terça-feira, 28 de setembro de 2010

O que tem que ser tem muita força

Como já aqui tinha afirmado ...
PARIS — O governo conservador francês apresentou nesta terça-feira na Câmara dos Deputados uma nova e polémica lei de imigração que facilitará a expulsão de estrangeiros em situação irregular, incluindo da UE, e retirará a nacionalidade francesa de criminosos de origem estrangeira.
... (bold meu) a história dos ciganos tinha todos os condimentos de teste para apresentação de algo mais substancial: a expulsão da escumalha muçulmana que não quer estudar, não quer trabalhar, se considera prioritariamente muçulmana e não francesa e odeia a civilização ocidental mas pretende viver à culta dela até conseguir implementar a sharia em França.

Entretanto o jornalista Paulo Dentinho, da RTP, que no passado recente demonstrou ser simpatizante da extrema esquerda totalitária e dos islamo-fascistas, e que esteve quase a ser nomeado director de informação da RTP, está em pulgas, continuando a tratar a escumalha muçulmana como "jovens".

42 comentários:

LGF Lizard disse...

Será que a escumalha irá fazer-se explodir de alegria nos transportes públicos de Paris? Ou irá pegar fogo a mais uns quantos carros, desporto favorito dessa malta?

Anónimo disse...

Pobre lagarto. Nem uma centelha de amostra de que ali existe vida inteligente... Maria vai com as outras, raciocínio zero.

Luís Cardoso disse...

Mais uma vez, a nossa condição periférica e pobreza relativa podem ser a nossa salvação, assim saibamos aprender com os erros e com os exemplos dos outros: os muçulmanos só ainda cá não estão massivamente porque a nossa segurança social não chega - como a sueca, a norueguesa, a holandesa, a francesa - para sustentar agregados familiares de um homem, quatro mulheres e uma dúzia de crianças, tudo a viver só com a massa dos abonos de família, com renda paga, escola, saúde, etc.
Antes que isso aconteça, a ver se aprendemos com os franceses e com os dinamarqueses, que também estão a endurecer as suas políticas de emigração para fazer face à invasão islâmica.

Carmo da Rosa disse...

Luis Cardoso: ” a nossa condição periférica e pobreza relativa podem ser a nossa salvação,”

Podem não! É, a nossa salvação.

Luis Cardoso: ” os muçulmanos só ainda cá não estão massivamente porque a nossa segurança social não chega,”

Luis Cardoso, muito bem visto. Mas além disso, os muçulmanos sabem muito bem que nós ainda não atingimos o grau de tolerância suicida e decadente que se vê nos países europeus que nomeou. É que para isso é preciso ser rico…

Mas mesmo na Holanda deu-se hoje à noite um facto histórico: parece iminente a formação de um governo VVD (direita-liberal) e CDA (democratas-cristãos) MAS ATENÇÃO, com o apoio tácito no parlamento do partido de Wilders, o PVV. Uma cópia da modalidade que já dura há nove anos na Dinamarca.

Finalmente já se pode dizer e com alguma razão, que O POVO, farto de aturar bananas, se UNIU e agora muito dificilmente SERÁ VENCIDO…

O POVO, UNIDO, JAMAIS SERÁ VENCIDO…

Osório disse...

O Dentinho, referindo-se à "felicidade" da extrema-direita, parecia que estava a comunicar uma notícia trágica. Visivelmente incomodado, tentou meter ali pelo meio o argumento que a vida também será mais dificil para os Portugueses. Ele esquece-se que a vasta maioria dos Portugueses quer é paz e sossego e são os primeiros a criticar atitudes menos próprias dos compatriotas. Por isso, tenho a certeza que, à notícia, a reacção da maioria dos emigrantes portugueses foi "E faz o Sarkozy muito bem!"

Anónimo disse...

"até conseguir implementar a sharia em França."

Este anda desactualizado a lei contra emigrantes de segunda terceira????? ou qual geração, já estava na forja ha muito tempo, era ideologia, uma inspiração a la pen, na altura quando o le pen tinha alguma força os tugas não estavam tão contentes, nunca pensaram é que tais principios viessem de onde veem. Mas qual foi o pais a proibir trajes como a burka em publico qual. Pois é, essa de implementar a sharia em frança na alemanha é como as historias das mil e uma noites, ha filmes de terror que assustam as criancinhas. É como aqueles que pensam que ainda é possivel um terceiro reich nos moldes de 40, não evoluiram.

o holandês voador disse...

