terça-feira, 14 de setembro de 2010

Do grupo dos toscos

Quando Portugal entrou para a comunidade ficou claro que o país teria que evoluir. Teria que evoluir e precisaria de dinheiro para evoluir.

O dinheiro entrou, ao longo de anos, em quantidades inimagináveis.

O país teria que evoluir mas não evoluiu. O país do cimento evoluiu, mas as pessoas não.

Com ligeiras inflexões, a política tem sido quase sempre a mesma: os governos arrecadam os financiamentos e cobram impostos, e gastam. Gastam em orgias de keinsianismo. Gastam em tudo e também em meios que, segundo eles, garantiriam o desenvolvimento. O desenvolvimento não se verificou.

Portugal recebeu dinheiro para evoluir mas os portugueses não evoluíram. Não sei se o problema é apenas genético mas não houve evolução. Houve muito dinheiro esbanjado mas muito foi aplicado em formação … de resultados pífios. O desenvolvimento a níveis que nos pudessem fazer parecer gente evoluída não se verificou.

As políticas salazaristas de socialismos timoneiros e protectores, deram em nada.

Relativamente aos países de referência da “união” europeia, aos que mais pagaram a dita “evolução”, o povo luso atrasou-se, e com outros lastros de equivalente calibre, a “união” encontrou-se estatelada abaixo da linha de água, embasbacada.

O motor da Europa, a Alemanha, está a ficar impaciente. Há até quem diga que aos alemães aforradores de colchão apenas interessam os euros fabricados na Alemanha.

E a Alemanha quer seguir o seu caminho e Portugal é um peso-morto, mais morto que peso. Sem capacidade produtiva, desorganizado, sem ensino, com a massa cinzenta em branco, corrupto, sem justiça, sem segurança, sem dinheiro, endividado até à raiz dos cabelos, Portugal parece um hipopótamo no deserto.

27 comentários:

Anónimo disse...

burralhices. Com burrralhos deste calibre, nem a economia dos marcianos escapa.

Nausícaa, São Paulo, Brasil disse...

Caro Rio D'Oiro,

Por aqui eu já ouço falar em neofeudalismo na China e o Fidel de olho lá; que aborto é agenda de capitalista neoliberal, e que São Tomás de Aquino nada tinha contra o aborto [mas isso foi dito à boca bem pequena, se não fosse em livro, eu diria que foi um sussuro]; no Brasil, hoje mesmo, ouvi dizer que há muita liberdade de expressão e um excesso de liberdade de imprensa, além da necessidade de extirpação de um partido político. Não sei dizer o que o portador dessa notícia pensa em fazer com os eleitores dessa legenda.

Como se vê, muita gente está com saudades do pior da idade média.

Eu, católica assumida, não sinto falta, nem um pouquinho, ao contrário, eu rezo, eu rezo muito para que caminhemos para frente com novas descobertas, quem sabe, os lusos?

Anónimo disse...

Com os lusos talvez, agora com o buralho e companheiros deste blogue, duvido.

Anónimo disse...

(“São Tomás de Aquino nada tinha contra o aborto [mas isso foi dito à boca bem pequena, se não fosse em livro, eu diria que foi um sussuro”)

Correctissimo, contra o aborto nos moldes em que é permitido na maioria dos paises actualmente, 10 12 semanas.

A Igreja Católica, que hoje defende a sacralidade da vida humana desde sua concepção com unhas e dentes, durante a maior parte de sua história, pouca atenção deu à questão. Assim, se a Igreja não aprovava o aborto, pelo menos não o condenava, a actual doutrina da igreja católica mantém a crença de que é no momento da fertilização, com a formação do zigoto, que uma nova vida humana tem lugar. Isto, como já afirmado, é todavia relativamente novo na historia da igreja. Um feto não era considerado realmente uma pessoa e o aborto não era considerado homicídio pela Igreja Católica até o final do século XIX. O zigoto não pode antecipar-se à metamorfose, Seria como ir além de si mesmo para ser outro ser, como no caso da crisalida e a lagarta. Ninguém afirma que a semente já é planta ou que a crisálida é uma borboleta, Não há pessoa humana embrionária, mas um embrião de pessoa humana. No embrião o que se tem é uma vida vegetativa que se antecipa ao cérebro. A passagem do embrião a feto. Pode-se relacionar com a data proposta por tomás de aquino, doutor da Igreja, para a chegada da alma ao corpo. s. tomas de aquino fixava datas tardias na fornação do ser “humano”, portanto pelos criterios de permissão do aborto actuais estão dentro dos parametros do pensamento dele, ou seja não ha contradição.

Anónimo disse...

