terça-feira, 21 de setembro de 2010

Antes de ir para a caminha


Segundo os telejornais de hoje, segundo uma sondagem quase metade dos franceses estará de acordo com a expulsão de imigrantes ilegais, nomeadamente dos ciganos nessa situação. O que significa que, afinal, Sarkozy conhecerá, de facto, ao contrário do que, indignadíssima, vocifera a esquerda, o que os franceses - e não apenas os que votaram nele - pensam sobre o caso. E que estará mesmo, democraticamente, a agir segundo o querer de, pelo menos, uma enorme percentagem da população - e digo "pelo menos", porque se sabe muito bem o peso que, pelo seu lado, a opinião do imperialismo burocrático de Bruxelas tem no que, quanto a estes temas, surge nas notícias.

É claro que a realidade da vontade popular, tão cara à esquerda, que dela se reclama única e verdadeira representante, não corresponde às abstracções teóricas sobre a realidade social e a natureza humana com que a mesma esquerda se autovaloriza e engrandece, emproando-se, em bicos de pés, em frente ao espelho. É claro que à esquerda não interessa mais do que ouvir-se a si própria e que as mesmas minorias, de que agora se afirma defensora em nome dos mais puros humanismo e altruísmo, experimentariam, caso chegasse ao poder, a força e a pata brutal (quando não genocida) da ordem socialista, em nome da estabilidade e dos superiores interesses dos proletários cantores do amanhã. Não sou eu que o digo, é a História do século XX que o testemunha.

Até lá, e para o conseguir, há, no entanto, que criar a instabilidade, o caos que, nas suas palavras, define o estado liberal, e que constituirá o motor da sua derrota final prevista pela doutrina, perdão!, ciência do materialismo dialéctico. A luta pelas minorias torna-se num dos melhores e mais eficazes meios de criar e fomentar a agitação. Não as minorias que se integram, espontânea e naturalmente, que respeitam os naturais do país para onde se deslocaram voluntariamente, legalmente, em busca de melhores condições de vida. Essas viram-lhe as costas, quando não a expulsam. Mas as outras, as dos "revoltados e espoliados pelo sistema", os que recorrem, "justiceiramente", a viver à custa do contribuinte (imigrante legal incluído), à vigarice, ao roubo, à "resistência" e à agressão às "forças repressoras", à violência gratuita.
Comparar o que se passa com aquela etnia cigana com o que se passou com os judeus, só por piada. De muito mau gosto. Curioso, curioso é, porém, como os imperialistas de Bruxelas e a esquerda assim se deram as mãos neste campo, como, nos discursos, se reforçam uns aos outros em interesses mútuos...
Os idiotas úteis, como de costume, tomam posição por cada um dos defensores "da verdade e de um futuro melhor". Sem perceberem que já perderam.
Todos.

25 comentários:

Anónimo disse...

Mais uma peça em tom menor da demagogia burralhosa dentro do cânone burralhoso.

Porque não perguntas aos judeus o que é isso de apoio massivo das maiorias contra as minorias? Podes começar com o apoio 'democrático' em França, para manter a tradição.

O burralho tem epifânias quando vê pisar alguém que já está no chão. Desalmados, à letra. E alguns até se dizem cristãos.
Pobre Cristo, com embaixadores destes foge é para junto dos teus detractores ... Esses pelo menos mantêm-te o bom nome intacto.

RioD'oiro disse...

JG:

"Não sou eu que o digo, é a História do século XX que o testemunha."

Se a esquerdalha é imune aos factos, como poderá não o ser relativamente aos argumentos?

A esquerda tem o monopólio do solipsismo.

o holandês voador disse...

Gonsalo,
A expulsão dos ciganos foi criticada devido à circular que explicitava (repito, explicitava) que eram os ciganos em particular que deviam ser expulsos. Ou seja, era uma circular racista, fundamentada em critérios étnicos para expulsar todo um grupo. Foi, essa, de resto, a razão da intervenção da comissária Reding, no que foi apoiada por Durão Barroso o qual, que eu saiba, não é sequer de esquerda...
Sim, pode comparar-se com os judeus e a prova disso foi alguns dos organismos judeus mais representativos (Conselho Judaico em Nova-Yorque, por ex.) terem criticado esta decisão, pois os judeus sabem melhor do que ninguém o que lhes aconteceu há setenta anos.
Já que fala na história do século XX deve também referir os milhares de ciganos que, juntamente com os judeus, os homosexuais, os comunistas, etc., foram gaseados nos campos nazis. Ou a sua memória é selectiva?