Infelizmente para Sarkozy, não será uma lei anti-imigrantes que irá resolver os problemas da sociedade francesa (o desemprego, a perda de regalias sociais ou o aumento da idade de reforma). São esses os problemas reais que preocupam os franceses. Esta lei, como a dos ciganos ou os repetidos anúncios de atentados bombistas em Paris, mais não são do que uma "cortina de fumo" para distrair a opinião pública. Trata-se de mais uma "fuga em frente" de um presidente em perda acelerada de popularidade, que responde à crise estrutural com medidas populistas.
Por coincidência, ou talvez não, em Paris e nas principais capitais europeias manifestam-se hoje milhões de pessoas contra as medidas de austeridade que os governos europeus impõem aos seus cidadãos. Essa é a questão central, não umas centenas de criminosos, que podem rapidamente ser postos na ordem.

Anónimo disse...

Pois é, é como os constantes e recentes atentados anunciados a toda a hora,já há quem desconfie que alguma vez hão de acertar. Mas anunciam atentados e não aumentam os niveis de alerta de segurança, então porque será? é para amedrontar a opinião publica?

RioD'oiro disse...

HV:

"Infelizmente para Sarkozy, não será uma lei anti-imigrantes que irá resolver os problemas da sociedade francesa (o desemprego, a perda de regalias sociais ou o aumento da idade de reforma)."

Justamente, os franceses estão a ficar chateados de pagar impostos sem saber bem porquê. E estão a ficar cansados de ver incendiários a queimar tudo gritando por Alá.

Há sempre milhões de pessoas a manifestar-se, mas fica-se sempre sem saber quantas não se manifestaram por não concordar com a razão de ser da manifestação.

As urnas o dirão.

Até Paulo Dentinho já percebeu, embora tenha uma cartilha para vender.

Anónimo disse...

Essa questão das manifestações e da segurança social é o tal caso, diversionismo em vez do essencial. O essencial é que esta lei se estende os efeitos juridicos a gerações passadas, mesmo que o cidadão tenha nascido em frança e seja francês, em caso de crime, o estado diz que não tem nada que o aturar, que ele deixa de ser francês e passa a ser o que? Apatrida ou a nacionalidade do estado de origem dos progenitores com o qual não tem nenhuma ligação, não é nacional, nunca pagou impostos e tem agora que o suportar, porque a frança só estava disposta a suportar os beneficios. Cria uma especie de duas nacionalidades. Cidadãos franceses e cidadãos franceses condicionados.

Anónimo disse...

Para um verdadeiro recista nacionalista, nascer francês é ter o pedigree genuinamente francês: ser europeu caucasiano e ter gerações de racine francesa. Ça c'est le vrai français. Sarkozy e Carla Bruni são filhos de imigrantes, portanto, ainda que tenham descendência europeia, a cultura francesa, falem francês e respeitem os valores da república, para os verdadeiros franceses, o casal não é francês e ponto final. Ainda que eles afirmem que o são, todos sabem que eles não são!!

Carmo da Rosa disse...

@ HV: ”não será uma lei anti-imigrantes que irá resolver os problemas da sociedade francesa.”

Não só, mas ajuda bastante. Como dizem os holandeses “alle beetjes helpen” (todos os bocadinhos ajudam).

@ HV: ”o desemprego, a perda de regalias sociais ou o aumento da idade de reforma). São esses os problemas reais que preocupam os franceses..”

Os outros também são problemas reais. Para apareceram no telejornal é porque aconteceram anteriormente, é porque momentos atrás eram REAIS…

O aumento da idade da reforma é necessário, para que os filhos dos que hoje se manifestam tenham amanhã também direito a reforma. Na Holanda a idade da reforma passou de 65 para 67 – Wilders, esquerdista dum cabrão, é (era) contra! Mas os irresponsáveis franceses mandam-se ao ar porque o governo quer passar de 60 para 62…

Os franceses podem manifestar o que quiserem, uma coisa é certa, as formigas alemãs e holandesas estão cada vez menos dispostas a pagar as exorbitantes regalias das cigarras do sul da Europa…

@ HV: ”mais não são do que uma "cortina de fumo" para distrair a opinião pública..”

Vimos realmente uma cortina de fumo nos arredores de Paris, e onde há fumo há fogo! E houve REALMENTE fogo posto que custou uma fortuna ao Estado Francês. Lá vai parte da guita das regalias sociais para reparar os danos causados pela escumalha apoiada tacitamente pela esquerda, porque pensava que se tratava de revolucionários, mas não, era mesmo só escumalha!

Resumindo, as medidas de austeridade são necessárias. Mas é evidente, para que as medidas tenham credibilidade, que a austeridade tem que ser para todos, e não fazer como em Portugal, em que a elite se balda à grande e à francesa com salários e regalias que na Holanda são considerados decadentes…

Carmo da Rosa disse...

@ Osório: ” [portugueses] são os primeiros a criticar atitudes menos próprias dos compatriotas.”

Ora bem. E eu também acredito que a maioria dos nossos compatriotas pensa que ‘o Sarkozy faz muito bem…’

Carmo da Rosa disse...

