sábado, 7 de janeiro de 2012

SORGIFICAÇÃO SOCIALISTA


Quem avisa socialista é

Queria avisar os meus colegas de redacção para terem cuidado com a pinga, os leitores já começaram a notar “um abuso generalizado de bebida” (dixit Sorge na caixa de comentários).

Este hábito afecta a qualidade dos artigos e as teorias aqui expostas. Veja-se por exemplo a insistência, devido certamente aos copos, em falar constantemente em choque de civilizações, quando todos nós sabemos que se trata apenas de ficção científica fabricada pela CIA para vender jogos de computador. A verdade é que as diferentes civilizações se amam mutuamente, e isso pode ser visto e comprovado diariamente nos telejornais e Internet do mundo inteiro.

A ignorância das massas

Como diz Sorge e muito bem, é preciso ter em conta a “ignorância  das massas”. As massas, e nisto temos que acabar com hipocrisias e dar razão a Sorge, na realidade só servem para fazer número em manifestações de cariz socialista. Mas depois das manifestações feitas e os cartazes descolados das paredes, são os doutores revolucionários que ocupam os lugares no parlamento - era o que faltava!. Mas não julguem que os doutores revolucionários, apesar dos seus muitos afazeres, se esquecem ou desligam das massas. Não senhora. Uma vez por ano têm a atenção de organizar uma grande festa (chamada do Avante) para as massas, ao nível das massas, com intervenções para as massas, enfim, uma maçada! Enquanto eles, a elite revolucionária, compreensivelmente, prefere deslocar-se a Bayreuth, ao festival de Wagner ou a Avignon, ver teatro. Sempre é outra coisa e não ficam com o fatos italianos e os sapatos de berloques a cheirar a sardinha assada…

Outro pormenor em que se nota um uso exagerado de vinho tinto por parte da redacção do FIEL, é nunca focar “o projecto bárbaro dos nazis e dos americanos” que, como diz Sorge e mais uma vez muito bem, “varia no bigode do boss e em outros detalhes de estilo.” (Não quero responder pelos meus colegas, mas é verdade que eu próprio nunca me lembrei deste pormenor – culpa da Macieira 3 estrelas).

A história agora contada como deve ser – sem copos

Havia na Europa realmente um projecto bárbaro. O socialista Adolfo Hitler ganhou em 1933 as eleições na Alemanha com o seu NSDAP (Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães). E com o apoio das massas, o Adolfo começou imediatamente a fazer auto-estradas a dar c’um pau - as primeiras auto-estradas na história da humanidade - e até criou o Volkswagen (o carro do povo). Picante detalhe, parece que foi desenhado pelo Chico dos Porches Balsemão!. E a história poderia ter ficado por aqui. As massas alemães já tinham as melhores estradas do mundo, um carro desenhado pelo Porsche acessível a todas as bolsas, reforma (os primeiros), férias pagas, campos de férias e festivais de música clássica para as massas: Wagner, Bach, Liszt, Mozart (outra coisa que as Festas do Avante com o Vitorino e o Janita Salomé!). Mas o Adolfo, como todos os socialistas, querem sempre mais. E mais significa transformar o seu partido em PARTIDO ÚNICO e acabar com a democracia parlamentar, uma coisa burguesa. O resto é conhecido. A Europa a ferro e fogo esquartejada entre dois socialismos: o nacional e o marxista.

É aqui que entram os americanos, os “patetas de Westpoint”, como diz Sorge. E entram um pouco tarde, porque o exército do pai das massas trabalhadoras, o José Estaline, já se encontrava em Berlim, tendo já libertado metade da Europa e preparando-se para libertar a outra metade. Que oportunidade que não seria para nós portugueses: o 25 de Abril em 1945, reforma agrária do Minho ao Algarve e Festa do Avante uma vez por mês. Como a história é cruel… Tudo culpa dos patetas de Westpoint, que vieram tarde e a más horas meter o bedelho onde não eram chamados.

E que fazem os americanos entre 1942 e 1945?

Os espertalhões, só para chatear, travam o avanço das tropas libertadoras soviéticas, nomeadamente o General Patton, que a mascar chiclete e armado em cóbói com as suas pistolas Smith & Wesson se pôs a insultar os russos de sevandijas! Os russos, cansados de guerra e para evitar chatices com os malcriados americanos, tentam salvar o que podem e ficam-se por Berlim. Mas tiveram o cuidado de construir um belo e sofisticado muro para proteger a Europa libertada (o chamado Pacto de Varsóvia) da perniciosa influência dos Yanks, com os seus chicletes, Jazz, blues, filmes de cóbóis com pistolas Smith & Wesson e porrada em bares ordinários acompanhada de muita copofonia. (O ciclo completa-se e assim compreende-se melhor de onde vem a influência no FIEL INIMIGO de beber uísque enquanto se bloga).