RioD'oiro disse...

HV:

"A expulsão dos ciganos foi criticada devido à circular que explicitava (repito, explicitava) que eram os ciganos em particular que deviam ser expulsos. "

O papel estaca mal preenchido e a burocrata veio berrar a meio mundo.

Daria boa peixeira ou estaria irritada porque o rabo do gato estava de fora?

Eu suponho que a primeira hipótese: as aparências estavam em causa. Aliás, a "Europa" é um bicho que vive de aparências.

RioD'oiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
RioD'oiro disse...

HV:

"Sim, pode comparar-se com os judeus e a prova disso foi alguns dos organismos judeus mais representativos (Conselho Judaico em Nova-Yorque, por ex.) terem criticado esta decisão, pois os judeus sabem melhor do que ninguém o que lhes aconteceu há setenta anos."

É uma forma de apertar com o bicho europa. É para obrigar a "europa" a perceber a triste figura que faz quando aponta o dedo a Israel. Perante a coisa, a coisa real, a razão é o que é e não o que as luminárias estipulam como coisa de "moral", de teoria "científica" que, na verdade, não passa de uma variante de cientologia.

Anónimo disse...

Outra vez?cairam outra vez na merda
estes blogers são mesmmo burradas, isso ja passou a historia, as criaturas estão desconsoladas.

José Gonsalo disse...

HV:
"A expulsão dos ciganos foi criticada devido à circular que explicitava (repito, explicitava) que eram os ciganos em particular que deviam ser expulsos."

Se eram mesmo os ciganos que deveriam ser expulsos, como quereria que fossem referidos no documento? Com a hipocrisia pseudo-humanista do eufemismo do costume?

"Ou seja, era uma circular racista, fundamentada em critérios étnicos para expulsar todo um grupo."

Era racista por nomear um grupo étnico? Se se referisse ao grupo de sócios de um clube de futebol, era antidesportivo ou anticlubístico? Se se referisse à selecção nacional de um país, era uma declaração de guerra?

" Foi, essa, de resto, a razão da intervenção da comissária Reding, no que foi apoiada por Durão Barroso o qual, que eu saiba, não é sequer de esquerda..."

O sr. Durão Barroso (que por acaso cresceu a mamar na teta ideológica maoísta e que não é por acaso que, como todos os seus irmãos convertidos, age, à direita, como age...) faz parte da burocracia imperial de Bruxelas, tal como a senhora não-sei-quê. O paleio é o mesmo, para interesses diferentes.

"(...) pois os judeus sabem melhor do que ninguém o que lhes aconteceu há setenta anos."

Só uma vez?! Há setenta anos...?! Mas, mesmo assim, chegaria para não deixar passar uma, ainda que com poucas semelhanças, não vá o diabo tecê-las outra vez! Toca a fazer barulho, olha lá!!

"Já que fala na história do século XX deve também referir os milhares de ciganos que, juntamente com os judeus, os homosexuais, os comunistas, etc., foram gaseados nos campos nazis. Ou a sua memória é selectiva?"

Oh homem, mas isso já foi dito por mim e por outros, aqui neste blog, um ror de vezes! A sua memória é que me parece ser selectiva!
Mas se, além disso, o assunto é a expulsão de imigrantes ilegais e, especificamente, aquele tipo de ilegalidade que abrange o banditismo, para que é que eu iria chamar para aqui o nacional-socialismo?! Não acha que já seria socialismo a mais?
Cada coisa a seu tempo... Não tenha medo, esteja descansado que esta paginazinha on-line não se irá tornar num "perigoso instrumento ideológico" de direita, temos mais que fazer. Para esse papel, já cá está a esquerda e os mandatários dos diferentes comités centrais.

Streetwarrior disse...

" É uma forma de apertar com o bicho europa. É para obrigar a "europa" a perceber a triste figura que faz quando aponta o dedo a Israel "

realmente,você está mesmo desconsolado,de todo.