@ anónimo das 13:01: ” Ainda que eles afirmem [Sarkozy e Carla Bruni] que o são, todos sabem que eles não são [verdadeiros franceses]!!.”

Et alors? Quel est le problème? Se os franceses aceitaram um casal de não-franceses como respectivamente Presidente da Republica e primeira-dama, isso significa que o racismo em França anda muito por baixo…

Para quando em Portugal um ucraniano (casado com uma espanhola) para presidente ?

o holandês voador disse...

CdR,
Há quem insista em tomar a árvore pela floresta. Como se o principal problema de França fosse a criminalidade dos arredores das grandes cidades. Obviamente que há comportamentos desviantes e para isso já há leis que cheguem para combatê-los. Prendam os criminosos e - se for caso disso - expulsem-nos. Não arranjem é leis racistas (here we go again) para disfarçar os verdadeiros problemas das sociedades europeias actuais: o desemprego, a crise social e a crise financeira, que provocou a situação actual. Não foram os magrebinos que lançaram a Europa na crise que atravessa. Não perceber isto e deitar a culpa para meia-dúzia de imberbes que dão azo às suas frustrações, incendiando carros, é querer ver fantasmas onde eles não existem. Essa é a opinião que convém aos populistas, os quais sempre se apoiaram nos mais ignorantes. Porque muitos destes ignorantes (imigrantes) têm medo que lhes tirem o que eles andaram a mendigar há 30 ou 40 anos atrás agora até já descobriram que os nascidos em França não são franceses. São o quê?

Anónimo disse...

Bem observado Sr. Voador, concordo. Disparate é o Sr. Rosa dizer que os holandeses são formiginhas, quando se sabe que são e sempre foram piratas.

Anónimo disse...

correcção: formiguinhas, não vá o Sr. Gonçalo com -s chamar-me analfabeto.

Anónimo disse...

Et alors quel est le probleme.
le probleme c´est vous.

Anónimo disse...

O problema, é associar emigração á criminalidade.
O problema é um estado expulsar os seus nacionais, contando que os outros estados tem obrigação de os aceitar
O problema é atirar as culpas da decadencia do estado social sobre uma minoria que representa o,oo????? de percentagem,
o problema é que quando um estado da a nacionalidade pelo nascimento da os correspondentes direitos nacionais.

o problema é voce não ir dar banho ao cão, ou ver o sem maneiras.

Anónimo disse...

Esta canalha toda passa e os povos ficam. E os que andam agora a bajular medidas racistas e xenófobas (os mais beatos são os piores, como sempre, a Inquisição nunca lhes saiu da pele), vão ser os primeiros a bater com a mão no peito e dizer que não sabiam.
Não aprendem nada com a história e nem sequer pensam duas vezes por que é que os judeus andam amedrontados.
A felicidade individual tem e sempre teve efeitos sociais e políticos, quem se sente bem na sua pele não odeia nem persegue.

Streetwarrior disse...

Parece-me que ao Carmo da Rosa,as coisa possam ser vista por este prisma.

O Estado,nos seus políticos demagogistas e populistas que os constituem,não interessa se é a França ou outro que país que haja assim,Enrolam-se em lobbys e esquemas que desviam o dinheiro para investir na sociedade,em segurança,condições Sociais,infraestruturas,fiscalização no controlo de politicas criadas,enviam milhares de pessoas para a miseria e para o desemprego...e depois o povo,quando é obrigado a recorrer á Seg. Social motivado por esse desemprego,a viver debaixo da ponte e em guettos,porque não consegue garantir as rendas devido ao desemprego,a fome alastra em crime e em desorientação social, etc....

...E as pessoas é que são as culpadas?

???

....???

Se os mendigos abancam nos parques,é porque a policia não tem força ou não há autoridade para os remover do espaço!
...Se os guettos trazem má vizinhança,não criem politicas de exclusão que aglomeram ricos para um lado e pobres para outro!
Se existe roubos e crime,ou há desemprego a mais ou falta de autoridade.

As pessoas podem e devem ser responsabilizadas mas a excepção tem que ser uma minoria,não toda uma etnia ou grupo,porque a ser assim,é lógico que querem arranjar um bode expiatório para aquilo que a politica não está a conseguir fazer ao nível de evolução das sociedades

Carmo da Rosa disse...

@ HV: ”…. disfarçar os verdadeiros problemas das sociedades europeias actuais: o desemprego, a crise social e a crise financeira, que provocou a situação actual.”

Isto é o discurso anual de inauguração da Festa do Avante, e é sempre o mesmo: a crise do capitalismo! Como se nos paraísos socialistas cada vez se viva melhor… Há tempos o teu dilema era viver na Holanda ou em Portugal? Mas com todas estas calamidades do capitalismo será que agora a dúvida é: imigrar para a Coreia do Norte ou para Cuba?

Farto-me de repetir, os problemas nas sociedades europeias com etnias ou religiões problemáticas é muito anterior à crise, e por isso NADA TEM A VER COM A CRISE.