Vaclav Havel, o maluquinho

A Europa Oriental, libertada pelas tropas soviéticas, vivia atrás do muro sossegadinha e em plena liberdade, com excelentes condições secundárias de trabalho, qualidade de vida, desporto ao alcance das massas, e onde os desportistas de alta competição se sacrificavam voluntariamente a mudar de sexo para ganhar medalhas de ouro nos jogos Olímpicos em prol da pátria socialista. A saúde era de alto nível e gratuita. A psiquiatria, avançadíssima, onde nas famosas Psikuchas eram tratadas com sucesso doenças mentais até à época julgadas incuráveis, como a dissidência (os doentes, sem qualquer motivo berram que querem democracia) Maluqueiras!!! Note-se que o recentemente falecido ex-presidente da Republica Checa, Vaclav Havel, foi tratado com sucesso durante cinco anos numa destas Psikuchas nos anos 70 do século passado. (Havel passava o tempo a escrever cartas incoerentes (estilo Faustino) acerca de liberdade e democracia! No auge da sua maluqueira escreveu 77 Cartas de uma vez…)

Entretanto no lado Ocidental, que estava claramente sob a influência dos patetas de Westpoint, era a bagunça que nós todos sabemos: Maios de 68, festivais-da-pouca-vergonha-Woodstock, rapazes com cabelos à bítla, raparigas nuas em parques, a pílula, homossexuais, sexo livre, drogas e música pop. Tudo isto financiado com o Plan Marshal. Dinheiro que os americanos roubaram (há que dizer a verdade) aos povos da América Latina ou vice versa, para corromper, mas sobretudo alienar as massas europeias dos verdadeiros problemas: fome, miséria, xenofobismo e mais umas coisas que já não me lembro (o álcool!).

A destruição do Muro de Berlim

Com medo que o socialismo se instalasse definitivamente no lado Ocidental da Europa, o imperialismo acelerou o processo de demonização do Pacto de Varsóvia, que vivia, como já vimos, sossegado e em pleno esplendor económico do outro lado do muro. Resultado, em 1989 o agente da CIA, Michael Gorvachov, com a sua filosofia rasca de GLAS NOST (em russo significa banalmente ‘o nosso copo’: cá temos a bebida outra vez como um perfeito leitmotiv!) dá o pontapé de partida para a destruição do Muro de Berlim, que tanto trabalho deu a construir e que protegia a população oriental da má influência capitalista. Quem não se lembra das dramáticas imagens? Bichas de famílias alemãs a fugirem nos seus BMW de oito cilindros para a RDA a reboque de Trabantes, um produto do Wissenschaftswunder des Sozialismus (se não souberem o que isto quer dizer, perguntem ao Sorge que ele sabe). Tudo isto é triste como uma tasca de província ao domingo à tarde: relato de futebol na rádio e capitalismo dos Urais até à Bááxa...

17 comentários:

Freire de Andrade disse...

A história da Europa e do Mundo desde 1933 até ao presente em pouco mais de 5 minutos!! Espero pelo desenvolvimento em livro, com a mesma exactidão, nem que seja necessário esvaziar a garrafeira para o concluir.

Carmo da Rosa disse...

Freire de Andrade: "A história da Europa e do Mundo desde 1933..."

Creio que se tratava apenas da história da Europa, e de um período muito curto!

Não me diga que também bebe?

Afonso disse...

“A história da Europa e do Mundo desde 1933 até ao presente em pouco mais de 5 minutos”

Nem mais. Como voce nunca a viu a não ser em filmes.

Hitler socialista, nazismo socialista.

Isto na historia é diferente, não é bem assim, mas aqui é ponto assente.

“E com o apoio das massas.......”( as grandes empresas, o capital, a IBM, o exercito etc etc. )“o Adolfo, como todos os socialistas...... dois socialismos: o nacional e o marxista”.( é, ate o Salazar chorou e fez luto pela sua morte e pelos socialistas nacionais, amava os socialistas,) “....... travam o avanço das tropas libertadoras soviéticas.......”(qual quê, eram aliados, combatiam em duas frentes que se encontraram, o velho patton queria a guerra estava habituado, o homem vivia a guerra e da guerra, foi uma desgraça acabar, ate ser atropelado)

Tinha socialismo no nome, era socialista, colectivização, planificação nacionalização dos meios de produção esta-se mesmo a ver que era isso mesmo, o nazismo.