O zigoto não tem portencial para se tornar um ser humano. Disparate. Ele é em essencia um ser humano diferente do hospedeiro ( mãe ) , porque tem um DNA diferente de qualquer outro ser humano na Terra ( inclusive dos pais ) .
O potencial de se tornar um ser humano acontece a partir da concepção . Sua comparação com o semen eliminado na masturbação ou emissoes noturnas com o zigoto ( apos a fecundação ) não é compatível . O semen e o ovulo em si mesmo não podem gerar vida por si mesmos , somente apos a concepção ( soma de cromossosmos ) .
Partindo dessa premissa qualquer tentativa de colocar um prazo para se definir um feto e um ser humano é dispensavel . Para ele se tornar um ser humano completo ( porque ele ja é um , pois todos as informações geneticas ja estao nele ) basta apenas nutrição e tempo ..
Porque nos matamos baleias e golfinhos agora nós podemos matar crianças somente tem uma inteligencia compativel em um determinado periodo da gestação … Comparação dificil visto que o golfinho ja esta na sua plenitude de inteligencia e a criança ainda esta em desenvolvimento …
Alias , querer que o aborto seja feito por controle de natalidade e diminuição da população equivale a legalizar a eutanasia , a morte dos idosos e deficientes que poderiam estar consumindo os recursos mundiais sendo ” um incomodo indesejado ” para a sociedade ….
Quantos Einstens , Bach , Beethovens , Mozarths , Budas não serao abortados se houver a legalização ( permissão moral e etica ) para o aborto ….

Anónimo disse...

("O zigoto não tem portencial para se tornar um ser humano. Disparate. ")

Isto que o senhor diz é que é um disparate,de quem leu o comentario e não percebeu patavina e é o senhor que diz o disparate. O zigoto é a fase incial de uma vida humana biologica como qualquer outra vida biologica, começa por ai, com a posterior reprodução celular, o zigoto é uma fase inicial, como a semente é uma fase da vida da planta ou a lagarta da borboleta. A valorização dessas fases pella sociedade ou religião como caracteristicas ou com determinadas caracteristicas é que define muita coisa em podermos intervir ou não nessa vida em gestação. Leia as coisas como deve ser e não diga disparates.

Anónimo disse...

"Quantos Einstens , Bach , Beethovens , Mozarths , Budas não serao abortados se houver a legalização ( permissão moral e etica ) para o aborto …."

e quantos criminosos hitlers, estalines, maos, pol pot,fideis a humanidade sera poupada.

Streetwarrior disse...

Muito bem Sr Doutor anónimo...Muito bem Sr doutor....apoiado!!

Leia-se a bater com a mão em plenário !!

Nuno

Anónimo disse...

Isso são as contingências da vida, meu. Aqui também temos que levar contigo, o que não aconteceria se a tua mãe te tivesse abortado, ou se o teu pai tivesse ejaculado fora.

Anónimo disse...

Ladrou.

Anónimo disse...

Contingencias da vida o ...... Argumentação idiota de quem não entendeu um comentário e faz determinada apologia exemplificando com figuras magistrais da historia. Como a sua argumentação exemplificativa positiva de figuras magistrais foi desmontada pela exemplificação negativa de outros exemplos negativos da historia, a sua pseudo apologia feita com essa base ruiu. Voce é que é contingente sem vida.

Anónimo disse...

Repito: Isso são as contingências da vida, meu. Aqui também temos que levar contigo, o que não aconteceria se a tua mãe te tivesse abortado, ou se o teu pai tivesse ejaculado fora.

E agora? Já entendentes meu?

Anónimo disse...

Se ja entendi que es burro? isso ja eu tinha percebido ha muito.

Anónimo disse...

Evita zurrar.

Anónimo disse...

Repito, muito embora seja o mesmo que estar a mijar para uma parede: Isso são as contingências da vida, meu. Aqui também temos que levar contigo, o que não aconteceria se a tua mãe te tivesse abortado, ou se o teu pai tivesse ejaculado fora.

Nem agora nem nunca irás entender, meu (idiota).

Anónimo disse...

Zurrou. Aposto que continua a zurrar. Aguardemos.

Anónimo disse...

E eu aposto que nem com coices entendias um burro, quanto mais língua de gente. Mais a mais, de facto, não vale a pena repetir mais, pois seria o mesmo que continuar a mijar para a parede. End of story.

Anónimo disse...

Zurra que zurra e torna a zurrar, eu não disse é so aguardar.

Daqui a pouco temos zurrada aguardemos, é certinho.

Anónimo disse...

cacarejos

Anónimo disse...

mau sinal quando o burro deixa de zurrar

Anónimo disse...

Este cacarejante quer minhoca.

Anónimo disse...

olha olha zurrou mas parece que se constipou, aguardemos.

Anónimo disse...

cacarejou de novo... vá lá põe mais um ovito de merda, como só tu és capaz.

Anónimo disse...

Zurrou. e como um burro que havia numa aldeia onde passva ferias era certinho cg«hegada aquela hora. io io io. Aguardemos

Anónimo disse...

Bem me parecia tratar-se de um galinácio de aldeia, que só gosta de minhoca.

Anónimo disse...

matematico, so tenho que croometrar a ver se coincide

Anónimo disse...

Ainda estás ai a cronometrar ou já te cansaste, ó parvalhão galinácio?