Mas o que tem isto a ver com Israel " quando lhe apontam o dedo " se Israel está Tanto em sua casa como em casa alheia a fazer mal aos outros.
Não tem nada a ver,nem tem comparação possível.
O que o Hv lhe disse e que você percebeu muito bem,apesar de virar a conversa para o lado dos coitadinhos dos agressores.
Aliás, até ficava mal aos Judeus não abrirem a boca, quando a história inclui os ciganos no mesmo que eles sofreram.

Nuno

RioD'oiro disse...

SW:

"realmente,você está mesmo desconsolado,de todo."

Eu? Nunca na minha vida tive tanto material para atirar à cabeça da esquerdalha.

A esquerdalha está prestes em entrar em hibernação, única forma de poder vir a dizer que ... nada sabe do que se passou.

A liminária "inclusivista" da "europa" já meteu o rabinho entre as pernas. Se insistir, terá que meter outra coisa qualquer. Nessa altura você e o seu piercing podem avançar.

Streetwarrior disse...

LOLOLOLOLOLOLADA

Ai como eu precisava de dar estas gargalhadas.

Nuno

Anónimo disse...

ah o homem agora sim, tornou-se erudita.

o homem ja o mandaram para o.....c......caniche

va.....

Anónimo disse...

E os grandes vultos do humanismo cristão continuam a fazer-se ouvir. Grandes cabeças, grandes espíritos, grandes corações.
Grande gente.

E antes que se desculpem vergonhosamente com os 'ilegais', os judeus em França e por toda a Europa também eram a 'ilegais' perante a legislação nazi.
Haverá sempre gente igual a vocês, estejam descansados. A semente é resistente.

Ah, e ridículos até dizer basta. LOL!!!!

"esta paginazinha on-line não se irá tornar num "perigoso instrumento ideológico" de direita, temos mais que fazer."

Estão verdes, não prestam ...

Carmo da Rosa disse...

José Gonsalo, pelos vistos é antes de ir para a cama que se escrevem os melhores textos. Sublinho apenas o terceiro parágrafo (mas estou de acordo com a totalidade do texto) onde diz:

“…criar a instabilidade, o caos que, nas suas palavras, define o estado liberal, e que constituirá o motor da sua derrota final prevista pela doutrina, perdão!, ciência do materialismo dialéctico. A luta pelas minorias torna-se num dos melhores e mais eficazes meios de criar e fomentar a agitação. Etc etc.”

Infelizmente creio que é realmente apenas isto que move grande parte da esquerda: defender o indefensável, agitar, fazer barulho. E a coisa torna-se cada vez mais patética devido à crescente falta de audição junto do proletariado, que é agora substituído à pressão por ciganos, muçulmanos e outros corpos estranhos ao socialismo…

José Gonsalo disse...

Anónimo:
"E antes que se desculpem vergonhosamente com os 'ilegais', os judeus em França e por toda a Europa também eram a 'ilegais' perante a legislação nazi."

Meu caro amigo, a legislação nazi não era uma legislação da democracia, pelo contrário, substitui-a. Os judeus só se tornaram "ilegais" depois disso, mesmo sem terem cometido qualquer crime, bem pelo contrário.
Do que estamos a falar aqui é dos direitos e dos DEVERES dos cidadãos em democracia, bem como da sua auto-exclusão por práticas atentatórias da cidadania, algo a que todos, sem excepção, estamos sujeitos. Quanto mais quem, não sendo cidadão de um país, nele entrou sem autorização e, ainda por cima, praticou actos condenáveis e até violentos.
A sua argumentação não faz, por isso, qualquer sentido. Pelo que me cabe agora perguntar: não tem vergonha de confundir deliberadamente as coisas?

José Gonsalo disse...

Carmo da Rosa:
Nem mais! Comparar a dignidade da gente que antigamente servia de argumento à esquerda, a sua seriedade e dedicação com o que se vê hoje...

Anónimo disse...

Vergonhosa e maldosamente confuso é você. Já lhe foi explicado várias vezes que a legislação francesa é dirigida a um grupo étnico, independentemente dos actos criminosos cometidos por cada um dos seus membros.

Não gosta que o julguem fora do 'humanismo cristão', pois não? Bem me parecia. Mas não há volta a dar-lhe, posições como a sua até a igreja católica condena. Alguma vez lá acerta. A igreja, o burralho muito raramente, limitam-se a ser delatores públicos.