O resto é mais ou menos verdade, mas enfim meter desde os anos 30 até a destruição do muro e e por ai fora só pode dar isso. Mas a destruição da guerra,a escassez de recursos e meios é certo levou a que na europa houvesse cada vez mais manifestaçoes e constestaçoes aos governos de então. Os estados unidos começaram a ver que a situação critica na europa punha em risco o futuro do capitalismo o que no fundo era mau para eles e a sua propria economia,e por conseguinte empurrava os paises e populaçoes europeias para o comunismo e sua expansão, dai ainda no rescaldo da guerra o abastecimento das populaçoes do leste por via aerea. Depois os norte americanos põe em pratica o conhecido plano de ajuda,marshall, que a russia recusou. A principio era de alimentos, mas depois passou a manufacturados, materias primas etc. Com isso os americanos durante a guerra e agora com este plano, e uma vez que a guerra se desenrolou sempre fora de suas fronteiras nunca viram as suas infraestruturas destruidas como na europa e nunca tiveram que investir na sua reconstrução, desenvolveram enormemente a sua economia, e colocaram a inglaterra fora da posição de potencia mundial que vinha dos tempos de gloria do colonialismo, mais de metade chegando quase a 80% do que se consumia na europa vinha da américa, nunca se tinha vivido tão bem na america, quase pleno emprego, bens, poder de aquisição. Este plano marshall ha quem o veja como um dos promotores da unificação europeia uma vez que para funcionar entre paises anulava barreiras comerciais e impunha uma certa maneira americanizada de fazer as coisas funcionar, do laissez faire . So que os americanos também queriam a hegemonia militar( nato)sobre o continente a ajuda não era simplesmente so ajuda altruista, por isso os sovieticos não quiseram a ajuda do plano que lhes foi oferecida e houve quem batesse o pé também no continente depois, (de gaulle). O resto caiu com o muro, e surgiu uma nova nomenclatura “os abramovichs”.

Carmo da Rosa disse...

Afonso: ”Hitler socialista, nazismo socialista. Isto na historia é diferente, não é bem assim, mas aqui é ponto assente.”

Para lhe poder responder, tomei a liberdade de juntar a suas duas primeiras frases que, separadas em dois parágrafos, não querem dizer nada! Creio que é isto que você quer dizer. Mas sempre na dúvida!

Na história é diferente, diz você, sem explicar o que reza a história! Mas a história diz que o partido de Hitler se chamava Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei.

O nome do partido não foi dado aqui, como você insinua, porque toda a gente que aqui escreve simplesmente ainda não tinha nascido!!!

Além disso, há uma coisa que você precisa saber dos alemães. Quando um alemão chama ao seu partido PARTIDO NACIONAL-SOCIALISTA ALEMÃO DOS TRABALHADORES, é porque realmente quer que o partido seja um partido alemão nacional-socialista dos trabalhadores… A palavra SOCIALISTA não está lá para inglês ver! O Hitler não é o Sócrates ou o Berlusconi! Era realmente um assassino patológico e anti-semita quanto baste, mas implementou mais medidas socialistas (em prol da classe operária) que Lenine, Estaline, Mao, Kim Il Sung e Enver Oxa juntos…

O resto do que você escreveu, não sei que lhe diga! Tenho muita pena mas é demasiadamente confuso e ilógico para esboçar uma resposta... Responder já me dá bastante trabalho, se me ponho ainda a deduzir o que os outros querem dizer, nunca mais é Sábado. Espero que compreenda..

Afonso disse...

“O nome do partido não foi dado aqui”´

Não sei que lhe diga, a não ser que não percebe nada do que se diz, ou fazendo-lhe uma redacção explicando tudo como a uma criança. Se não tem conhecimentos, é claro que não percebe coisas sintetizadas ou nomes ou ideias mais desgarradas. Mas o nome não é a ideologia nem a pratica.

Eu ja lhe tinha dito que não mantinha dialogos com racistas e xenofobos, o comentario não era para si aproveitei coisas escritas num texto mas o comentario não era dirigido a si.

O nacional socialismo nazi é considerado de extrema direita, se comungam ideias parecidas, paciencia tem que carregar o morto.

Mantenha as distancias. Ou se quiser comente para o boneco.

Go_dot disse...

Caro CdR, parabéns pelo humor e pela singeleza.

Mas isto é malta, que não vai lá com Single malt, necessitam de muita “epistemologia a montante”.

Amilcar Fernandes disse...