Portugal debate-se há mais tempo com problemas financeiros, é verdade, mas isso é também anterior à CRISE e além disso não se pode extrapolar os problemas de Portugal para a Europa inteira. E tu sabes isso muito bem, mas admitir demoliria imediatamente a teoria marxista e a esperança de um amanhã vermelho, por exemplo em Atenas…

Mas na Holanda ultimamente o desemprego até baixou e a economia cresceu um bocadinho! e toda a gente come e bebe como fazia antes da crise. Mas os problemas de integração continuam, completamente alheios à presença ou ausência da crise…

Assim como em França agora, também na Holanda já de longa data se registavam problemas graves com ciganos. Ainda há dias, e por causa dos problemas em França, veio à televisão a senhora Leyla Weiss, que é a representante na Holanda dos ciganos Sinti.

Ouviu dos jornalistas presentes que em Nieuwegein (cidade perto de Utreque com a maior concentração de ciganos do país) só 1 em 40 tem trabalho, 75% tem cadastro criminal e o eterno problema das raparigas que abandonam a escola quando atingem os 12 anos de idade…

A senhora Leyla Weiss conhece estes números – piores que os marroquinos diga-se de passagem, mas os ciganos pelo menos não cometem atentados, não ameaçam políticos nem matam cineastas – e como não é marxista não os desmentiu nem disse que a culpa era da crise, apenas respondeu que as filhas dela continuam a estudar…

@ HV: ”Não foram os magrebinos que lançaram a Europa na crise que atravessa. Não perceber isto….”

Era o que mais faltava! Mas quem é que diz que foram eles? Fazes uma afirmação estapafúrdia, que ninguém disse nem pensou, para depois a combater! Isto é fazer a festa e depois ir apanhar as caninhas e por isso não há mais nada a perceber…

@ HV: ” Porque muitos destes ignorantes (imigrantes) têm medo que lhes tirem o que eles andaram a mendigar há 30 ou 40 anos atrás “

Os imigrantes ignorantes andaram a mendigar há 40 anos atrás? Isto é novidade para mim! Que imigrantes andaram a mendigar? E as pessoas davam?

Carmo da Rosa disse...

Anónimo das 16:01: ”le probleme c´est vous”

Moi! J’habite même pas en France, petit con va…

Anónimo das 16:08: ”O problema, é associar emigração á criminalidade.”

Problema! Não é assim muito complicado, basta pedir a lista dos presos à direcção das prisões e fazer as contas…

Anónimo das 16:08: ” O problema é um estado expulsar os seus nacionais, contando que os outros estados tem obrigação de os aceitar”

Absolutamente de acordo. Isto é realmente o problema. É o que a Roménia faz com os seus ciganos (nacionais), trata-os (com ou sem razão) abaixo de cão apesar de estar a receber da UE 20 biliões de euros (entre 2007 e 2013), precisamente para resolver o problema: dar trabalho e educação a esta gente e tratá-los o mais decentemente possível.

Streetwarrior: ” Parece-me que ao Carmo da Rosa, as coisa possam ser vista por este prisma.”

Street, não posso ver a coisa por esse prisma, porque nem sequer percebi o prisma! Verdade verdadinha…

“O Estado, nos seus políticos demagogistas e populistas que os constituem,”

Sim, mas quem escolhe os políticos, sejam eles demagogos, populistas ou benfiquistas, não é o povo? A menos que o Estado ponha o povo de lado e faça como na Coreia do Norte, e assim o Sócrates nomeia o filho mais novo que segundo ele é ‘brilhante’…

Streetwarrior: ”Se os mendigos abancam nos parques, é porque a policia não tem força ou não há autoridade para os remover do espaço!

Em princípio nem devia haver mendigos e há países na Europa em que ser mendigo é uma escolha pessoal. Mas porque razão os mendigos devem ser removidos de um parque?

Streetwarrior: ”Se os guettos trazem má vizinhança, não criem politicas de exclusão que aglomeram ricos para um lado e pobres para outro!”

Há países da Europa onde já não existem guetos (não é uma fatalidade) e que têm por hábito, há já muito tempo, implementar politicas que tentam evitar uma demasiada separação entre ricos e pobres – o que já não é nada mau…

O resto, peço imensa desculpa mas não percebi!

RioD'oiro disse...

Aproveitando o escolha do CdR relativamente às palavras do HV,

"@ HV: ”…. disfarçar os verdadeiros problemas das sociedades europeias actuais: o desemprego, a crise social e a crise financeira, que provocou a situação actual.”

Cada qual tem o direito de escolher qual a vertente do total da crise económica que mais lhe interesse combater. Dito de outra forma, cada um deve resolver o que pelo seu lado puder resolver e não cruzar os braços desculpando-se do bicho neo-liberal internacional.

