sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

O Detate da Florida

Deixo a minha opinião sobre o essencial de debate de ontem entre os quatro candidatos à nomeação pelo Partido Republicano:

Romney – cordial, sensato, confrontou com relativo sucesso e sem azedume as recriminações que os adversários lhe têm dirigido, sobretudo Gingrich;

Santorum – cheio de estamina, talvez demasiado quezilento na recriminação do desempenho de Romney como governador do Massachusetts e sobre a política de Obama para a América Latina. Em contrapartida, nos aspetos afirmativos, mostrou-se o mais asserivo dos candidatos;

Paul – ser campeão de ideias liberais não chega para ganhar eleições. Ser campeão das “punch lines” do debate, como foi, também não;

Gingrich – começou bem nas propostas sobre imigração ilegal mas a partir desse ponto afundou-se no debate. Não conseguiu desligar-se do seu envolvimento na Freddie Mac. Ficou desgastado no retorno que recebeu de Romney quanto às acusações que lhe tem dirigido. Foi o único a defender a ideia de uma base lunar americana habitada, algo que o deixou exposto como… lunático.

Conclusão:
Romney mantém-se sólido na corrida;
Paul mostra-se fraco em temas que não sejam o “sound money” ou o “bring the troops home”;
Gingrich comprometeu as hipóteses de chegar ao fim;
Santorum está em alta e parece colocar-se como o único capaz de bater Romney.

O próximo Presidente dos EUA não será um liberal. Já não será mau se for alguém que diminua o défice e reverta a obra em curso de destruição dos EUA através do socialismo.

2 comentários:

Carmo da Rosa disse...

"O próximo Presidente dos EUA não será um liberal."

Um liberal à portuguesa, ou um 'liberal' à americana?

Só temos uma certeza, o próximo presidente dos EUA é toda pela família, não é homossexual (assumido) e acredita (ou diz que sim) infinitamente em Deus...

Paulo Porto disse...

@CdR
Liberal no sentido comum; no caso, os americanos são a excepção aa regra.

"Só temos uma certeza, o próximo presidente dos EUA é toda pela família, não é homossexual (assumido) e acredita (ou diz que sim) infinitamente em Deus..."
... pois, parece que sim.