Estes gajos são Nelos

O caraças.

O nazismo era de extrema direita e não era socialismo e sim fascismo, Dava-se bem com outro "socialista" eheheh, mas isso era antes da marcha sobre roma, ai ja era fascista.
Era financiado pelas classes privilegiadas e aristocracia.
Não foi por acaso que o nosso "Botas" como compadre carago, até pôs luto pela morte do homem.

Quem é esta gente tão ignorante.

Carmo da Rosa disse...

Afonso: ”não percebe nada do que se diz.”

Não percebo porque você escreve como uma criança – e o mais grave é que também pensa como uma criança. (A sua mãe sabe que você está atrás do computador a estas horas?). Apenas o insulto fácil é de Chico Espertalhote que já toca ao bicho e ………… vejam lá, já se vem e tudo.

O único que devia manter distâncias é você, que não está em sua casa e está constantemente a cuspir para o chão e a colocar as patas encima do sofá. Um bocadinho de educação, ou pelo menos modéstia, não lhe ficava nada mal. Sobretudo tendo em conta a sua modesta bagagem intelectual – o que não é crime nenhum, mas porra, bata a bola baixinho, não faça tantas ondas, seja educado…

É pedir muito?

Carmo da Rosa disse...

Go_dot: ”é malta, que não vai lá com Single malt, necessitam de muita “epistemologia a montante”

E precisam de “coisas sintetizadas” ou “ideias desgarradas”, ou vice versa…

Afonso disse...

“O único que devia manter distâncias é você, que não está em sua casa e está constantemente a cuspir para o chão e a colocar as patas encima do sofá.”

Tem razão, apesar dos comentarios não serem para si , estou na sua casa, o que de si ja é lamentavel da minha parte entrar numa casa racista e xenofoba. Mas foi só para ver outros comentarios de outros convidados à sua historia da treta, nunca me dirigi a si.

Carmo da Rosa disse...

Amilcar Fernandes: ”Quem é esta gente tão ignorante.”

Creio que falta um ponto de interrogação nesta frase? Mas com esta malta nunca se sabe! Partindo do princípio que o ponto de interrogação está lá, posso responder?

O moderador do blog diz que sim.

Esta gente tão ignorante parece-me ser:
o Amílcar,
o Fernandes,
o Faustino
e o Afonso…

Ou ainda há mais gente?

Amilcar Fernandes disse...

Há há, ele só se recordou dessas? tem que rever e aumentar.

O homem anda distraído.

Quantos são? quantos são afinal?

Amilcar Fernandes disse...

È pá esqueci - me de outro socialista de quem o nazismo era amigo, e até se encontraram uma vez em hendaya, um nosso compadre do outro lado da frontera que benificiou da legião condor em Guernica, e também da nossa legião dos viriatos, Estes nazis eram mesmo socialistas. De nome.


Então há mais quantos são? quantos são?

Gentinha ignorante. Puxa.

Carmo da Rosa disse...

Afonso: "entrar numa casa racista e xenofoba."

Entrar não é o problema, o problema é que você tem por hábito deixar o cérebro lá fora. E depois a gente que se amanhe não é? E ainda espera respostas para as suas cretinices! Quando racionalmente é impossível destilar uma pergunta dos seus mal amanhados disparates.

Mas não fique triste Afonso, a culpa não é toda sua (só a má educação), é em parte da sociedade em que nasceu e do deficiente sistema de ensino onde o enfiaram. Ou vice versa.

Amilcar Fernandes disse...

O Rosa o rio apagou-me um comentario em que tu dizias

“RioD'oiro disse...
Já percebi. Para a próxima tentarei acertar no seu gosto talvez aceitando uma proposta de Zé Cabra.

8 de Janeiro de 2012 06:47


Carmo da Rosa disse...
E quem é o Zé Cabra?”


Queres saber que é o ze cabra que o rio diz?

Ca esta o artista

http://letras.terra.com.br/
ze-cabra/569976/

Advinha porque o rio cortou o meu comentario eh eh eh,
gostos não se discutem eh eh eh

Carmo da Rosa disse...

"Queres saber que é o ze cabra que o rio diz?"

Eu, não! Quero que tu e o Zé Cabra tenho muitos meninos, pela peida...

Amilcar Fernandes disse...

Ah ah ah em cheio, o rio acertou nos teus gostos. Será parecido com uns filmes do 007 que tinha um casal de americano burros pra raio e que apareciam sempre nas cenas mais hilariantes, o gajo parece que andava sempre com uma batata na boca ao falar. eh eh eh

Ora canta la canta.