Claro que o HV imbui-se a si próprio da missão de escolher o que aos outros deva ou não interessar combater e lançar sobre essa decisão os anátemas que se aplicam, directamente, à decisão do próprio HV.

@ HV: ”Não foram os magrebinos que lançaram a Europa na crise que atravessa. Não perceber isto….”

Aplica-se o dito no ponto anterior e ainda ...

A crise com os magrebinos tem implicações a nível de segurança. A crise actual tem por pano de fundo uma crise paralela de segurança.

"@ HV: ” Porque muitos destes ignorantes (imigrantes) têm medo que lhes tirem o que eles andaram a mendigar há 30 ou 40 anos atrás “

Quem tem cu tem medo, mas pelas suas palavras parece incontornável que os imigrantes que pelas suas palavras são militantes da mendigagem não tiveram medo que o dador se viesse a cansar.

Anónimo disse...

Apartir de Janeiro de 2011 passarei a ser MENDIGO POR OPÇÃO(Lol, só do Sr. Rosa mesmo). Em breve colocarei aqui o meu NIB. Caros amigos blogueiros e comentadores anónimos, meio anónimos ou anónimos assim-a-assim peço-vos: sejam generosos. Obrigado.

Anónimo semi-analfabeto.

Anónimo disse...

O problema é este Pascácio, não perceber que não diz nada de geito não tem uma ideia ou solução não entende o que os outros dizem e não ir dar banho ao cão, ou melhor ver o sem maneiras.
ainda não viu onde o estão a mandar ir, quanto mais saber o que lhe estão a dizer.

tinha dito eu :
O problema é um estado expulsar os seus nacionais, contando que os outros estados tem obrigação de os aceitar
O pascacio entendeu
"Absolutamente de acordo. Isto é realmente o problema. É o que a Roménia faz com os seus ciganos (nacionais), trata-os (com ou sem razão) abaixo de cão "
Ninguém estava a falar em ciganos.

Tiinha dito eu
O problema, é associar emigração á criminalidade
O pascaio entendeu
"Problema! Não é assim muito complicado, basta pedir a lista dos presos à direcção das prisões e fazer as contas…"
O homem esta a pensar em prisões e condenados.

Tinha dito eu
o problema é voce não ir dar banho ao cão, ou ver o sem maneiras.
O pasccio entendeu
"Moi! J’habite même pas en France, petit con va…"
Não esta sequer a pensar em ideologias

Ò seu azeiteiro idiota.

Carmo da Rosa disse...

Já são 10:38 e a mamã ainda não lhe deu a pílula? É grave, deve andar outra vez metida com o padre! Mas sem tomar a pílula não lhe respondo...

Anónimo disse...

E ainda por cima enxovalha-se.

o holandês voador disse...

CdR,
Os teus comentários estão ao nível da propaganda da "guerra fria". O que é que a Coreia do Norte tem a ver com o teor deste "post"? Nada. Estás a ficar desactualizado. Aconselho-te e ler mais livros de história: a "guerra fria" já acabou...ou não deste por isso?
Estamos a falar de minorias étnicas e culturais e da reacção de governantes populistas (como Sarkozy) relativamente aos ciganos. Desde há séculos que existem ciganos em França e sempre se comportaram da mesma forma. Porque é que não falas da condenação que o PE fez à França? A França foi criticada por não respeitar a Carta dos Direitos Humanos. Discriminou um grupo étnico na sua totalidade que, ainda por cima, tem nacionalidade europeia. O que é que isto tem a ver com o marxismo?
Larga o vinho, pá!

o holandês voador disse...

RdO,
Eu não escolhi os temas dos ciganos ou a crise da sociedade francesa. Vejo e leio as notícias e tiro as minhas conclusões. A França foi criticada e condenada pelo PE e isso é um facto. Da mesma forma que vejo milhões de franceses na rua a protestar contra as medidas sociais e económicas do actual governo e isso é outro facto. E então?
Os problemas de França não podem ser desligados do que está a acontecer um pouco por toda a Europa e têm pouco a ver com a problemática da minorias. As minorias são apenas o "bode expiatório" de uma crise que não provocaram. São o elo mais fraco da sociedade (sempre foram) e são sempre os primeiros a serem atacados. É dos livros. Podemos pôr o problema ao contrário: quando a economia estava a crescer, os emigrantes eram bem vindos; agora que a crise é geral, há que diabolizá-los. Ou não será assim?
Imagino que nunca viveu ou trabalhou no estrangeiro, o que não sendo uma má experiência permite ver os dois lados da realidade. É sempre mais fácil falar de cor. Sobre o CdR não lhe vou responder por motivos óbvios.

Anónimo disse...

É evidente o gajo nunca trabalhou na puta da vida...

RioD'oiro disse...

HV:

"RdO,
Eu não escolhi os temas dos ciganos ou a crise da sociedade francesa."