E já agora, escusava de ter feito um facies inocente com o 1º post racista, 'eu cá não disse nada, só reproduzi o que ouvi no hospital'.
Os coxos são muito mais hábeis.

Há gente assim, com vocação para ferro de malhar. Uns por meros interesses, outros simplesmente por inexistência do 'coração grande, à falta de inteligência' de que falava Einstein. Qualquer alvo serve, infelizmente o mundo está cheio de desgraçados.

Os Carrascos Burralhos.

o holandês voador disse...

Gonsalo,
Por mais voltas que dê ao texto não consegue explicar duas coisas muito simples:
1) que os ciganos, em tanto que minoria étnica, foram acusados, no seu todo, de actos de criminalidade. Ou seja, expulsou-se todo um grupo, com base na sua origem étnica. A isto chama-se racismo.
2) que a Constituição Europeia permite a livre circulação de cidadãos europeis no seu território e que condena expressamente quaisquer actos de discriminação, baseados em credos políticos, religiosos ou rácicos.
Viviane Reding (cristã-democrata), e Durão Barroso (liberal-democrata) ambos de partidos de direita, criticaram abertamente as posições de Sarkozy e o próprio PE instituiu um inquérito à actuação do governo francês, que está neste momento a decorrer.
Isto são factos.
Que o Gonçalo não goste de ciganos, está no seu direito; não pode é negar que se trata de um acto que vai contra a Constituição Europeia, que condena o racismo.
Assuma-se, homem!

o holandês voador disse...

errata: europeus ivd europeis.

Anónimo disse...

Come a sopa gonçalo come a sopa, senão vem os ciganos levam-te no saco.

José Gonsalo disse...

Anónimo:
Você continua a não perceber ou a não querer perceber. Mais: além de começar por dizer que eu deveria sentir vergonha pelo que escrevi e, por isso, eu lhe ter tentado fazer perceber que eu poderia afirmar o mesmo de si (o que colocaria as coisas de imediato no plano do insulto, inviabilizando a discussão serena do problema), o meu caro insiste e reforça o tom em que se me dirigiu da primeira vez. Pior: avança com considerações hipotéticas sobre mim e o meu carácter que nada lhe confere o direito de fazer, a não ser a má-fé de base. Termino, por isso, a conversa, não sem antes lhe dizer, porém, que a logicidade das suas "conclusões" a meu respeito e das minhas convicções revelam somente um imbecil de primeira água e uma honestidade de análise digna de um agente da PIDE. Uma vergonha.

José Gonsalo disse...

HV:
1. Não se contesta factos. A Constituição Europeia é um facto. Mas eu não falei da Constituição Europeia. Porque não é disso que se trata.
2. O que é que eu devo assumir? A sua ideia peregrina de que eu não gosto de ciganos? Não leu ou também já está a descer ao nível do insulto motivado pela imbecilidade e pela má-fé? Não o tinha nessa conta.

Anónimo disse...

De imbecil de primeira água para imbecil de segunda água: não bate bem da bola, pois não?

As "minhas" conclusões sobre a sua excelentíssima e pietíssima pessoa são decalcadas das suas afirmações.
Não gosta, já vi, e mais uma vez se despede à francesa quando a água lhe chega à barriga.
Temos pena.

José Gonsalo disse...

Anónimo:
Se conhecesse mais alguma coisa da vida para além daquilo que diz, saberia que uma das particularidades dos burros é a de não beberem senão água limpa. E que, quando algum chico-esperto - com a mania de que é dono do mundo e que este há-de obedecer-lhe - mais do que dar-lhe água de esgoto, pretende afogá-lo nela, o burro, das duas uma: ou o ignora ou o escouceia. É que os burros são mais inteligentes do que aquilo que o pobre chico-esperto consegue alcançar.
Olhe, e eu que não sou cristão pela pieguiça, não tenho pena nenhuma.

Anónimo disse...

Pois é, e esse burro prefere invariavelmente fugir. À francesa, como eu disse. De fininho, dizem outros.

Não precisa justificar-se, vê-se bem que não tem pena. Se tivesse pena era galinha e aqui falamos mais de burros.