de que falavas...

ml disse...

Picasanta, não se abespinhe e tome isto pelo seu valor facial: passar o tempo.

Aqui é assim mesmo. Leões de papel, como dizia o saudoso Mao que-deus-tem. Ou o horizonte vermelho, sei lá.

Carmo da Rosa disse...

SIMPLICIDADE

Caro Picasanta,

Sem ofensa você é um puro produto do pedantismo português mas que se encontra ainda numa fase muito rudimentar. E não pense que digo isto para o aborrecer, mas apenas para fazer alguma justiça ao resto dos escribas nacionais, porque realmente tenho que reconhecer que há exemplos bem mais finos que o meu amigo.

E este seu pedantismo reflecte-se não tanto nas suas opiniões (que continuo a desconhecer completamente), mas no uso e abuso de frases, em que NEM você, que as escreveu, NEM os desgraçados que por educação são obrigados a lê-las, têm a mínima ideia o que elas significam!!!

Uma amostra:

[são meros conceitos, não passam disso. E tal como os dognas religiosos, têm uma grande similaridade com eles. mUita teoria, etc, etc.]

[o "sistema" é que escreve os livros de história]

[Estamos aqui a entrar num estudo da mente se calhar sem querer...]

[é muito óbvio que se eu indicar o que é o sistema com mero uso de palavras e de lógica - o que é deveras insuficiente- venha alguém por mero capricho ou dizer o oposto....]

[quer uma defenição!? isso seria apenas meramente verbal, e as respostas não são só verbais... são vista, sentidas, intuidas.]

[Quer uma resposta cabal, super-conclusiva?]

Em relação à sua última frase, tenho apenas a dizer que já me daria por muito contente com apenas UMA resposta!

Como vê, na sua fraseologia oca encontra-se de tudo menos SIMPLICIDADE…
Mas não há razão para você deixar de escrever ou ficar depressivo, a esmagadora maioria neste país escreve desta forma, por isso, você, com um pouco de sorte passa perfeitamente despercebido.

Carmo da Rosa disse...

ML,

não é leão mas tigre de papel, o que o saudoso Mao que-Deus-tem costumava dizer.

Range-o-Dente disse...

Picassanta:

"para quê complicar?"

Tem razão. Há lá coisa melhor que estar morto.

.

picasanta disse...

tu és fixe ml!

Range-o-Dente disse...

ML:

"Picasanta, não se abespinhe e tome isto pelo seu valor facial: passar o tempo."

Já por mais que uma vez lhe disse que sei da utilidade em fazer o adversário perder tempo.

Picassanta, se não perceber o parágrafo acima, atire-se ao rio. Se perceber, atire-se na mesma.

.

picasanta disse...

Carmo da rosa. tu és um intelectualóide frio e complicado. e nem vou gastar mais do meu tempo a dar-te trela. porque és burro mesmo... um filósofo depressivo e frustrado... um velho monótono que me faz sono!
e eu sou um pedante- Sou sim senhor! SOU um pedante porque estou aqui a tentar provar algo que não tenho necessáriamente que provar!
Adeusinho a todos. Gostei muito foi da ml. A lógica dela é mais justa e tem alguma emoção. os outros são o tédio em pessoa. Contorcionistas mentais.
Continuem com o vosso diálogo infinito, presos na roda da incerteza. têm muito para se entreter.
Abraço

picasanta disse...

Tá descansado que eu sei nadar...

ejsantos disse...

Caro Lidador, mais uma vez peço desculpa por escrever of-topic, mas queria dizer que fui ler o texto que recomendou. Excelente! Já tratei de copiar para o meu e-mail (e com referência do autor) e enviar aos meus amigos. Espero que a linda mocinha islamofila e palerma também receba o texto.
Ela merece.
Cumprimentos.

Carmo da Rosa disse...

Ó Picasanta,

Eh pá, tu já reparaste que já postaste 12 comentários e ainda não conseguiste provar nada, e além disso, à parte de uma tentativa de insulto - intelectualóide frio e complicado, burro, filósofo depressivo e frustrado, velho monótono que me faz sono - ainda nem sequer conseguiste dizer grande coisa…

Faz um esforçosinho pá e desce lá do teu pedestal e diz o que te vai na alma. Mas diz o que tens a dizer com franqueza, simplicidade, o melhor que possas e de maneira que toda a gente perceba.

Achas que é pedir muito?

Beijinhos.

O-Lidador disse...

"desce lá do teu pedestal e diz o que te vai na alma. "

cdr, acho que está a sobrestimar o pica qualquer coisa e a mostrar pérolas a porcos.

No caso vertente penso que está a confundir pedestal com louça sanitária e não está provado que os asnos tenham alma pelo que não me parece possível que vá alguma coisa no vazio.
Tenho para mim que um pedregulho não tem alma e talvez não fosse má ideia pedir a opinião inspirada da ml para nos fazer a recensão de uma obra qq que prove tal tese.
Ou outra qq.

O que acho estranho é que o Diogo das teorias da conspiração, parece ter embatucado. Pelo menos, até agora, aos costumes disse nada.

Carmo da Rosa disse...

cdr, acho que está a sobrestimar o pica qualquer coisa e a mostrar pérolas a porcos.

Lidador,

Você a querer insinuar que eu sou um moralista incurável, e o Picasanta acha que sou um ‘intelectualóide frio e complicado’.

Em que ficamos? Não me venham com In medio stat virtus

Espero que o Picasanta não me leve a mal, mas não creio que a ML esteja muito contente com os seus elogios. Por mim, a ML, mais fria, mais complicada e certamente muito mais intelectual do que eu, deve estar a pensar com os botões dela: ‘Picasanta meu caro, começaste à asneira agora desenrasca-te’

Carmo da Rosa disse...

@ lidador:
O que acho estranho é que o Diogo das teorias da conspiração, parece ter embatucado.


E eu agora sinto-me culpado!

Porque num meu comentário ao seu post digo a certa altura:

“por uma vez que os muçulmanos obtiveram uma pequena vitória sobre o grande Sátão, que foi celebrada por grande parte da UMMA (comunidade islâmica), vem agora o esquerdalho racista duvidar das capacidades operacionais dos muçulmanos! Eh pá, isto é o cúmulo, se eu fosse o Bin Laden tratava-lhes da saúde.”

Com isto não me referia de maneira nenhuma ao Diogo, mas sim ao Thierry Meyssan e aos intelectuais alemães que actualmente acreditam nestas petas, assim como na minha juventude o Jean Paul Sartre e outros tais acreditavam noutras coisas ainda piores: que os nabos na China tinham tamanhos descomunais, e era claro que isso se devia à Revolução Cultural….

-ml disse...

talvez não fosse má ideia pedir a opinião inspirada da ml para nos fazer a recensão de uma obra qq que prove tal tese.

prezadíssimo, não seja tão básico e tenha o senso de aceitar as consequências do que diz. Não sou eu quem anda para aí a recomendar livrinhos a esmo e, quando finalmente percebe que o livro se vira contra si, faz birras e esperneia. Consta que a idade traz maturidade, mas há quem envelheça e nunca cresça.

Anónimo disse...

Ó lidador não ligue.
Eles já não se lembram que uma avioneta aterrou graciosamente na Praça Vermelha.

Range-o-Dente disse...

Picasanta:

"Tá descansado que eu sei nadar..."

Não complique Picassanta.

Use o princípio KISS: keep it simple, stupid.

Não nade. Pare de complicar o que pode ser simples simples.

.