Escolheram os franceses.

"Vejo e leio as notícias e tiro as minhas conclusões."

Tire, mas tente não viver no planeta dos gambozinos.

"A França foi criticada e condenada pelo PE e isso é um facto."

Isso são factos exógenos aos franceses. Para eles apenas ruído.

"Da mesma forma que vejo milhões de franceses na rua a protestar contra as medidas sociais e económicas do actual governo e isso é outro facto. E então?"

Você vê os que protestam e não consegue ver os que lá faltam: os que não protestam.

"Os problemas de França não podem ser desligados do que está a acontecer um pouco por toda a Europa e têm pouco a ver com a problemática da minorias."

Isso é inconsequente. Também não podem ser desligados da sucessão das noites e dos dias.

"As minorias são apenas o "bode expiatório" de uma crise que não provocaram.

Isso é a sua opinião e o HV não consegue observar que não é essa a opinião dos franceses e que para o que importa é a opinião deles que conta.

"São o elo mais fraco da sociedade (sempre foram) e são sempre os primeiros a serem atacados."

É o elo mais fraco porque ser o elo mais fraco rende. São o elo mais fraco voluntariamente.

"É dos livros. Podemos pôr o problema ao contrário: quando a economia estava a crescer, os emigrantes eram bem vindos;"

Os emigrantes que imigravam para trabalhar eram bem vindos. Os outros não.

"agora que a crise é geral, há que diabolizá-los. Ou não será assim?"

Diaboliza-se quem não trabalha nem quer trabalhar e insiste em viver à custa do alheio.

"Imagino que nunca viveu ou trabalhou no estrangeiro, o que não sendo uma má experiência permite ver os dois lados da realidade."

Basta ir ao jardim e ver dezenas de gajos que não trabalham, não querem trabalhar mas estão bem assim porque a comida vai ter com eles, às vezes de VW Tuareg.

"É sempre mais fácil falar de cor."

É sempre mais fácil partir do princípio que quem precisa é um ser menor, que não tem nem nunca terá vontade, etc. A forma racista (como a esquerda a entende) de ver o próximo: um ser inferior.

o holandês voador disse...

RdO,
Quem vai só ao jardim só vê o que está no jardim. Temos de considerar que é pouco para elaborar teorias sobre a imigração. Compreendo, fala de cor.

RioD'oiro disse...

Caro HV,

"Quem vai só ao jardim só vê o que está no jardim."

Quem for para onde quer que seja vê o que lá estiver. O que o HV tentou foi uma falácia de autoridade. Eu respondi-lhe com uma caricatura, o HV não percebeu.

O HV não faz a mínima ideia sobre o que vi ou deixei de ver. Como eu não faço relativamente a si nem me interessa.

Streetwarrior disse...

Carmo,começa a ser demasiado evidente o deliro que o ataca quando na falta de argumentos,começa a disparar com esse disparate da Festa do Avante,da Coreia do Norte,do comité do Pcp e do Rótulode esquerdalha.
Enfim..

Quanto ao meu comentário que diz que não percebeu;

Este é o problema .

" O Estado,nos seus políticos demagogistas e populistas que os constituem,não interessa se é a França ou outro que país que haja assim,Enrolam-se em lobbys e esquemas que desviam o dinheiro para investir na sociedade,em segurança,condições Sociais,infraestruturas,fiscalização no controlo de politicas criadas,enviam milhares de pessoas para a miseria e para o desemprego ""

Este é o resultado do problema ;

"" ,enviam milhares de pessoas para a miseria e para o desemprego...e depois o povo,quando é obrigado a recorrer á Seg. Social motivado por esse desemprego,a viver debaixo da ponte e em guettos,porque não consegue garantir as rendas devido ao desemprego,a fome alastra em crime e em desorientação social, etc....""

No entanto,os culpados de toda a situação ,vista pelo seu prisma;

"" ..E as pessoas é que são as culpadas? ""


Percebeu agora ou quer que envie em Powerpoint?

"" Sim, mas quem escolhe os políticos, sejam eles demagogos, populistas ou benfiquistas, não é o povo? "

Epá...isto é o que faz,ver demasidos Noticiarios e ler demasiados jornais !
Será que ainda não percebeu que seja onde quer que ponha a cruz,muda as pessoas mas não muda o sistema?
Não gosta da cor das gravatas deles é? É por isso que vota?
Já percebi...uma pessoa que produz uma afirmação destas-->" Em princípio nem devia haver mendigos e há países na Europa em que ser mendigo é uma escolha pessoal "" e outra assim-->"Há países da Europa onde já não existem guetos (não é uma fatalidade)" deve ter visto esta informação bem demonstrada nalgum jornal ou na Tv da Prisa ou do Pinto Balsemão

Nuno

Carmo da Rosa disse...

@ anónimo das 09:34: ”Em breve colocarei aqui o meu NIB..”

Comece por colocar o seu nome, mas nem isso tem coragem, que fará o NIB…

Carmo da Rosa disse...

@ HV: ”Os teus comentários estão ao nível da propaganda da "guerra fria".

Não faço a mínima ideia o que seja o “nível da guerra fria”! És capaz de explicar?

@ HV: ”O que é que a Coreia do Norte tem a ver com o teor deste "post"? Nada.”

Nada. Tampouco disse que a Coreia do Norte tinha algo que ver com o teor do post! (Lê primeiro com atenção e depois responde, que é para não fazer perder tempo). Mas conhecendo o teu dilema (viver na Holanda ou em Portugal) e tendo em conta o panegírico catastrófico que traças da Europa capitalista, apenas perguntei se a Coreia do Norte ou Cuba seriam uma opção alternativa! Uma pergunta lógica e legítima que só a Rita Rato (militante do PCP) não consegue responder!

@ HV: ”Aconselho-te e ler mais livros de história”

Ainda não te cansaste de me aconselhar a ler livros? Ainda não percebeste a máxima do meu Guru (Pat Condell): “I don’t have much of a formal education, that’s why I can read and write…” Mas agora é só write…

@ HV: ” Estamos a falar de minorias étnicas e culturais e da reacção de governantes populistas (como Sarkozy) relativamente aos ciganos.”

E eu, quando te digo que a UE paga 20 biliões à Roménia para tratar dos ciganos; e quando te dou o exemplo da Leyla Weiss e da situação dos ciganos na Holanda, estou a falar de quê, da Guerra Fria?

@ HV: ” Desde há séculos que existem ciganos em França e sempre se comportaram da mesma forma.”

Mas os ciganos que vivem há séculos em França não vão ser expulsos. O Sarkozy apenas quer expulsar os outros, os Romenos e os Búlgaros…

@ HV: ”Porque é que não falas da condenação que o PE fez à França?.”

‘Falei’ pois! O Eric Zemmour fala no assunto no vídeo que coloquei. Mas queres que fale? Acho a condenação ridícula e não estou de acordo. Mas desde quando é que tu segues à risca as directrizes do grande capital representado pelo Parlamento Europeu?

@ HV: ”O que é que isto tem a ver com o marxismo?”

Infelizmente constato que para ti tudo tem a ver com marxismo, tudo tem a ver com a luta de classes.

@ HV: ”Larga o vinho, pá!”

Isso nunca, mais depressa largo os livros…… de história!

Carmo da Rosa disse...

Streetwarrior: ”Carmo, começa a ser demasiado evidente o deliro que o ataca quando na falta de argumentos,começa a disparar com esse disparate da Festa do Avante”

Street, nem delírio nem falta de argumentos! Como se pode verificar respondo a tudo tim tim por tim tim - quando percebo e as pessoas não insultam claro… Coisa que os outros não fazem. Apenas debitam as suas ideias alheios a tudo o que já foi dito anteriormente.

A analogia com a Festa do Avante não é nenhum disparate, veja-se aqui a similitude dos dois discursos (discurso no sentido lato):

Holandês Voador:

”…. disfarçar os verdadeiros problemas das sociedades europeias actuais: o desemprego, a crise social e a crise financeira, que provocou a situação actual.”

Jerónimo de Sousa:

Vivemos num tempo de crise, em que a crise capitalista tem impacto, mas que essencialmente resulta da política de direita que nas últimas décadas vai mudando de atores mas a peça é sempre a mesma.

Não é preciso muita coisa para que Jerónimo de Sousa entre em delírio e comece a disparatar, basta perguntar-lhe, de preferência durante a Festa do Avante, quanto é que ganha em média um operário num país capitalista da Europa (em crise), e quanto ganha o mesmo operário nos paraísos socialistas que são o modelo padrão do Secretário-Geral do PCP…

Mas eu compreendo perfeitamente que hoje em dia já ninguém vai à Festa do Avante para fazer perguntas chatas, mas sim para comer umas bifanas, engatar alguma comuna gira, mesmo que seja muito parvinha graças a Deus (Rita Rato), beber uns canecos e fumar uma ganza… Humanamente compreensível e muito salutar, mas assim a classe operária nunca mais sai da cepa torta…

Streetwarrior: ”Epá...isto é o que faz, ver demasidos Noticiarios e ler demasiados jornais! Será que ainda não percebeu que seja onde quer que ponha a cruz, muda as pessoas mas não muda o sistema?”

Street, hè pá, tu não pensas de maneira lógica e isso reflecte-se na maneira caótica de escrever e de formular e é por isso que por vezes não percebo. Isso não me chateia, cada um é como cada qual, uns escrevem melhor e outros pior, quando não percebo pergunto, mas não creio que seja necessário armares-te em chico esperto!!!

Mas quem é que quer mudar o sistema? Eu não quero. Mas se tu queres mudar o sistema (presumo capitalista) e não queres eleições, porque eleições não servem para nada, diz pá, tem a coragem de assumir a ditadura porra, ninguém te bate!!! Mas já agora, só por curiosidade pessoal, não havendo eleições quem é que vai mandar lá no teu sistema?

Anónimo disse...

Sr. Rosa não seja por isso. Só agradeço que seja realmente generoso na sua esmola. Como o senhor está fora e se calhar já fechou a ridicula conta que tinha na CGD e não tem conta em nenhum outro Banco Português, mando-lhe antes o IBAN: CH 50 0579 0000 0000 5346159 17, da minha conta na Suíça.

O meu nome é Alfredo Eduardo Meneses de Andrade e Silva, futuro MENDIGO por OPÇÃO. Lol.

Obrigado e bem-haja.

o holandês voador disse...

CdR,
Se lesses mais e não pensasses em dictomias (bons versus maus) sabias que há uma crise económica e financeira na Europa há, pelo menos, dois anos. Que essa crise teve início nos EUA (com a chamada crise do "sub-prime") e que atingiu, com mais ou menos impacto, a maior parte das economias europeias. Foi essa crise, de resto, que provocou uma crise sistémica na banca europeia e conduziu a crises económicas e financeiras na maior parte dos países que estão no mesmo sistema monetário. Só para dar meia-dúzia de exemplos: a Islândia entrou em bancarrota e deixou de pagar a países credores como a Inglaterra e Holanda; a Irlanda, até há dois anos considerado o "tigre celta" e modelo das economias liberais ruiu que nem um castelo de cartas, tendo neste momento um "déficit" maior do que Portugal. A Grécia é o que se sabe, Portugal vai a caminho e a Espanha não está melhor. Queres mais exemplos: com a contracção da economia, o desemprego e a crise social atingiu níveis nunca antes verificado no UE (mais de 20 milhões em todo o espaço europeu) e, mesmo países considerados "ricos", como a França, a Itália, a Inglaterra ou a Holanda (ver o programa sócio-económico do novo governo holandês apresentado ontem) tiveram de reformular radicalmente as suas políticas económicas e sociais, o que conduziu aos protestos a que estamos a assistir um pouco por toda a Europa. Não é necessário ser marxista para fazer esta análise. A maior parte dos economistas, desde a liberal escola de Chicago, até aos prémios nobéis Paul Krugman e Sligtz (ambos americanos) o dizem. Quem sou eu para os contradizer?
Mais, se reparares, a crise começou no sistema e afecta principalmente países capitalistas.
Nem podia ser de outro modo, pois desde o fim da "guerra fria" (1989, weet je wel?) a economia passou a ser global (globalização, ja?) e há menos proteccionismo, logo mais possibilidade de crises sistémicas.
Se nem estas coisas simples percebes, como é que queres que eu te explique? Queres que eu faça desenho?

Anónimo disse...

Oh caro voador, de facto a sua correcta explicação é areia demais para a camionetazita do Sr. Rosa, nem com bonecos ele entenderia. Mas ele não vai desistir: espere pela resposta.

Streetwarrior disse...

Holandês Voador:

”…. disfarçar os verdadeiros problemas das sociedades europeias actuais: o desemprego, a crise social e a crise financeira, que provocou a situação actual.”

Carmo, não querendo ser advogado do HV,parece-me ser lógico isto que ele disse,no entanto,comparas-o com Jerónimo de Sousa mas,não deve ser só o J.S que que faz esta analise do problema.

""Mas quem é que quer mudar o sistema? Eu não quero. Mas se tu queres mudar o sistema (presumo capitalista) e não queres eleições, porque eleições não servem para nada,""

Tu podes não querer mas eu quero,não duvides,pois da forma como o sistema capitalista está a ser empregue,não é nem minimamente justo e cria dia para dia um maior fosso entre as classes.
Se tu não queres mudar este tipo de sistema,é porque ou não te toca na pele os problemas do dia a dia ou então não consegues compreender que o sistema,na forma como está,é a exploração galopante sobre a classe operária.

Mas coo sabes,não é só em Portugal,é na maioria dos países do mundo.
È minha convicção que ambos as alternativas que vão a votos,estão viciadas e corrompidas por dentro.

A titulo de exemplo,hoje em dia,muitos dos assuntos e politicas antes de serem propostas na assembleia,são discutidas nas mais variadas Lojas Maçónicas,o que faz com que não interesse se se vota no PS ou no PSD ou noutro,(tirando o PcP que proíbe os seus elementos de pertencerem a Soc. Secretas)pois todos eles estão manipulados pelo mesmo tipo de trafico de influencias.

Desta forma,torna-se impossível ter a mínima confiança neste sistema de eleições.
Nuno